Taesa (TAEE11) tem lucro 194,7% maior no 4TRI20

Felipe Alves
Jornalista com experiência em reportagem e edição em política, economia, geral e cultura, com passagens pelos principais veículos impressos e online de Santa Catarina: Diário Catarinense, jornal Notícias do Dia (Grupo ND) e Grupo RBS (NSC).
1

Crédito: Divulgação

A Taesa (TAEE11) registrou lucro líquido de R$ 829 milhões no quarto trimestre de 2020. Assim, o resultado foi 194,7% maior na comparação com o mesmo período de 2019.

Já em 2020 a empresa de energia fechou com lucro de R$ 2,26 bilhões. Ou seja, 104,6% maior do que o ano de 2019.

Segundo a administração, o alto avanço do lucro líquido foi em decorrência de maiores índices macroeconômicos registrados entre os períodos comparados, principalmente o IGP-M, com reflexo na receita de correção monetária; a consolidação dos resultados das aquisições recentes de São João, São Pedro, Lagoa Nova, da conclusão dos reforços da Novatrans e da entrada em operação das concessões de Miracema, Mariana e EDTE; e de maiores investimentos nos empreendimentos em construção com impacto positivo na margem de implementação de infraestrutura da companhia.

Análises e Resumos do mercado financeiro com leituras de 5 minutos. Conheça a EQI HOJE

Ebitda da Taesa avançou 17%

Já o Ebitda (lucros antes de juros, impostos, depreciação e amortização) da Taesa passou de R$ 258,2 milhões (4TRI19) para R$ 302 milhões (4TRI20). Ou seja, um avanço de 17%.

No acumulado de 2020, o Ebitda cresceu 8,3%. Foram R$ 1,15 bilhão em 2019 para R$ 1,249 bilhão em 2020.

A margem Ebitda cresce 2,8 p.p do 4TRI19 para 4TRI20 (78,9%). Mas, no acumulado do ano, a variação foi negativa em 0,8 p.p. Caiu de 82,7% para 81,9% para 2020.

Receita líquida quase dobra em um ano

A receita líquida da Taesa avançou 148,5% do 4TRI19 para 4TRI20. O indicador passou de R$ 472,5 milhões para R$ 1,17 bilhão no último trimestre do ano passado.

Já na base anual, a receita líquida da companhia de transmissão de energia cresceu 93,5%.

A receita líquida da Taesa foi de R$ 1,84 bilhão em 2019 e subiu para 3,56 bilhões em 2020.

Dívida líquida 83% maior

Outro indicador que subiu no comparativo entre o 4TRI19 e 4TRI20 foi a dívida líquida: aumento de 83% entre os períodos.

A Taesa fechou o quarto trimestre de 2019 com dívida de R$ 2,84 bilhões. Assim, o valor aumentou para R$ 5,20 bilhões no fim de 2020.

O caixa da companhia ficou em R$ 905,6 milhões (-49,7% versus 3T20).

Já o aumento de 160% no trimestre e 83,7% no ano das despesas financeiras líquidas é resultado, segundo a empresa, das captações realizadas em 2020, do aumento do IPCA e do menor volume de caixa devido ao pagamento de juros e amortizações e maiores investimentos nos projetos em construção no período.

Novos dividendos da Taesa

Com base no resultado apresentado, o conselho de administração da Taesa aprovou nesta quarta-feira a proposta de destinação do lucro de 2020, que inclui a distribuição de dividendos  adicionais de R$ 561,9 milhões (R$ 1,63/unit) e que ainda deverá ser submetida à deliberação da assembleia de acionistas.

Sendo aprovado, o dividend payout será de 71,0 % do lucro líquido. A distribuição total será de R$ 4,66/unit referente ao resultado de 2020.

Ou seja, equivalente a um dividend yield de cerca de 15% aos preços da unit da Taesa hoje.

Taesa resultado 4TRI20