SP teve melhor maio na venda de imóveis novos em 17 anos, diz sindicato

Felipe Alves
Jornalista com experiência em reportagem e edição em política, economia, geral e cultura, com passagens pelos principais veículos impressos e online de Santa Catarina: Diário Catarinense, jornal Notícias do Dia (Grupo ND) e Grupo RBS (NSC).
1

Foto: CRI são títulos lastreados em imóveis

O mercado imobiliário na capital paulista registrou o melhor desempenho dos imóveis residenciais novos para meses de maio dos últimos 17 anos, segundo pesquisa divulgada quinta-feira (24) pelo Secovi-SP – Sindicato da Habitação.

Em maio de 2021 foram lançadas 8.443 unidades residenciais, volume 77,4% superior ao apurado em abril (4.760 unidades). Além de ser 437,8% acima do total de maio do ano passado (1.570 unidades).

Em relação às vendas, a pesquisa mostrou que foram comercializadas em maio 5.883 unidades residenciais novas na cidade. Ou seja, 44,1% superior ao resultado de abril (4.083 unidades) e 144,6% maior do que o registrado em maio de 2020 (2.405 unidades).

“Este desempenho foi surpreendente, principalmente pelo fato de estarmos atravessando um momento de restrições de mobilidade, em virtude das regras de contingência do Plano São Paulo, para evitar a contaminação da covid-19”, disse Celso Petrucci, economista-chefe do Secovi-SP.

Acumulado de 2021

No acumulado no ano, de janeiro a maio, foram 23.098 unidades comercializadas e 20.174 unidades lançadas na cidade de São Paulo. Assim, em comparação com os dados de 2020, as variações foram de 66,0% nas vendas e de 166,5% nos lançamentos

Quer começar o dia bem-informado com as notícias que vão impactar o seu bolso? Clique aqui e assine a newsletter EQI HOJE!

No acumulado de 12 meses (junho de 2020 a maio de 2021), os lançamentos na capital paulista somaram 72.582 unidades. Ou seja, 15,7% acima das 62.727 unidades lançadas no período anterior (junho de 2019 a maio de 2020).

Já as 60.602 unidades comercializadas representaram um aumento de 20,5%, também no acumulado de 12 meses, em relação ao período anterior, quando foram negociadas 50.285 unidades.

O Secovi-SP destacou o comportamento do mercado de alto e médio padrão, que se superou em relação aos imóveis econômicos, respondendo por 65% dos lançamentos e por 52% das vendas do mês.

Os econômicos registraram, em maio, a comercialização de 2.823 unidades e o lançamento de 2.985 unidades. Já no segmento de mercado de médio e alto padrão, a pesquisa identificou 3.060 unidades vendidas e 5.458 unidades lançadas.

A capital paulista encerrou o mês de maio com a oferta de 45.154 unidades novas disponíveis para venda. Assim, a quantidade de imóveis ofertados ficou 6,2% acima da registrada em abril (42.508 unidades) e 39,2% acima do volume de maio de 2020 (32.438 unidades). O número é composto por imóveis na planta, em construção e prontos, lançados nos últimos 36 meses.

“Apesar do cenário desafiador, com aumento da taxa Selic, da inflação e dos insumos da construção, as condições e a oferta de imóveis continuam atrativas para o consumidor”, avalia Basilio Jafet, presidente do Secovi-SP. Mas, segundo Kallas, está difícil para o empreendedor fechar a conta, e a alta no valor dos insumos inevitavelmente pressionará os custos e terá de ser repassada para os preços dos imóveis.