Suzano (SUZB3) vende propriedades e florestas por R$ 1,056 bi

Felipe Moreira
Especialista em Mercado de Capitais e Derivativos pela PUC - Minas, com mais de 8 anos de vivência no mercado financeiro e de capitais. Certificações: CPA-10, CPA-20 e AAI. Apaixonado por educação financeira e investimentos.
1

Crédito: Divulgação Suzano

A Suzano (SUZB3) informou hoje (20) a venda de terras, florestas e madeiras para a Bracell SP e Turvinho Participações. A Suzano receberá R$ 1,056 bilhão pela transação.

Conforme a nota, foram vendidos 21.066 hectares de propriedade rural localizadas na região central do estado de São Paulo, sendo parte por meio de venda e parte por cessão da Suzano para os compradores dos contratos de arrendamento em que a companhia é parte. O contrato inclui também florestas já estabelecidas e as em crescimento.

Simule seus investimentos com um especialista e confira as melhores opções de acordo com seu perfil

Além disso, a Bracell comprometeu-se a comprar volume de madeira adicional.

A consumação da transação está sujeita à aprovação pelo Conselho Administrativo de Defesa Econômica – CADE.

“A Transação está alinhada com o plano de desalavancagem da Companhia anunciado ao Mercado e confirma a disciplina financeira adotada pela Suzano na execução de sua Política de Endividamento” informou a Suzano.

Suzano: resultado do terceiro trimestre

A Suzano registrou prejuízo líquido de R$ 1,157 bilhões no terceiro trimestre de 2020, o que representa queda de 66,54% na comparação com igual período do ano passado.

O desempenho é explicado pelo menor resultado financeiro negativo, por sua vez decorrente da variação cambial.

O lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização (Ebitda, na sigla em inglês) ajustado somou R$ 3,779 bilhões no trimestre, uma elevação de 58% em relação ao terceiro trimestre de 2019.

A margem Ebitda ajustado atingiu 51%, baixa de 15 pontos percentuais na comparação anual.

A receita líquida somou R$ 7,471 bilhões no trimestre, um aumento de 13% em relação ao mesmo período de 2019. Aproximadamente 82% da receita gerada foi no mercado externo.

De acordo com a Suzano, o desempenho ocorreu em função principalmente da valorização de 35% do dólar.

A dívida líquida da Suzano encerrou setembro em R$ 68,731 bilhões, um aumento de 24%.

A alavancagem financeira, medida pela relação dívida líquida / Ebitda ajustado, ficou em 5,1 vezes no final de setembro. Um ano antes era de 4,7 vezes.

Leia mais

Papel e celulose: o que você precisa saber antes de investir no setor

BTG: Suzano (SUZB3) mostra sua incrível capacidade em tempos difíceis

Cases da Bolsa

Aprenda análise fundamentalista de ações na prática, com maiores cases já criados na B3

Se você quer saber mais sobre o mercado de ações e como investir, preencha o formulário abaixo que um assessor da EQI Investimentos entrará em contato.