S&P eleva Ratings do BTG Pactual (BPAC11) para “brAAA”

Felipe Alves
Jornalista com experiência em reportagem e edição em política, economia, geral e cultura, com passagens pelos principais veículos impressos e online de Santa Catarina: Diário Catarinense, jornal Notícias do Dia (Grupo ND) e Grupo RBS (NSC).
1

Crédito: Divulgação

A agência de classificação de risco Standard & Poor’s Global Ratings (S&P) elevou nesta quarta-feira (09) o rating de crédito emissor de longo prazo do BTG Pactual (BPAC11) de ‘brAA+’ para ‘brAAA’;

A agência ainda reafirmou o rating emissor de curto prazo ‘brA-1+’ para o banco.

Atingir um patrimônio de R$ 100 mil é para poucos, saiba quais são as melhores atitudes e aplicações para multiplicá-lo

“Em nossa visão, a qualidade de crédito do Banco BTG Pactual melhorou em 2020, como resultado de sua maior diversificação de funding (captação de recursos), menor dependência de investidores institucionais e de um forte aumento nos depósitos de clientes graças à sua franquia mais saudável”, afirma a S&P.

A empresa ainda reafirmou os ratings de crédito emissor de longo e curto prazos do BTG para “BB-/B” na escala global.

Ainda foi revisado para cima o perfil de crédito individual (SACP – stand-alone credit profile) do BTG Pactual, de “bb-“ para “bb”. A perspectiva dos ratings de crédito emissor de longo prazo em ambas as escalas é estável.

Ainda foram elevadas na Escala Nacional Brasil os ratings de crédito de emissor de longo prazo das subsidiárias core do BTG Pactual, o Banco Pan e o BTG Pactual Seguros, de “brAA+” para “brAAA”. “A perspectiva dos ratings de crédito de emissor de longo prazo em ambas as escalas é estável”.

Expectativa positiva para os próximos 12 meses

Segundo a S&P, a expectativa é que o BTG Pactual continue fortalecendo seu perfil de funding nos próximos dois anos ao elevar a participação dos depósitos de clientes dos segmentos corporate e varejo, enquanto continua implantando sua estratégia de banco digital com foco em relacionamentos de longo prazo com os clientes, apoiada por seus serviços de alta qualidade prestados a pessoas de alta renda e ao segmento corporate.

A agência diz que a perspectiva dos ratings de emissor de longo prazo do BTG é estável. E espera que nos próximos 12 meses o banco mantenha desempenho financeiro resiliente graças ao balanço patrimonial flexível, à estrutura de custos sólida e à experiência de sua equipe de administração.

“Além disso, a perspectiva reflete aquela atribuída ao nosso rating de crédito soberano na escala global do Brasil (BB-/Estável/B) e a nossa expectativa de que os ratings do banco se moverão em conformidade com os do país devido à sua alta exposição ao mercado doméstico”, diz a S&P.

Planilha de Ativos

Um dos principais exercícios para a compra de uma ação é saber se ela está cara ou barata. Para isso, preparamos um material especial para ajudá-lo nesta análise.