Suzano (SUZB3) lucra R$ 10,3 bilhões e reverte prejuízo no 2TRI21

José Azevedo
Jornalista especializado em economia.

A Suzano (SUZB3) lucrou, de forma líquida, R$ 10,03 bilhões no segundo trimestre de 2021, revertendo o prejuízo de R$ 2,05 bilhões registrado no mesmo período de 2020. No primeiro trimestre deste ano, a companhia de papel e celulose também havia registrado um resultado negativo de R$ 2,7 bilhões.

A alta do lucro líquido da Suzano, porém, se deu majoritariamente por um resultado financeiro melhor: entre abril e junho, a empresa registrou uma receita financeira de R$ 9,74 bilhões, que impulsionou o balanço. Entre janeiro e março deste ano e no segundo trimestre do ano passado, esse indicador havia sido negativo em, respectivamente, R$ 8,6 bilhões e R$ 5,6 bilhões.

Simule seus investimentos com um especialista e confira as melhores opções de acordo com seu perfil

Esse avanço na receita financeira se deu, principalmente, por conta da variação cambial e monetária, que somou R$ 6,8 bilhões no resultado trimestral. “Aconteceu em função da valorização de 12% do Real frente ao Dólar de fechamento sobre a parcela da dívida em moeda estrangeira (81% da dívida total)” explicou a empresa em documento publicado na noite desta quarta-feira (11).

Ao mesmo tempo, as despesas financeiras caíram minimamente, saindo de R$ 1,03 bilhão no segundo trimestre de 2020, para R$ 991 milhões no primeiro deste ano até chegar em R$ 932 milhões neste último intervalo de três meses. Em parte porque a Suzano vem conseguindo reduzir sua dívida líquida, que chegou a R$ 57,2 bilhões, recuou de 14% na base trimestral e 16% na anual.

Leia aqui o balanço na íntegra.

Suzano (SUZB3): Principais números do balanço

Lucro líquido

  • 2TRI21:
  • 2TRI20:

Receita líquida

  • 2TRI21:
  • 2TRI20:

Ebitda

  • 2TRI21:
  • 2TRI20:

Receita cresce com maior preço de produtos vendidos

A receita líquida da Suzano ficou em R$ 9,84 bilhões, ante R$ 7,9 bilhões do mesmo período de 2020 e R$ 8,8 bilhões entre janeiro e março deste ano.

No segmento de celulose foram vendidas cerca de 2,5 milhões de toneladas, número 4% menor  do que no 1TRI21 e 9% do que no 2TRI2. A queda, porém, foi remediada pelo avanço do preço médio em dólar da commodity, que, nas mesmas comparações, cresceu respectivamente 20% e 35%. A receita líquida do segmento foi de R$ 8,4 bilhões.

No braço de papel, as vendas cresceram nas duas bases comparativas, totalizando 208 mil toneladas – 4% a mais no trimestre e 48% no ano. Além disso, o preço médio da tonelada atingiu R$ 4,7 mil avançando 9% ante o 2TRI20 e 6% frente ao 1TRI21. A combinação fez a receita líquida do segmento atingir R$ 1,3 bilhão, crescendo 8% frente ao período de janeiro e março de 2021.

Ebitda da Suzano sobe apesar de maiores gastos com produção

O lucro operacional consolidado da Suzano ficou em R$ 2,09 bilhões, alta de 27% frente ao primeiro trimestre e 51% ao segundo trimestre de 2020.

Apesar da alta dos custos dos produtos vendidos, por conta dos maiores gastos com produção de celulose (com insumos como petróleo, madeira e produtos químicos mais caros), o Ebitda avançou com o maior preço dos produtos vendidos e também com a companhia gastando menos com vendas (R$ 496,3 milhões) e com despesas gerais e administrativas (R$ 353 milhões).

A Suzano investiu R$ 1,2 bilhão durante o segundo trimestre de 2021, número 4% inferior do que o período imediatamente anterior.

Cases da Bolsa

Aprenda análise fundamentalista de ações na prática, com maiores cases já criados na B3