Saques superaram depósitos em R$ 3,5 bilhões na poupança em fevereiro

Regiane Medeiros
Economista formada pela UFSC. Produz conteúdo na área de mercado de capitais, finanças pessoais e atualidades.
1

Crédito: Pixabay

O Banco Central (Bacen) divulgou na quinta-feira (5) o relatório referente aos saques da poupança para fevereiro.

Conforme o comunicado, em fevereiro os investidores retiraram R$ 3,57 bilhões a mais do que depositaram na aplicação. O saldo em poupança no mês passado estava em R$ 834,43 bilhões, contra R$ 835,614 bilhões em janeiro.

Em fevereiro de 2019 a diferença entre retiradas e depósitos foi de R$ 4,02 bilhões. As informações são da Agência Brasil.

Já em 2016, em meio a recessão econômica, foi registrado recorde nos saques para meses de fevereiro, em R$ 6,64 bilhões.

Os dois primeiros meses do ano costumam apresentar altos índices de saques da aplicação, tendo em vista os gastos típicos de início de ano, como impostos e material escolar.

Ano

Até o ano de 2014, o movimento na caderneta de poupança era maior para os depósitos. Desse modo, naquele ano as captações líquidas registraram R$ 24 bilhões.

Em 2015, com o início da recessão econômica os investidores passaram a sacar dinheiro para fazer frente a dívidas, em meio a um cenário de queda da renda e de aumento de desemprego. Assim sendo, foi registrado saques da poupança em R$ 53,57 bilhões no ano de 2015, refletindo a maior retirada líquida da história.

O mesmo comportamento foi verificado em 2016, quando os saques superaram os depósitos em R$ 40,7 bilhões.

Já em 2017, o movimento tomou direção contrária e os depósitos excederam as retiradas em R$ 17,12 bilhões. Do mesmo modo, em 2018 as captações líquida registraram R$ 38,26 bilhões. Já em 2019, a poupança registrou captação líquida de R$ 13,23 bilhões.

Com a Selic em 4,25% ao ano, o investimento em poupança está cada vez menos atrativo. Isso porque a rentabilidade da aplicação é calculada sobre rendimento de 70% da Taxa Selic.

De acordo com o Bacen, nos últimos 12 meses a caderneta de poupança rendeu 3,76%. No mesmo período, o Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo-15 (IPCA-15), que serve como prévia da inflação oficial, atingiu 4,21%.