“Super quarta” deve indicar novo ciclo de corte nas taxas de juros

A “super quarta” nos reserva decisões sobre as taxas de juros por parte do Copom (Comitê de Política Monetária) e do FED (Federal Reserve), podendo indicar um novo ciclo de corte nos juros, além da divulgação do PIB da zona do euro e dados do emprego nos EUA.

Filipe Teixeira
Filipe Teixeira é redator do Portal EuQueroInvestir. Gremista, filho dos anos 80, apaixonado por filmes, música, política e economia.É também Coordenador da área de Marketing do EuQueroInvestir.com e do EuQueroInvestir A.A.I assessores de investimentos.Me envie um e-mail: filipe.teixeira@euqueroinvestir.com Ou então uma mensagem por WhatsApp: (51) 98128-5585 Instagram: filipe_st

A decisão do FED ocorre às 15:00h (horário de Brasília) e até lá, projeta-se que os mercados globais “andem de lado” no aguardo desta decisão. Mais cedo, as bolsas da Ásia fecharam em queda, com os investidores atentos também às negociações comerciais entre Estados Unidos e China, que terminaram, por enquanto, sem anúncio.

Fechamento mercado asiático

Japão: NIKKEI [-0,86%]
China: SHANGAI [-0,67%]
Hong Kong: HANG SENG [-1,31%]

Petróleo – Fechamento

O petróleo avançou nesta quarta-feira após a divulgação do volume estocado do óleo nos Estados Unidos ter recuado 6 milhões de barris, enquanto o de gasolina caiu 3,1 milhões de barris e o de destilados diminuiu em 900 mil barris.

Uma das formas mais eficientes de identificarmos o nosso perfil de investidor, é realizando um teste de perfil.

Você já fez seu teste de perfil? Descubra qual seu perfil de investidor! Teste de Perfil

WTI + 0,39% (US$ 58,56)
Brent + 0,22% (US$ 64,68)

Fechamento Europa

Hoje pela manhã foram divulgados os dados do PIB da zona do euro, que cresceu 0,2% no segundo trimestre de 2019, em relação ao primeiro trimestre do ano, avançando 1,1% na comparação anual do período, em dados atualizados, o PIB do segundo trimestre cresceu 0,8%.

Uma série de balanços corporativos positivos impulsionaram as bolsas europeias que operaram em alta. A exceção ficou por conta da bolsa de Londres.

DAX (Alemanha) +0,33%
CAC 40 (França) +0,14%
FTSE 100 (Reino Unido) -0,68%
FTSE MIB (Itália) +0,54%

Bolsas de NY

Wall Street opera com investidores à espera da decisão do FED às 15h.

Dow Jones [+0,27%]
S&P 500 [+0,19%]
Nasdaq [-0,46%]

FED anúncia corte de 25 pontos no juro

Jerome Powell – Presidente do FED / Crédito imagem: PATRICK SEMANSKY / AP

O Federal Reserve cortou os juros em 25 pontos para o patamar entre 2,00% e 2,25%, conforme apostas do mercado. No entanto, a decisão não foi unânime, Esther George (Kansas) e Eric Rosengren (Boston) votaram pela manutenção dos juros.

A falta de consenso indica o grau de incerteza quanto ao cenário global. No mercado interno, os dados apontam para recuperação do consumo e fortalecimento do mercado de trabalho.

O que nos leva concluir que o FED balizou sua decisão diante do contexto de desaceleração da economia mundial e a tendência de inflação baixa, dando claros sinais de que a velocidade e o tamanho deste ciclo dependerão de dados futuros, que indiquem uma evolução do cenário econômico. Não parecendo sensato no momento, definir um norte.

Ibovespa

Após divulgação de seus balanços, os bancos privados seguem pressionando o índice em dia onde a “cautela” parece ser a palavra de ordem.

O grande destaque na abertura, após divulgação de balanço positivo é a Smiles (+3,89%, em R$ 39,27). Apesar das quedas do minério de ferro nos portos chineses, a CSN também se destaca no pregão de hoje 3,54% (R$ 16,99), depois da divulgação de seu balanço divulgado ontem (30).

O setor de mineração e siderurgia ganhou destaque na abertura: Vale +0,86% (R$ 50,44), Usiminas +1,13%, Gerdau +0,21%, Metalúrgica Gerdau +0,15%.

Diferente do ocorrido ontem, a Petrobras surfa a alta do petróleo e avança 1,05% em ON e +0,95% em PN.

Sem acordo, por enquanto

A pauta principal do encontro entre negociadores chineses e norte-americanos em Xangai, ficou em torno da compra de produtos agrícolas, transferência de tecnologia e propriedade intelectual. As delegações devem se encontrar novamente em setembro, desta vez nos EUA , afirmou em nota, o ministério do Comércio da China.

guerra comercial euaxchina

O ministério disse ainda, que ambos os lados mantiveram “trocas afáveis, altamente eficientes, construtivas e profundas sobre importantes assuntos de interesse mútuo nos dois dias de conversas em Xangai”. O tom político da declaração, ignorou por completo as cutucadas de Donald Trump em sua conta oficial no Twitter, acusando os chineses de não cumprirem com acordos firmados.

Desemprego cai para 12% em junho

O Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) divulgou nesta quarta-feira, a taxa de desemprego no Brasil. O índice caiu para 12% no trimestre encerrado em junho, o que representa 12,8 milhões de pessoas. Trata-se da terceira queda na comparação com o mês anterior (maio), representando um recuo também em relação ao primeiro trimestre deste ano, quando ficou em 12,7%


Na comparação com o mesmo período de 2018, também houve redução, visto que a taxa foi de 12,4% no período.

Dilmo de calças

Em entrevista nesta manhã, o presidente Jair Bolsonaro falou sobre o novo contingenciamento anunciado pela equipe econômica, anunciado na noite de ontem.

Sobre o corte de R$ 2,25 bilhões em despesas e a diminuição de gastos na área social, Bolsonaro retrucou, afirmando que “não é corte, é contingenciamento” e que, se não fizer, poderá ser enquadrado na Lei de Responsabilidade Fiscal.

Crédito da imagem: Reprodução/Internet

“É pedalada, eu vou para o impeachment. Dá para entender? Eu não quero cortar ninguém. Sou um cara que não sou adepto a isso, mas um orçamento geralmente é superestimado, pessoal infla”, afirmou.

O presidente falou também que, apesar de torcer por uma queda na Selic, não exerce influência nessa questão, pois não é o “Dilmo de calças compridas”, indicando que a ex-presidente Dilma Rousseff interferia na política econômica.

It´s a match?

Após reunião com o ministro do STF, Luiz Fux no Palácio do Planalto, o presidente Jair Bolsonaro afirmou que a conversa é uma forma de aproximação, já que Fux será o próximo presidente da Corte. A posse do ministro deve ocorrer em setembro de 2020.

Luiz fux ministro STF

Ministro do STF Luiz Fux | Foto: Fellipe Sampaio/SCO/STF

“É o próximo presidente do STF, tenho que começar a namorá-lo a partir de agora”, disse Bolsonaro aos risos.

O ministro Fux  é o relator das duas ações penais em que  o presidente é acusado de injúria e incitação ao crime de estupro, no episódio em que disparou ofensas à deputada federal Maria do Rosário (PT-RS).