Setor calçadista prevê crescimento de 12% na produção em 2021

Matheus Miranda
Colaborador do Torcedores
1

Crédito: Reprodução/Pixabay

O setor calçadista prevê um crescimento na produção de 12% em 2021, ao passo que a exportação deve avançar 13%. Os dados foram divulgados pela Associação Brasileira das Indústrias de Calçados (Abicalçados). Esse cenário de recuperação é observado com um esperado recrudescimento da pandeia da covid-19.

Em previsão anterior, em janeiro, o setor previa um crescimento de 14,1% na produção e de 14,9% na exportação.

Porém, o ano de 2020 apresentou números pessimistas. A produção de calçados caiu 18,4%, somando 764 milhões de pares, retomando a um patamar de 15 anos atrás. A exportação, que responde por 14% das vendas, caiu 18,6%, para 93 milhões de pares, pior número em quase 40 anos.

Setor calçadista: retomada se dará no segundo semestre

O esperado é que a retomada do setor ocorra a partir do segundo semestre. Isso porque o primeiro semestre ainda será difícil. Priscila Linck, coordenadora de Inteligência de Mercado da Abicalçados, explicou que os níveis produtivos ainda devem encerrar o ano abaixo do período pré-pandemia.

Segundo ela, mesmo crescendo na casa de 12% em 2021, a indústria calçadista deve terminar o ano, no cenário mais otimista, 7% menor do que em 2019.

Retomada mais difícil

Em apresentação online promovida pela associação, o doutor em Economia Marcos Lélis falou sobre a retomada do setor. De acordo com ele, a dificuldade de retomada, especificamente para o setor calçadista, passa pelo mercado doméstico, que representa mais de 85% das vendas do segmento.

Isso porque a taxa de desemprego elevada, em mais de 14%, somada ao endividamento das famílias brasileiras, na casa de 67%, dificultam a retomada do consumo”, comentou.

O papel dos auxílios emergenciais, que seguraram, em parte, a queda na demanda em 2020, também deve diminuir, passando de 4% para 0,6% do PIB brasileiro, o que também deve impactar na recuperação da atividade.

O economista ressaltou ainda que o Brasil deve levar mais tempo para sair da crise econômica. Especialmente em comparação com alguns dos seus principais concorrentes no setor calçadista.

A China, por exemplo, cresceu 2,4% no ano passado, enquanto o Brasil viu seu PIB cair em 4,1%. Em 2021, contando com um segundo semestre de retomada mais substancial na demanda, o Brasil pode crescer 3,7%. Já a China, deve crescer 8,4%.