EUA: pedidos por seguro-desemprego vêm melhor do que projeção do mercado

Cláudia Zucare Boscoli
Jornalista formada pela Cásper Líbero, com pós-graduação em Jornalismo Econômico pela PUC-SP, especialização em Marketing Digital pela FGV e extensão em Jornalismo Social pela Universidade de Navarra (Espanha), com passagens por IstoÉ Online, Diário de S. Paulo, O Estado de S. Paulo e Editora Abril.
1

Os novos pedidos por seguro-desemprego nos EUA totalizaram 498 mil na semana, ante 590 mil da semana passada (revisados dos 553 mil anunciados anteriormente).

Esta é a primeira vez, desde o início da pandemia, que os pedidos ficam abaixo de 500 mil na semana.

Atingir um patrimônio de R$ 100 mil é para poucos, saiba quais são as melhores atitudes e aplicações para multiplicá-lo

O resultado foi divulgado nesta quinta-feira (6) pelo Departamento de Trabalho. E veio melhor do que o aguardado pelo mercado, que eram 540 mil reivindicações. A queda significa que menos pessoas estão sem trabalho nos EUA. Informação que tende a ser reforçada na sexta-feira (7), com a divulgação do payroll, a folha de pagamentos não-agrícola oficial do país.

A média móvel dos pedidos de seguro-desemprego feitos nas últimas quatro semanas caiu em 61 mil, ficando em 560 mil pedidos.

O número total de pessoas que estavam recebendo seguro-desemprego do
governo norte-americano na semana encerrada em 24 de abril subiu em 37 mil, para
3,69 milhões.

Planilha de Ativos

Um dos principais exercícios para a compra de uma ação é saber se ela está cara ou barata. Para isso, preparamos um material especial para ajudá-lo nesta análise.

seguro-desemprego

Reprodução/Departamento do Trabalho