Saiba qual foi o rendimento da poupança em 2018

Time is money? Oh yeah! (Crédito da imagem: Reprodução Canal Network)

Filipe Teixeira
Filipe Teixeira é redator do Portal EuQueroInvestir. Gremista, filho dos anos 80, apaixonado por filmes, música, política e economia.É também Coordenador da área de Marketing do EuQueroInvestir.com e do EuQueroInvestir A.A.I assessores de investimentos.Me envie um e-mail: filipe.teixeira@euqueroinvestir.com Ou então uma mensagem por WhatsApp: (51) 98128-5585 Instagram: filipe_st

Crédito: Crédito da imagem: Banco de Imagens EnvatoElements/By stevanovicigor

Em 2018, o rendimento da caderneta de poupança foi de 4,5%. Porém, o lucro real (descontada a inflação), ficou na casa de 1,2% ao ano.  O fraco rendimento, pode ser explicado em virtude do “gatilho” que é ativado sempre que nossa taxa básica de juros (a SELIC) encontra-se abaixo dos 8,5%.

Neste caso, o rendimento da poupança passa a ser 70% do CDI + TR. Achou pouco? Calma, o pior ainda está por vir.

[box type=”info” align=”” class=”” width=””]Antes de avançarmos, pare, respire fundo e responda rápido: Qual a coisa mais valiosa para você?[/box]

Pode guardar para si, a menos que a sua resposta tenha sido: o dinheiro.

Neste caso, estou inclinado a pensar que você, muito provavelmente, sairá descontente desta leitura.

Para entendermos a gravidade da questão em volta do rendimento da caderneta de poupança em 2018, falemos um pouco sobre o ativo mais valioso entre todos (ao menos na modesta opinião deste que vos escreve): o tempo.

Eu sei, se tivesse sido mais claro especificando que você poderia responder com  algo intangível, sua resposta poderia ter sido diferente. Talvez sim, talvez não.

O que o dinheiro pode comprar?

A verdade é que somos seduzidos diariamente  a pensar em todas as coisas incríveis que o dinheiro pode comprar: um celular novo, uma viagem à Europa, um carro novo, uma casa mais espaçosa, etc.

É somente nos raros momentos de reflexão, que percebemos alguns deles, os ativos que o dinheiro não compra: saúde, lealdade, talento, sabedoria e ele, é claro: o tempo.

Crédito da imagem: Banco de Imagens EnvatoElements/By orcearo

E se você acha que estou exagerando, pergunte a si mesmo: Quanto nos custa o tempo que gastamos trabalhando até mais tarde, enquanto deixamos nossos filhos sendo educados pelo facebook?

Ou que tal perguntar-se: Quanto tempo, o dinheiro que você tem ganho pode comprar?

Será que agora eu tenho a sua atenção? Espero que sim.

Caderneta de poupança: Um velho hábito

Velha conhecida de todos, a caderneta de poupança, registrou uma captação líquida (a diferença entre depósitos X saques) de R$ 38 bilhões em 2018.

No total, foram aproximadamente R$2 trilhões em depósitos ao longo do ano que passou. Parece muito? Pouco? Vamos entender melhor esse espantoso número.

Guarde esse número: R$2.000.000.000.000

Este montante, garantiria a construção de 8 mil hospitais públicos com capacidade de atender 450 pacientes diários. Agora, tenha em mente que atualmente, possuímos 6,5 mil hospitais ligados ao SUS, dos quais, 48% deles são particulares.

Uma das formas mais eficientes de identificarmos o nosso perfil de investidor, é realizando um teste de perfil.

Você já fez seu teste de perfil? Descubra qual seu perfil de investidor! Teste de Perfil

Se formos pensar em nosso déficit habitacional (5,4 milhões de moradias), com apenas 4% do dinheiro depositado na caderneta de poupança, seria possível construir aproximadamente 16 milhões de casas populares.

Crédito da imagem: Conexão Tocantins/Jeferson Ferrari

No campo da educação, o montante depositado na poupança, seria suficiente para garantir a construção de 2 milhões de escolas públicas, com capacidade para atender 450 alunos.

[box type=”info” align=”” class=”” width=””]Lembrando que o Brasil possui aproximadamente 5.500 municípios e 42 milhões de crianças e jovens em idade escolar, sendo que destes, aproximadamente 6% (2.5 milhões) estão fora da escola.[/box]

Mais que o dobro

Olhando desta forma, a premissa de que o dinheiro não pode comprar tudo, parece perder força. Entendo também que para você, a questão da caderneta de poupança já é um assunto superado, afinal, você certamente está ciente de que atualmente, ela paga apenas 70% do CDI, como mencionado anteriormente.

