Secretário Especial de Fazenda credita alta do PIB ao acerto da política de ajuste fiscal

Paulo Amaral
Jornalismo é meu sobrenome: 20 anos de estrada, com passagens por grandes veículos da mídia nacional: Portal R7, UOL Carros, HuffPost Brasil, Gazeta Esportiva.com, Agora São Paulo, PSN.com e Editora Escala, entre outros.
1

Crédito: Agência Brasil

Waldery Rodrigues, secretário Especial de Fazenda do ministério da Economia, creditou aos acertos da política de ajuste fiscal do governo os bons números do PIB (Produto Interno Bruto) divulgados em relatório do IBGE e referentes ao terceiro trimestre de 2019.

De julho a setembro deste ano, o PIB mostrou um crescimento de 0,6% em relação aos três meses anteriores e de 1,2% em comparação ao mesmo período de 2018. Os investimentos também registraram aumento de 2% e 2,9% em comparação aos mesmos períodos.

“São números extremamente importantes. Mostram que zelar pela política fiscal, controlar despesas, buscar um equilíbrio nas contas públicas têm alto retorno para a sociedade. A economia crescendo, tendo uma nova dinâmica, responde positivamente naquilo que mais interessa: emprego e renda”, declarou, à Agência Brasil.

O próximo passo para manter o ritmo de crescimento e elevar ainda mais as projeções do PIB no País é, na visão de Waldery Rodrigues, conseguir a aprovação das três propostas de emenda à Constituição (PECs) que reformulam o pacto federativo – relação entre a União e os governos locais.

“É um PIB de mais qualidade e um PIB colocado sob assertiva, sob trabalho transparente, conservador e com zelo fiscal. A intenção das três PECs do pacto federativo é exatamente termos o governo federal, os governos estaduais e municipais caminhando em direção à sustentabilidade fiscal. A Federação brasileira sairá fortalecida ao longo deste governo”, concluiu.