Socorro ao setor elétrico traz dúvidas; confira outros destaques do dia

Marcelo Hailer Sanchez
null
1

Crédito: Pixabay

O decreto que prevê socorro as companhias elétricas trouxe mais dúvidas do certezas.

De acordo com levantamento do Valor, o principal ponto de discórdia é sobre o montante a ser liberado.

A princípio, as empresas do setor elétrico acreditam que o montante liberado será menor que R$ 17 bilhões.

Por fim, as companhias aguardam que as incertezas sejam resolvidas pela Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel).

Presidente do Itaú defende juros baixos no pós-crise

De acordo com Candido Bracher, presidente do Itaú Unibanco, o enfrentamento à pandemia exige o uso recursos públicos.

Porém, Bracher acredita que para isso é necessário taxas de juros baixas por um longo período pós-pandemia.

Todavia, é preciso que fique claro para os investidores de que a dívida pública não estourar, disse em live do Valor.

Bolsa abre em alta

O Ibovespa abriu a quarta-feira (20) em alta de 1,25%, aos 81.749,66 pontos, em linha com o exterior.

O dólar comercial está em queda de 0,46%, cotado a R$ 5,72.

 

Ministros querem apoio do centrão às privatizações

Os ministros da economia, infraestrutura e ciência pediram ao presidente Bolsonaro apoio à agenda de privatizações.

De acordo com reportagem da Folha de S. Paulo, os ministros pedem que Bolsonaro articule apoio do centrão ao projeto de “desestatização”.

Por fim, Guedes (economia), Pontes (Ciência) e Freitas (infra) acreditam que o centrão pode trazer novo engajamento em torno da agenda.

Bolsa fecha com de 0,56%

Principal índice da bolsa brasileira, fechou o pregão desta terça-feira (19) com queda de 0,56%, aos 80.742 pontos, acompanhando os mercados em Nova York.

Na mínima, o índice atingiu 80.647 pontos (-0,67%) e, na máxima, 82.174 pontos (+1,21%).

Das 75 ações que compõem o índice, 45 fecharam em baixa, 29 em alta e uma estável.

Instituições financeiras vão funcionar durante o feriado

Prefeito de São Paulo, Bruno Covas declarou na manhã de ontem (19), em coletiva, que as instituições financeiras podem funcionar.

No início da tarde foi confirmada que tanto a B3 quanto os bancos vão operar normalmente dias 20,21,22 e 25 de maio.

Significa dizer que mesmo sendo feriado ou ponto facultativo na cidade de São Paulo, a Bolsa brasileira terá seus pregões ocorrendo normalmente.

Via Varejo (VVAR3) processa GPA (PCAR3) por garantias

Ação envolve indenização de R$ 50 milhões a prestador de serviços do Ponto Frio e pode levar à arbitragem, informa o Valor.

O processo exige que o GPA exerça a função de garantidor numa ação indenizatória de R$ 50,5 milhões.

Política

Eleições municipais podem ser adiadas para o fim do ano

Avança no Congresso Nacional a tese de que as eleições municipais sejam adiadas.

Porém, é consenso que elas devem ocorrer ainda este ano.

Por fim, uma das propostas com mais apoio é que o primeiro turno seja realizado em novembro.

Saúde sem ministro: Brasil tem mais de mil mortes em 24h

Enquanto o Ministério do Brasil segue sem ministro, o Brasil atingiu ontem a marca de 1.179 morte por Covid-19.

Ao mesmo tempo, o ministro interino, general Eduardo Pazuello, revelou que nomeou 9 militares para a pasta.

Governo federal autoriza uso da cloroquina

De acordo com documento publicado pelo governo Federal na manhã desta quarta-feira (20), a cloroquina está liberada para uso em todas as etapas de combate ao Covid-19.

Segundo o protocolo do Ministério da Saúde, a prescriçao fica a carga do médico.

Por fim, a novidade é que o protocolo libera o uso no Sistema de Único de Saúde (SUS).

A polêmica em torno da cloroquina foi o que motivou o saída de Nelson Teich.

Segundo pesquisadores da áera de saúde, não há comprovação da eficácia do medicamento.

Por fim, alguns sanitaristas também afirmam que, se usado sem cuidado, pode acarretar outros problemas ao paciente.

Regina Duarte deixa Sec. da Cultura

O governo Federal divulgou nesta manhã que a atriz Regina Duarte foi demitida da Sec. de Cultura.

Dessa maneira, especula-se que a atriz assuma o comando da Cinemateca Brasileira.

Por fim, o ator Mário Frias deve assumir o cargo que era de Regina Duarte.