Startups com recursos do Softbank realizam demissões

Jéssica De Paula Alves
Jornalista e produtora de conteúdo

Crédito: Divulgação

Várias startups que receberam recursos do Softbank estão fazendo demissões em massa, como a indiana Oyo ou a colombiana Rappi. De acordo com o site Neofeed, esse é um sinal de que agora a ordem é ajustar as contas.

Fundada pelo indiano Ritesh Agarwal, em 2013, a Oyo é uma das mais startups mais reluzentes em investimento no Softbank. Ela recebeu  recebeu US$ 1,5 bilhão do fundo liderado por Masayoshi Son e foi avaliada em US$ 10 bilhões, em 2019.

Posteriormente, a empresa gastou US$ 135 milhões para comprar o hotel Hooters Cassino. Essa foi uma parceria com a empresa de imóveis americana Highgate.

Mas, nos últimos meses, a Oyo perdeu mais de 65 mil quartos de hotéis. E também deixou mais de 200 pequenas cidades na Índia, segundo documentos obtidos pelo jornal americano The New York Times. Com isso, demitiu 1,8 mil profissionais na China e na Índia, no início deste ano.

Rappi

O aplicativo de entregas Rappi, da Colômbia, que recebeu um aporte de US$ 1 bilhão do Softbank. Mas cortou 6% de seus empregados na região. Igualmente a Zume, pizzaria americana que contava com pizzaiolos robôs e que recebeu US$ 375 milhões, está cortando 360 funcionários, mais de 50% de sua força de trabalho.

De acordo com o Neofeed, a Getaround, startup de compartilhamento de carros americana, está também demitindo 150 pessoas, aproximadamente 25% de seu staff, segundo o FT.

Além dessas, a Uber, que abriu o capital em maio do ano passado, e luta para ser lucrativa, anunciou cortes de 1,5 mil funcionários no ano passado. Sem se esquecer da WeWork, que também precisou demitir 2,5 mil funcionários em seu plano para se manter em atividade..

Uma das formas mais eficientes de identificarmos o nosso perfil de investidor, é realizando um teste de perfil.

Você já fez seu teste de perfil? Descubra qual seu perfil de investidor! Teste de Perfil

Procurado, o Softbank não fez comentários a essa reportagem. A Rappi, em nota, disse que “a empresa optou por reduzir algumas áreas e ampliar outras para atingir seus planos”. E acrescentou que o “Softbank é um dos nossos investidores mais importantes e eles estão envolvidos na decisão como parte do nosso conselho. No entanto, essa decisão foi feita pelo nosso time interno de líderes”.