Suzano (SUZB3) e Braskem (BRKM5) devem ter maior ganho cambial no balanço do 4° trimestre

Felipe Moreira
Especialista em Mercado de Capitais e Derivativos pela PUC - Minas, com mais de 8 anos de vivência no mercado financeiro e de capitais. Certificações: CPA-10, CPA-20 e AAI. Apaixonado por educação financeira e investimentos.
1

Crédito: Divulgação Suzano

A Suzano (SUZB3) e Braskem (BRKM5) devem registrar os maiores ganhos cambiais na safra de resultados do quarto trimestre de 2020, conforme dados Economática divulgados pela Advin.

A Economática elaborou um ranking sobre algumas empresas que possuem dívida em moeda estrangeira como é o caso do dólar.

No trimestre do ano passado, o Dólar Ptax venda (que nada mais é do que uma referência para as companhias financeiras que utilizam o câmbio) registrou perda de 7,87%. Assim, companhia com dívidas em dólar podem ver seus lucros aumentarem no trimestre, como reflexo desse reajuste cambial.

Isso é o que demonstra um estudo feito pela Economatica, baseado nos demonstrativos financeiros das companhias brasileiras.

Com base nesse cenário, a Suzano deve ter um ganho financeiro de R$ 4,8 bilhões. Já a Braskem deve obter ganho de R$ 3,445 bilhões em seu balanço.

Mas, nem todas as empresas listadas na B3 (B3SA3) entraram no ranking. Pois, algumas não têm dívidas em moeda estrangeira. Ao todo, 65 delas também não revelam essa informação, como é o caso de Petrobras (PETR4), Vale (VALE3), CSN (CSNA3), Klabin (KLBN11) e Gerdau (GGBR4).

No entanto, outras Blue Chips figuram na tabela e vale ficar de olho em mais detalhes da pesquisa, que foi fechada com um total de 89 companhias, que atenderam aos critérios mencionados anteriormente.

A soma da dívida em dólar dessas companhias totalizava R$ 287,21 bilhões em 30 de setembro de 2020. Considerando a desvalorização cambial, o nova dívida fica em R$ 264,6 bilhões, um ganho financeiro de R$ 22,60 bilhões que vai ser creditado no quarto trimestre.

“Na análise, devemos considerar que a empresa não realizou nenhum tipo de cobertura cambial por algum instrumento, por exemplo hedge cambial, como também não é considerado o hedge natural da empresa”, mostra o relatório da Economática.

Veja as empresas que possuem o maior ganho financeiro nessa relação dívida/câmbio

Fonte: Economática