Saudi Aramco adia preços do petróleo de maio para depois da reunião da Opep

Regiane Medeiros
Economista formada pela UFSC. Produz conteúdo na área de mercado de capitais, finanças pessoais e atualidades.
1

Crédito: Reprodução/Pixabay

A estatal saudita Saudi Aramco, uma das maiores petrolíferos do mundo, anunciou que vai adiar a divulgação da lista mensal de preços (OSP, em inglês) do petróleo para até 10 de abril.

Dessa forma, os preços para maio serão divulgados somente após o resultado da reunião entre Opep e aliados (Opep+).

O encontro, marcado para a próxima quinta-feira (9), vai deliberar sobre a possibilidade de novo corte global na oferta de petróleo.

“É uma medida que nunca foi tomada pela Aramco. Os OSPs de maio dependerão da conclusão da reunião da Opep+. Estamos fazendo o possível para torná-la bem-sucedida, incluindo a tomada de uma medida extraordinária para atrasar os OSPs”, declarou a fonte da Arábia Saudita. As informações são da Reuters.

Via de regra, a Saudi Aramco divulga seus OSPs até o dia 5 de cada mês, definindo com isso a tendência para os preços de Irã, Kuwait e Iraque, com impacto sobre mais de 12 milhões de barris de petróleo por dia.

No dia 30 de março os preços do petróleo atingiram a mínima histórica em 18 anos devido a forte queda na demanda causada pelo isolamento social provocado pela expansão da Covid-19. Além disso, a queda nos preços da commodity foi acentuada pela dificuldade de acordo sobre a restrição na produção entre Arábia Saudita e Rússia.

A Opep+  busca um acordo para reduzir a produção de petróleo a cerca de 10% da oferta mundial, equivalente a 10 milhões de barris por dia.

A reunião, inicialmente marcada para a segunda-feira (6) foi adiada apesar da pressão do presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, para que a Opep e Opep+  estabilizem de forma urgente os mercados mundiais de petróleo.