Teich, em reunião do G20: fake news são um problema no combate à pandemia

Fernando Augusto Lopes
Redator e editor

Crédito: Divulgação / Ministério da Saúde

Em seu primeiro grande compromisso como novo ministro da Saúde, Nelson Teich, participou nesse domingo (19) de reunião de ministros da Saúde do G20 junto com a Organização Mundial da Saúde (OMS). O encontro foi feito via videoconferência e Teich se mostrou político diante dos pares mundiais, ressaltando “a necessidade de uma abordagem integrada com outras organizações”, reconhecendo a importância da OMS e atacando as notícias falsas que prestam desserviço nessa hora.

Segundo informa a Agência Brasil, “o ministro da Saúde criticou as chamadas fake news e afirmou que a disseminação de informações falsas é um problema no combate à pandemia. Ele ressaltou ainda a atuação do governo na ajuda a estados e municípios, destacando que US$ 2 bilhões em recursos federais foram empregados na distribuição de materiais e equipamentos hospitalares”.

Notícias falsas são constantemente associadas aos filhos do presidente Jair Bolsonaro. Há até uma alcunha, criada durante a Comissão Parlamentar de Inquérito, chamando o núcleo de “gabinete do ódio”.

Mudanças

Teich acredita que a crise do Covid-19 pode provocar mudanças permanentes nos sistemas de saúde em todo mundo e defendeu que os países do G20 “devem se comprometer integralmente em alcançar a cobertura de saúde universal”, como o Brasil possui, com o Sistema Único de Saúde, o SUS.

“A urgência da Covid-19 está nos confrontando a todos, e isso é crítico. E parabenizamos essa reunião dos ministros da Saúde do G20, considerando os profundos desafios que essa pandemia traz para o bem-estar social e econômico da nossa população neste momento”, disse.

“Levando em conta que essa é minha primeira participação internacional como Ministro da Saúde do Brasil, eu quero aproveitar essa oportunidade para reforçar o compromisso brasileiro em trabalhar junto e achar soluções”, finalizou.

O encontro segue na parte da tarde. A previsão é que, após o encerramento, seja divulgada uma resolução conjunta sobre o combate à pandemia do novo coronavírus.

G20

O G20 reúne as vinte maiores economias do mundo: África do Sul, Alemanha, Arábia Saudita, Argentina, Austrália, Brasil, Canadá, China, Coreia do Sul, Estados Unidos, França, Índia, Indonésia, Itália, Japão, México, Reino Unido, Rússia, Turquia e União Europeia.

Uma das formas mais eficientes de identificarmos o nosso perfil de investidor, é realizando um teste de perfil.

Você já fez seu teste de perfil? Descubra qual seu perfil de investidor! Teste de Perfil

São 90% do Produto Interno Bruto (PIB) global, 67% da população mundial e 80% do comércio internacional.

Respiradores

Em seu primeiro tuíte como ministro, Nelson Teich escreveu que foram enviador “respiradores aos estados mais necessitados. CE e AM receberam 15 e PE 10. Produzidos no Brasil. O MS e o Governo Federal @jairbolsonaro estão mobilizados para apoiar os Estados e municípios no enfrentamento desta crise. Faremos tudo o que estiver ao nosso alcance!”.

A revista Veja publicou nesse sábado (18) uma matéria sobre o envio de respiradores defeituosos para o Amazonas.

Segundo a revista, “a falta de leitos e equipamentos acenderam o sinal de alerta do Governo Federal, que decidiu ajudar”.

“O Ministério da Saúde, ainda sob o comando de Luiz Henrique Mandetta (DEM-MS), enviou vinte aparelhos respiradores para o estado. No entanto, metade deles não funcionava, porque não tinha dois tipos de acessórios essenciais: traqueia e cabo de força. O restante dos equipamentos era destinado a transporte – e não para leitos. Essa falha foi listada num dossiê elaborado pela Casa Civil da Presidência e usada para desgastar o ex-ministro”, revela a revista.

LEIA MAIS
Crise do coronavírus: G20 vai injetar US$ 5 tri na economia mundial

Teich faz primeira aparição no Twitter e seguidores perguntam sobre manifestações