SulAmérica (SULA11) destaca o novo posicionamento estratégico da empresa

Felipe Moreira
Especialista em Mercado de Capitais e Derivativos pela PUC - Minas, com mais de 7 anos de vivência no mercado financeiro e de capitais. Apaixonado por educação financeira e investimentos.
1

Crédito: Divulgação / Wikipédia

O CEO da SulAmérica (SULA11), Gabriel Portella Fagundes Filho, reforçou o novo posicionamento estratégico da companhia, focado em riscos pessoais e com uma visão integral para apoiar os clientes em decisões que envolve a saúde física, emocional e financeira.

A fala do executivo ocorreu durante teleconferência de apresentação de resultados, nesta manhã de quinta-feira (6).

Portella ainda lembrou da aquisição da Paraná clínicas, uma das principais operadoras de saúde do Paraná, um importante movimento pra reforçar a posição da SulAmérica no Sul do Brasil, com o novo padrão de médio, bem menor do que o médio da companhia, expandindo o portfólio de produtos e também a participação de mercado.

BDRs| Aprenda mais sobre essa classe de Ativos

Além disso, a SulAmérica acelerou as inovações e serviços, principalmente no aplicativo de saúde, fazendo uso intensivo da tecnologia de medicina conectada para ampliar o atendimento aos beneficiários e alavancar a estratégia do cuidado coordenado, explicou Portella.

Aceleração dos atendimentos digitais

“Foram quase 70 mil atendimentos digitais, considerando médicos, plantonistas e teleconsultas agenda em diversas especialidades, só no mês de junho”, informou o executivo.

No segundo trimestre de 2020, foram mais de 170 mil atendimentos digitais. São números expressivos que mostram a adoção acelerada pelos usuários e um alto nível de satisfação.

De acordo com o CFO, Ricardo Bottas Dourado dos Santos, a SulAmérica segue investindo em aceleração digital.

Lucratividade

A SulAmérica (SULA11) reportou um lucro líquido de R$ 498,3 milhões no segundo trimestre de 2020. O desempenho é 91% superior ao registrado no mesmo período de 2019, com lucro de R$ 260,8 milhões.

O resultado financeiro totalizou R$69,9 milhões no segundo trimestre de 2020, redução de 39,1%.

Segundo a companhia, esse movimento é explicado por um menor resultado de investimentos, acompanhando a queda da taxa Selic.

A receita operacional somou R$ 5,59 bilhões no primeiro trimestre de 2020, alta de 2,8% na base anual.

Já receita de seguros totalizou R$ 5,38 bilhões no período, um aumento de 3,4%.

O índice de sinistralidade da SulAmérica atingiu 69,1% no segundo trimestre de 2020, uma redução de 11,7 pontos.

De acordo com a companhia, “em relação à sinistralidade, tivemos meses bastante atípicos no período com uma redução acentuada nas frequências de procedimentos eletivos (consultas, exames e cirurgias não urgentes), o que, no curto prazo, mais do que compensou os custos adicionais que tivemos relacionados ao diagnóstico e tratamento de beneficiários com COVID-19, aos quais atendemos em sua integralidade em parceria com nossa rede de prestadores.”