Mnuchin aposta que acordo com a China impulsionará economia global

Paulo Amaral
Jornalismo é meu sobrenome: 20 anos de estrada, com passagens por grandes veículos da mídia nacional: Portal R7, UOL Carros, HuffPost Brasil, Gazeta Esportiva.com, Agora São Paulo, PSN.com e Editora Escala, entre outros.
1

Crédito: Crédito: Reprodução/iStock Photos

O fechamento do acordo comercial entre Estados Unidos e China dará um impulso na economia global. Essa é a visão de Steven Mnuchin, secretário do Tesouro do governo norte-americano, empolgado com o acerto da “fase um” da negociação entre os dois países.

O acordo firmado na última sexta-feira (13) reduz algumas tarifas dos EUA em troca de o que autoridades norte-americanas disseram que será um grande aumento de compras chinesas de produtos agrícolas do país.

Em reportagem publicada pelo site Money Times, Mnuchin afirmou que o acordo com a China visa a criação de mais relações comerciais recíprocas para os próximos anos e que isso será “muito bom para o crescimento global”.

Simule o rendimento de seus investimentos em Renda Fixa e calcule retorno das aplicações

“Esperamos que ele seja totalmente executado em janeiro. Aí vamos para a fase dois”, afirmou Mnuchin, durante o Fórum de Doha, no Catar.

“A questão mais importante é que vamos garantir que implementemos a fase um com um acordo executável, o que ele é. E aí começamos a negociar a fase dois”, emendou.

Segundo o secretário do governo norte-americano, a fase dois poderá ser subdividida em vários pontos por ter muitas questões remanescentes importantes. Seriam, conforme Mnuchin, a “fase dois A”, “fase dois B” e “fase dois C”.