Substituto de Qassem Soleimani promete expulsar Estados Unidos da região

Paulo Amaral
Jornalismo é meu sobrenome: 20 anos de estrada, com passagens por grandes veículos da mídia nacional: Portal R7, UOL Carros, HuffPost Brasil, Gazeta Esportiva.com, Agora São Paulo, PSN.com e Editora Escala, entre outros.

Crédito: Reprodução/Shortpedia

Esmail Qaani, general que assumiu o lugar de Qassem Soleimani no comando da Força Quds, no Irã, não economizou palavras duras contra os Estados Unidos em seu primeiro comunicado oficial.

Segundo informações da Agência EFE, Qaani prometeu medidas drásticas para expulsar os Estados Unidos da região do Oriente Médio.

“Será Deus quem realmente se vingará dos EUA pelo valioso derramamento de sangue”, bradou. “Seguiremos o caminho do mártir Soleimani com firmeza e resistência e a única compensação para nós será expulsar os Estados Unidos da região”, emendou Qaani.

O discurso de ódio e o sentimento de vingança foi compartilhado por Amir Ali Hajizadeh, comandante da Força Aérea do Irã.

Segundo Hajizadeh, nem mesmo a morte de Donald Trump, presidente dos Estados Unidos, seria suficiente para estancar a sangria no coração do país.

“A vingança do mártir Soleimani não acabará lançando quatro mísseis, atacando uma base ou matando Trump. Quero dizer, nenhuma dessas ações tem o mesmo valor que o sangue desse mártir”.

Os Estados Unidos estão de prontidão para o caso de uma retaliação iraniana e já prometeram atacar 52 pontos estratégicos do país caso as ameaças saiam do discurso e passem para a prática.