Serasa diz que são mais de 6 milhões empresas com contas em atraso

Fernando Augusto Lopes
Redator e editor

Crédito: Divulgação / AcidadeOn

A Serasa Experian divulgou nessa segunda-feira (2) um balanço da inadimplência das pessoas jurídicas em 2019 e constatou que em dezembro elas chegaram a 6,1 milhões, um recorde na série histórica iniciada em março de 2016. “O aumento foi de 9,5% com relação ao mesmo período do ano anterior, com cada empresa tendo, em média, 9 dívidas”, diz a especialista em análises e informações para decisões de crédito.

“Quando comparado com novembro/19, o crescimento foi de 1,6%. A maior parte das dívidas vencidas e não pagas ocorreu em instituições fora do setor financeiro (78%)”, informa.

Em novembro, eram 6.045.328 empresas com dívidas. Em dezembro, esse número pulou para 6.143.333. É um número que só vem crescendo: em dezembro de 2018, eram 5.610.034. Em um ano, só houve uma quase imperceptível queda de janeiro para fevereiro de 2019, de 0,05%. Depois, só aumento.

Por setor

O economista da Serasa Experian, Luiz Rabi, explica que os dados se devem ao aumento do crédito mercantil: “a redução dos juros ainda não foi totalmente refletida no sistema financeiro, o que acaba prejudicando principalmente as pequenas empresas. Isso faz com que eles busquem melhores alternativas, como os acordos entre empresas, para acessar o crédito. Porém, com o crescimento econômico abaixo do esperado, este grupo de empreendimentos não consegue honrar os compromissos e engrossa a lista de devedores negativados”.

O setor de Serviços, com 50,2%, responde pelo maior número de endividados. Foi também o setor que teve ainda a maior variação de representatividade entre um ano e outro, de 1,3 ponto percentual – em dezembro de 2018, o número era de 48,9%.

Já o Comércio teve queda de 1,3 ponto percentual nesse mesmo período analisado, indo de 41,7% no último mês de 2018 para 40,4% em dezembro de 2019. A Indústria, que responde a 8,2% das endividadas, se manteve estável no período comparado.

Por região

A região Sudeste do país ainda concentra o maior número de endividadas. São 54,8%. De novembro de 2918 a novembro de 2019, houve uma variação de 8,7%.

Logo depois, vem a região Sul, com 16% do total de empresas em situação de dívidas e um aumento de 15,5% no período analisado, o maior entre as cinco regiões.

Segundo o Serasa, o Nordeste responde por 15,% das empresas nessa condição, com variação de 7,7% no universo temporal de análise. A Centro-Oeste tem 8,7% das empresas com dívidas e de novembro a novembro viu um acréscimo de 10,4%. Por fim, a região Norte tem 5,1% do montante de empresas inadimplentes, com variação em 12 meses, de novembro a novembro, de 5,2%.

LEIAS MAIS
Cai parcela de famílias endividadas em fevereiro, diz CNC

Dívida Pública começa superavitária mas cenário ainda é incerto