Sinqia (SQIA3) reverte prejuízo e lucra R$ 443 mil no 1TRI20

Felipe Alves
null
1

Crédito: Sinqia/Divulgação

A Sinqia (SQIA3) registrou um lucro líquido de R$ 443 mil no primeiro trimestre deste ano, revertendo o prejuízo líquido de R$ 2,3 milhões do primeiro trimestre de 2019.

O lucro antes dos juros, impostos, depreciação e amortização (Ebitda , na sigla em inglês) ajustado caiu 5,7%. Saiu de R$ 3,58 milhões de janeiro a março de 2019 para R$ 3,38 milhões no último trimestre.

A margem EBITDA Sinqia ajustada também caiu, de 9,3% (primeiro trimestre de 2019) para 7% agora.

A receita líquida da empresa teve um aumento de 26,2%, de R$ 38,5 milhões para R$ 48,6 milhões. O valor é recorde para a Sinqia, de acordo com a empresa. O resultado é decorrente, segundo a Sinqia, do aumento decorrente do crescimento orgânico (+13,2%) e inorgânico (+13%).

As despesas gerais e administrativas da empresa foram de R$ 12,5 milhões, aumento de 3% em relação ao primeiro trimestre de 2019.

Neste período, a Sinqia também teve um aumento do número de clientes. No primeiro trimestre de 2019 eram 321 e, agora, são 351.

Resultados Sinqia 1ºTri20

 

Impacto do coronavírus

Segundo a Sinqia, a pandemia do coronavírus trouxe quatro consequências para a empresa. A primeira foi retração das vendas a partir da segunda metade de março. A segunda consequência foram os efeitos irrelevantes sobre a receita, os custos, o lucro bruto e as despesas. A Sinqia diz ainda que a pandemia trouxe efeitos irrelevantes sobre o contas a receber, cuja variação se deve a causas operacionais. E também houve antecipação do investimento para aquisição de notebooks visando o home office.

 

Sinqia tem caixa de R$ 340 milhões

A empresa destaca que está em uma situação financeira confortável, com caixa bruto de R$ 340 milhões. E afirma que diante das incertezas do mercado, está avaliando os impactos sobre o pipeline de fusões e aquisições e adotando uma postura mais conservadora para manter a liquidez elevada e a alavancagem baixa.

Em 2019, a Sinqia fechou o ano com prejuízo de R$ 4,6 milhões.