Spotify: CEO vai investir € 1 bi de seu próprio dinheiro em startups na Europa

Fernando Augusto Lopes
Redator e editor
1

Crédito: Reprodução / Spotify

Daniel Ek é o CEO do Spotify. Ele vai investir € 1 bilhão do seu próprio dinheiro, e não da empresa, em startups europeias. O anúncio foi feito na quinta-feira (24), em uma palestra virtual. Ek prometeu a bolada para as “moonshots” do continente.

“Moonshots”, numa tradução livre, seria “voo à lua”, em referência àqueles projetos de tecnologia com soluções inovadoras e radicais, com tendência a crescer muito mais do que as startups “normais”.

Segundo a CNBC, entre os setores que Ek pretende investir estão saúde, educação e biotecnologia.

“Quero fazer a minha parte; todos nós sabemos que um dos maiores desafios é o acesso ao capital”, disse.

Para ele, é possível realizar o “sonho europeu”, em comparação ao “sonho americano” de empreender e ficar rico.

Frustração do CEO do Spotify

A Forbes estima que a fortuna pessoal de Ek em US$ 3,6 bilhões.

Ou seja, um terço de tudo o que ele tem seria para investir nesses projetos.

Não é benfeitoria, pura e simples. É business, investimento pensando em retorno.

Ek anda frustrado com o número de empresas europeias de tecnologia sendo compradas por rivais dos EUA.

As grandes de tecnologia são basicamente norte-americana: Apple, Alphabet (dona do Google), Microsoft, Facebook, Amazon, Netflix, e ainda há a Tesla, que também é de inovação.

É para lá que os grandes cérebros inovadores europeus vão, algo que Ek pretende barrar, injetando dinheiro no continente.

A CNBC lembra que um dos exemplos mais notáveis ​​de empresários europeus indo para os EUA é da gigante de pagamentos Stripe, cujos fundadores irlandeses foram para a Califórnia para construir sua empresa.

“Fico muito frustrado quando vejo empreendedores europeus desistindo de suas visões incríveis vendendo logo para empresas não europeias”, disse.

“Ou quando alguns dos mais promissores talentos de tecnologia da Europa saem porque não se sentem valorizados aqui”, completou.

Mais dinheiro

Em 2019, um recorde de US$ 34,3 bilhões foi para startups europeias.

Ek ainda acha pouco.

As empresas na região continuaram a levantar quantias substanciais de dinheiro este ano, com o serviço “compre agora, pague depois” Klarna levantando U$ 650 milhões.

Klarna se tornou o mais valoroso unicórnio da Europa. A empresa é avaliada em US$ 10 bilhões.

Há também o aplicativo de banco digital Revolut, que garantiu US$ 580 milhões em novos fundos.

Mas Ek está disposto a pegar projetos iniciais.

Ele disse que trabalhará com cientistas, investidores e governos para fazer seus investimentos.

Um fundo de US$ 1,2 bilhão (€ 1 bilhão) veria o fundador do Spotify competindo com fundos de risco bem estabelecidos como o Atomico – fundado pelo ex-CEO da Skype Niklas Zennström.

IPOs

Outro problema no ecossistema de tecnologia da região são as ofertas públicas iniciais (IPOs, na sigla em inglês).

O Spotify, com sede em Estocolmo, Suécia, está listado em Nova York há mais de dois anos, enquanto o mercado de luxo online Farfetch, com sede em Londres, também escolheu os Estados Unidos para sua estreia no mercado.

A Europa ficou para trás em termos de IPOs de tecnologia este ano.

Uma série de empresas de software estão abrindo o capital nos EUA, preterindo o velho continente.