Santander (SANB11): lucro sobe 82,7% ante 2TRI20, acima da expectativa

Regiane Medeiros
Economista formada pela UFSC. Produz conteúdo na área de mercado de capitais, finanças pessoais e atualidades.
1

Crédito: Santander

O Santander (SANB11) Brasil registrou um lucro líquido gerencial de R$ 3,902 bilhões no terceiro trimestre, um desempenho 82,7% superior ao reportado no segundo trimestre, de R$ 2,136 bilhões.

Com isso, o resultado ficou acima das expectativas do mercado, que aguardava por um lucro R$ 2,994 bilhões.

No acumulado dos nove primeiro meses de 2020, a Companhia alcançou um lucro gerencial de R$ 9,89 bilhões, queda de 8,6% sobre igual período do ano anterior.

Consulte os melhores diálogos e insights da Money Week.

O retorno anualizado sobre patrimônio líquido médio foi de 21,2% no terceiro trimestre, ante 12% no trimestre anterior.

A margem financeira bruta atingiu R$ 12,43 bilhões, queda de 8,7% sobre o segundo trimestre de 2020.

Os ativos totais atingiram R$ 982,22 bilhões ao final de setembro de 2020, queda de 0,6% em três meses.

BDRs| Aprenda mais sobre essa classe de Ativos

O patrimônio líquido alcançou R$ 74,83 bilhões, avanço de 3,3% sobre o trimestre anterior.

Operacional

As receitas totais do Santander somaram R$ 52,038 bilhões nos primeiros nove meses de 2020, crescimento de 5,7% em doze meses e queda de 3,1% em três meses.

Já a margem financeira bruta atingiu R$ 8,7 bilhões até setembro de 2020, alta de 9,6% em doze meses.

Segundo o banco “a margem com clientes foi impactada positivamente pelo aumento nos volumes, compensada pela menor receita com capital de giro próprio.”

As despesas gerais do Santander totalizaram R$ 15,85 bilhões no acumulado do ano, alta de 1,9% em doze meses.

Em três meses, as despesas gerais subiram 3,6%, “influenciado pelas maiores despesas administrativas, grande parte por processamento de dados, e também pessoal, afetada pela aplicação do acordo coletivo sobre base salarial em setembro”, informou a companhia.

Crédito

A carteira de crédito total alcançou R$ 397,38 bilhões em setembro deste ano, crescimento de 19,8% em doze meses, com todos os segmentos apresentando variação positiva.

Em três meses, a carteira de crédito subiu 3,8% impulsionada principalmente pelos segmentos pessoa física (+5,1%) e pequenas e médias empresas (+14,6%).

A carteira de crédito ampliada totalizou R$ 491,31 bilhões, crescimento de 20,2% em doze meses e 5,3% em relação ao trimestre anterior.

Captação do Santander

As captações com clientes somaram R$ 451,058 bilhões no final de setembro de 2020. Alta de 31,6% em doze meses explicada pelo aumento de depósitos à vista e a prazo.

Em três meses as captações aumentaram 4,3% em função, sobretudo, de depósitos a prazo.

o índice de Basileia atingiu 14,9% em setembro de 2020,redução de 1,37 ponto percentual em doze meses e alta de 0,45 p.p.em três meses.

Expectativa

A expectativa era de que o lucro líquido recorrente fosse 19,20% abaixo do apresentado no terceiro trimestre e 40,15% acima do mostrado no segundo trimestre.

Foram consideradas as médias das projeções de Eleven, Itaú BBA, UBS e XP, o que dá R$ 2,994 bilhões, contra R$ 3,705 bilhões do terceiro trimestre de 2019 e R$ 2,136 bilhões no segundo trimestre deste ano.

O UBS ressalta que o Santander concentrou suas despesas de provisão para créditos de liquidação duvidosa no segundo trimestre  deste ano, quando seu custo de risco atingiu 6,8%.