Saraiva (SLED4) diz que pedido de falência vem em protesto de fornecedora

Felipe Alves
Jornalista com experiência em reportagem e edição em política, economia, geral e cultura, com passagens pelos principais veículos impressos e online de Santa Catarina: Diário Catarinense, jornal Notícias do Dia (Grupo ND) e Grupo RBS (NSC).
1

Crédito: Divulgação / Humberto Souza / Saraiva

Em resposta enviada à B3 (B3SA3) sobre pedido de falência publicado no jornal Valor Econômico, a Saraiva Livreiros (SLED4), afirmou que o requerimento se origina de protesto de títulos procedido pela Culturama, fornecedora de produtos e serviços de sua controlada, Saraiva e Siciliano, que somam R$ 224,058 mil, segundo o BDM Online.

A Saraiva, que está em recuperação judicial, afirma que o processo foi distribuído junto à 2ª Vara de Falências e Recuperações Judiciais da Comarca de São Paulo, Estado de São Paulo.

A companhia informa que o varejo ainda não foi citado no referido processo judicial. Assim, as informações que possui são aquelas extraídas das petições iniciais dos pedidos de falência às quais teve acesso.

Conquiste sua Independência Financeira. Conheça os 4 Pilares para Investir

Por fim, a Saraiva informou, preliminarmente e com fundamento apenas nas informações a que teve acesso por meio virtual, que se o varejo for demandado a arcar com os valores objeto dos referidos pedidos de falência, tais pagamentos não afetarão a solvência do varejo ou da companhia.

Even (EVEN3) vende hotel Fasano

A Even (EVEN3) informou que a subsidiária da Companhia, Taperebá Empreendimentos Imobiliários, assinou, em 12 de janeiro de 2021, as escrituras de compra e venda nos termos do qual a Taperebá alienou alguns imóveis do Condomínio Pedroso Alvarenga, localizado na capital de São Paulo.

Dessa forma, o Fundo Pompeia adquiriu o Subcondomínio 02 – Hotel – e o Subcondomínio 04 – Restaurante, pelo montante de R$ 280 milhões.

Já o Fundo Ibiza, adquiriu 32 unidades autônomas dos Studios, integrantes do Subcondomínio 03 por R$ 30 milhoes.

A operação foi realizada com a aprovação do Conselho de Administração da Companhia.