Soja: comercialização da nova safra avança 41,6%, aponta Datagro

Marcello Sigwalt
null

Crédito: Site Dinheiro Rural

No rastro da expansão vertiginosa do agronegócio, a comercialização da safra nova de soja Brasil, a ser plantada em setembro próximo, registrou avanço de 41,6% da produção esperada, percentual recorde para o período, indicou a consultoria Datagro, segundo a agência Reuters.

Em outras palavras, considerando a intenção maior de plantio na safra 2020/21, que prevê uma produção de 131,9 milhões de toneladas, o comprometimento antecipado já estaria chegando a 54,8 milhões de toneladas.

Acima da média

Esse resultado representa uma elevação de cinco pontos percentuais sobre o mês anterior (36,2%) e bem superior ao registrado em igual mês de 2019 (20,1%) e muito acima da média de cinco anos (18,6).

Ferramenta ajuda na escolha de suas ações de acordo com balanços

Com base na intenção maior de plantio (safra 2020/21) para uma produção de 131,69 milhões de toneladas, o comprometimento antecipado já é de 54,80 milhões de toneladas, estimou a Datagro.

O novo impulso, deflagrado pela alta de preços, em julho último, fez os produtores a avançarem na comercialização da atual safra. “Na verdade, é um avanço acumulado ao longo do mês, refletindo as cotações”, afirmou o coordenador da Datagro Grão, Flávio Roverto de França Júnior.

Ritmo cai

Em contrapartida, diminuiu o ritmo da comercialização da safra velha (2019/20), nas últimas semanas, à medida que a maior parte da safra ia sendo vendida.

Já no período até 7 de agosto, o comprometimento pelos produtores atingiu 94,3% da produção – 117,37 milhões de toneladas na temporada atual – o que representa uma expansão acima de três pontos percentuais, no comparativo para o período até 7 julho (91,2%).

Esse resultado, porém, ficou cinco pontos percentuais abaixo da variação de padrão mensal.

Salto de sete pontos

No caso específico do milho, a comercialização do milho de verão (safra 2019/20) no centro-sul do Brasil acusou expansão de 88,8% da produção esperada até o dia 7 de julho, o que equivale a uma alta de sete pontos percentuais sobre o último levantamento da Datagro (82%).