Telefônica Brasil (VIVT3) aprova JCP; Aegea aprova emissão de dívida e mais

José Azevedo
Jornalista especializado em economia.
1

Crédito: Reprodução Telefônica

A Telefônica Brasil (VIVT3) aprovou nesta quinta-feira (16) o pagamento de proventos aos seus acionistas sob o formato de juros sob capital próprio (JCP).

Serão distribuídos R$ 600 milhões pela Telefônica, cerca de R$ 0,35728835197 por papel – R$ 0,30369509918 descontado o imposto de renda. As ações passam a ser negociadas ex-JCP a partir do dia 30 deste mês e ainda não há data exata para o depósito.

Praticidade e precisão, saiba quais melhores investimentos e como melhorar rentabilidade de suas ações

Aegea emite novo título de dívida

Já a Aegea, companhia de saneamento, aprovou em reunião do conselho a sua nona emissão de debêntures, no valor de R$800 milhões, com prazo de vencimento de sete anos.

A companhia não deu mais informações sobre a movimentação,

Blue Tech (BLUT3) esclarece gestão anterior

A Blue Tech (BLUT3) informou sobre que solucionou uma pendência de um contrato da gestão anterior à atual. A companhia havia sido informada por um investidor sobre um contrato firmado às vésperas da renúncia do antigo diretor executivo.

O contrato em questão teria sido assinado há menos de 24 horas antes do envio da carta renúncia do último CEO, e não foi apreciado pelo conselho ou assinado por um segundo diretor.

Nesta quarta-feira, a Blue Tech noticiou que investiga uma série de ações da antiga administração da empresa. Hipóteses de fraudes contábeis não estão descartadas.

Eldorado anuncia nova emissão de dívida

A Eldorado, companhia de celulose, anunciou duas novas emissões de dívidas, cada uma de R$ 500 milhões. Esta foi a primeira em formato de Certificados de Recebíveis do Agronegócio (CRA) e a segunda em debêntures.

A primeira será dividida em unidades de R$ 1 mil, com vencimento de seis anos e pagando a variação acumulada do IPCA + 2,50% ao ano, com pagamentos a cada seis meses. A segunda, também em papéis de R$ 1 mil, terá vencimento em três anos e pagará 100% do CDI mais uma taxa de, no máximo, 3,95%.

Money Week 5ª Edição

5 Dias de Evento | 70 Autoridades do Mercado Financeiro | 20 Horas de Conteúdo