No ano passado, o mesmo estudo apontou que o superávit registrado em 2017 foi de “apenas “ R$17 bilhões.  Confira abaixo a comparação com anos anteriores:

Lembro de ter escrito sobre esta notícia e lembro também que recebi, alguns retorno por e-mail, do tipo:

– Precisava noticiar isso? Esse assunto da poupança já está batido…

Percebemos, no entanto, que a falta de informação e o desinteresse pelo assunto ainda é um mal enraizado na cultura do brasileiro.

O mesmo brasileiro que reclama da incapacidade dos governos em prover serviços públicos à altura de nossa impressionante e cada vez mais crescente carga tributária.

Comparando a rentabilidade da poupança

Olhando sob outra perspectiva, estes R$2 trilhões investidos na poupança, renderam aproximadamente, irrisórios 0,84% (já descontada a inflação) em 2018, o que corresponde a aproximadamente R$17 bilhões de rentabilidade.

Agora, este mesmo montante, investido no Tesouro SELIC, renderia R$32 bilhões, ou seja, 188% a mais. Uma rentabilidade de 1,63% ao ano, já descontado o IR.

Mas vamos supor que todos os brasileiros fossem como você, uma pessoa interessada em assistir noticiários, que acompanha sites e canais sobre investimentos e que constantemente estuda meios de rentabilizar melhor o seu dinheiro.

Imaginemos agora,  um CDB pagando 120% do CDI, que como você já deve estar está exausto de ler aqui, possui a mesma segurança da poupança.

[box type=”success” align=”” class=”” width=””]Agora, estamos falando de algo em torno de 450% a mais de rentabilidade em relação à poupança, com um ganho de real de 3,79% a.a (já descontado o IR) e o valor agora, salta para R$75,8 bilhões.[/box]

A diferença entre o melhor (CDB de 120% do CDI) e o pior cenário (poupança), fica em torno de R$74 bilhões, o que corresponde em valores aproximados, ao PIB da cidade de Porto Alegre.

Tempo é dinheiro?

Correndo o risco de estar completamente equivocado, me arrisco a dizer que no fim das contas, tudo o que buscamos com os nossos investimentos, é garantir que no futuro, tenhamos tempo suficiente para que possamos usufruir do dinheiro que guardamos.

Veja o que disse o célebre Benjamin Franklin sobre o assunto:

Tempo é dinheiro
Uma vida de lazer e uma vida de preguiça são duas coisas (distintas)
Obtenha o que puder e mantenha o que obtiver
Não deixe para amanhã o que pode fazer hoje
O olho do patrão fará mais que suas mãos
Cedo na cama, cedo levantar-se, faz um homem sadio, rico e sábio
Mulheres e vinho, jogos e fraude, fazem pequena a riqueza e grande a necessidade.

Agora imagine que 62 milhões de brasileiros ainda investem em caderneta de poupança. Mais especificamente, pense nas pessoas que você conhece, que por alguma razão, insistem em procrastinar a pesquisa por outros investimentos mais rentáveis.

E procure pensar, não no dinheiro que  estão deixando de ganhar e sim, no tempo extra que  terão de dedicar ao trabalho, para compensar a diferença de rentabilidade que estão deixando para trás.

Mesmo nutrindo enorme admiração pelo lendária figura de um dos líderes da Revolução Americana, neste ponto discordamos de forma veemente:

Tempo é dinheiro? Não, o tempo é muito mais valioso que isso.

Crédito da imagem: Banco de Imagens EnvatoElements/By stevanovicigor

Onde investir?

A parte mais fácil do meu trabalho até aqui, foi te mostrar que o investimento em caderneta de poupança é um péssimo negócio e que além de perder grana, o brasileiro também perde tempo (que assim como as barras de ouro, valem mais do que dinheiro).

O mercado de investimentos oferece uma gama gigantesca de ativos que superam com folgas, o rendimento dos investimentos em poupança. Tudo é uma questão de encontrar os investimentos certos para cada investidor.

Abaixo, alguns ativos que integram nossa carteira recomendada para o ano de 2019.

  • CDBs prefixados
  • Tesouro prefixado
  • LCI e LCA pós fixados
  • Debêntures incentivadas (IPCA+)
  • Fundos de Crédito
  • Fundos Imobiliários
  • Fundos Multimercado com Ações
  • Ações

Sabemos que nem todas as opções são de fácil entendimento à primeira vista, algumas siglas podem confundir um pouco o investidor mais iniciante, por isso, a importância de contar com a figura de um assessor de investimentos.

Além da vantagem de contar com a opinião e atendimento de um especialista no assunto, a assessoria de investimentos é gratuita, o que lhe permite poupar dinheiro e é claro, tempo.