Santos Brasil (STPB3) se consagra como o grande vencedor do leilão de terminais portuários

Karin Barros
Colaborador do Torcedores
1

Crédito: Reprodução Página Oficial Santos Brasil

Nesta sexta-feira (9) houve o leilão de cinco terminais portuários, encerrando a semana de leilões de infraestrutura do governo federal, a Infra Week. Dos cinco ativos, segundo o Valor Econômico, a Santos Brasil (STPB3) ficou com três e se consagra como o grande vencedor do dia.

Quatro deles no Porto do Itaqui (MA), destinados à movimentação de granéis líquidos, e um terminal de carga geral, em Pelotas (RS).

A companhia comemorou a vitória no leilão e já indicou que o interesse em novos ativos não se esgotou.

“Estamos preparados para os próximos”, disse Daniel Dorea, diretor financeiro do grupo, em seu discurso na batida de martelo.

Plano de diversificação

Os novos investimentos fazem parte do plano de diversificação do grupo. Conforme a companhia, a operação ainda é bastante focada na movimentação de contêineres, no Porto de Santos (SP).

Com o objetivo de ampliar sua área de atuação, foi realizada uma oferta subsequente de ações, em setembro de 2020. Esta levantou R$ 790 milhões.

Resultados do leilão

Dos terminais ofertados, a Santos Brasil venceu a disputa pelo terminal de granéis líquidos IQI 03, no Porto de Itaqui (MA).

O grupo fez um lance de R$ 61,3 milhões, que representou um ágio de 44,24% em relação ao preço mínimo definido em edital.

Além do grupo, participou da disputa a Empresa Brasileira de Terminais e Armazéns Gerais (Aegeo).  O lance feito foi de 50 milhões, um ágio de 17,65%.

A companhia teve oportunidade de aumentar sua oferta em disputa por viva-voz, contudo, não deu lances adicionais.

Setor de granéis líquidos

No local, já existe uma operação da Ipiranga, mas o lote que será ofertado inclui também uma área adicional que terá que ser construída.

O leilão marca a entrada da Santos Brasil no setor de terminais de granéis líquidos.

A companhia, que já havia manifestado seu interesse no setor, está capitalizada e vem trabalhando na diversificação de sua atuação, ainda focada na movimentação de contêineres no Porto de Santos (SP).

A Santos Brasil também arrematou o terminal de granéis líquidos IQI 11, no Porto de Itaqui (MA).

O grupo foi o único interessado no ativo e ofereceu um lance de R$ 56 milhões, um ágio de 15,04% em relação ao preço mínimo definido em edital.

O terminal tem área de 33.607 m² e é atualmente operado pela Petróleo Sabbá (Raízen), por meio de um contrato de transição.

O novo arrendamento, de 20 anos, prevê de R$ 133,3 milhões de investimentos.

A companhia, que já havia manifestado seu interesse no setor de combustíveis, está capitalizada e vem trabalhando na diversificação de sua atuação, ainda focada na movimentação de contêineres no Porto de Santos (SP).

Terminal de Itaqui

Na disputa pelo terminal IQI 12, em Itaqui (MA), a Santos Brasil também saiu vitoriosa ao oferecer um lance de R$ 40 milhões.

Além da companhia, participou da concorrência a empresa Terminal Quimico de Aratu (Tequimar).

O grupo chegou a fazer a maior oferta inicial, de R$ 37,54 milhões. Entretanto, sua proposta foi superada pela Santos Brasil na etapa de viva-voz.

O novo terminal, que ainda será construído, terá uma área de 38.683 m². Haverá uma demanda de investimentos de R$ 177,3 milhões, ao longo de 20 anos de contrato.

Com oferta de R$ 59 milhões, a Tequimar (Terminal Químico de Aratu) venceu a disputa pelo terminal de granéis líquidos IQI 13, no Porto de Itaqui (MA).

A vitória veio após uma disputa acirrada com a Santos Brasil, durante a etapa de viva-voz.

Novo terminal

Por fim, a Santos Brasil, que já havia arrematado os outros três terminais hoje, terminou com uma oferta de R$ 58 milhões.

Além disso, o novo terminal, que ainda será construído, terá uma área 32.078 m². O total de investimentos que serão recebidos fica em R$ 178,5 milhões.

O arrendamento terá duração de 20 anos. O presidente da Ultracargo (dona da Tequimar), Décio Amaral, celebrou o novo contrato.

“Hoje é mais um dia de consolidação do crescimento da empresa em um porto super relevante, gerando crescimento ao nosso agronegócio”, afirmou.

Ele também felicitou a entrada da Santos Brasil no setor e disse que o grupo ajudará a“elevar o sarrafo” dos serviços.

Única interessada, a CMPC Celulose Riograndense arrematou o terminal PEL 01, no porto de Pelotas (RS), destinado à movimentação de carga geral, principalmente madeira.

Por fim, o grupo ofereceu um lance de R$ 10 mil. Estão previstos investimentos de R$ 16 milhões, e o contrato terá 10 anos.