IPO na Bolsa: saiba o que são essas ofertas e por que elas andam aquecidas

Redação EuQueroInvestir
Colaborador do Torcedores
1

Crédito: Divulgação

Você conhece o significado da sigla IPO? Talvez não, mas com certeza já deve ter ouvido falar. Afinal, em 2020 foram 27 novas companhias na bolsa e em 2021 a fila de ofertas já é grande.

Atingir um patrimônio de R$ 100 mil é para poucos, o que amplia o desafio de busca pelas melhores aplicações para multiplicá-lo

Mas se ainda não sabe do que estamos falando. não se preocupe! Leia essa reportagem e suas dúvidas serão esclarecidas.

Acesse esse material especial para avaliar resultados, performance e dividendos dos melhores FIIs no mercado.

O que significa IPO?

IPO (Initial Public Offering, em inglês) é uma sigla que significa Oferta Pública Inicial. É quando uma empresa vende ações para o público pela primeira vez. Esse procedimento é conhecido como abertura de capital. Portanto, é a primeira vez que os proprietários da empresa renunciam de parte dessa propriedade em favor de acionistas de forma geral.

O que leva uma empresa a fazer IPO?  

Ao fazer IPO, a empresa está captando recursos no mercado, via aporte financeiro de novos investidores. Ou seja, ao receber esses recursos, a empresa estará capitalizada para fazer novos investimentos.

Você sabia que algumas das maiores oportunidades de ganhos da bolsa estão nas Small Caps? Quer saber mais sobre essas ações e como investir? 

Em resumo, a venda de ações ocorre porque a empresa quer recursos para executar algum projeto, expandir as operações, adquirir concorrentes, entre outras estratégias.

Quer começar o dia bem-informado com as notícias que vão impactar o seu bolso? Clique aqui e assine a newsletter EQI HOJE!

Quais as vantagens da empresa ao fazer IPO?

Em primeiro lugar, se a empresa tem uma gestão saudável e um mercado consumidor promissor, atrairá o interesse de muitos investidores. Com isso, leva a uma expressiva arrecadação com a abertura de capital. Isso dará folego financeiro para a empresa realizar investimentos, pagar suas contas e ter uma geração de caixa equilibrada.

É importante destacar que, ao ter seu capital aberto, a empresa passará a ser regulada e monitorada pelos órgãos competentes, isso dará segurança e transparência de seus atos aos investidores. A empresa ganhará muita visibilidade, terá seu nome divulgado na mídia e será acompanhada por vários analistas de mercado.

Além disso, ao realizar a abertura de capital, a empresa buscará novas práticas de governança corporativa e de compliance. Isso deixará a empresa com uma estrutura profissional, em linha com as novas tendências do mercado. Uma das alternativas ao IPO é captar dinheiro via dívidas, tomando emprestado dinheiro. Neste caso, porém, a empresa deve pagar juros, algo que pode ser custoso.

O que é governança corporativa?

Governança corporativa é o modelo pelo qual as empresas são dirigidas, monitoradas e incentivadas, envolvendo os relacionamentos entre sócios, conselho de administração, diretoria, órgãos de fiscalização e controle e demais partes interessadas. As boas práticas de governança corporativa buscam alinhar interesses com a finalidade de preservar e otimizar o valor econômico de longo prazo da organização, facilitando seu acesso a recursos financeiros e contribuem para a qualidade da gestão da organização, sua longevidade e o bem comum.

O que é compliance?

Compliance é estar de acordo com as leis, normas e regulamentos. É um conjunto de regras e procedimentos da empresa que garantem o cumprimento destas normas.

Quais as desvantagens do IPO para a empresa?

O processo é burocrático, lento e caro. Ao abrir o capital de uma empresa, os donos não possuem mais a flexibilidade total que tinham antes, agora terão que prestar contas de seus atos aos novos acionistas.

Se a empresa revolver fechar uma fábrica, por exemplo, deve explicar os motivos aos acionistas. Fatos positivos, como uma aquisição, devem ser comunicados.

Qual a vantagem do IPO para o investidor?

Dependendo do IPO, o investidor poderá ter um lucro bem expressivo. Isso porque as empresas podem chegar ao mercado ainda com a ação valendo pouco. Tudo dependerá da análise que o mercado fará sobre suas operações.

Qual a desvantagem do IPO para o investidor? 

Como a empresa não tem um histórico de cotações em bolsa, não há base de comparação de preços. Isso poderá gerar alta volatilidade nos papéis.

Quando a sigla IPO começou a ganhar popularidade?

Isso aconteceu durante a década de 90, com o boom que houve no setor de tecnologia e internet. Em 2007, o Brasil também passou por uma nova onda de ofertas, muito incentivado pelo bom momento da economia. Em 2020, novamente temos este movimento, mas por conta dos juros baixos e do investidor estar em busca de bons investimentos.

O crescimento substancial no número de investidores pessoas físicas na B3 trouxe liquidez e interessados ao mercado. A pessoa física já soma mais de 3 milhões na B3.

Com isso, a liquidez média diária aumentou de R$ 12,2 bilhões em 2018 para R$ 15,2 bilhões em 2019. Em 2020, passou dos R$ 25 bilhões.

As empresas observam este movimento e tentam atrair capital para elas.

Conheça alguns IPOs expressivos ao longo da história:        

  • Alibaba – US$ 25 bilhões (2014)
  • American International Assurance – US$ 20,5 bilhões (2010)
  • General Motors – US$ 20,1 bilhões (2010)
  • Enel – US$ 19 bilhões (1999)
  • NTT – US$ 18 bilhões (1996)
  • Visa – US$ 17,9 bilhões (2008)
  • Facebook – US$ 16 bilhões (2012)
  • Deutsche Telekom – US$ 13 bilhões (1996)

Qual o maior IPO da história?

Segundo levantamento da FacSet, o IPO da petrolífera Saudi Aramco é o maior da história (US$ 25,6 bilhões). Com isso, seu valor de mercado atingiu a marca dos 7 trilhões de riais (US$ 1,87 trilhão).

Cuidados ao participar de um IPO

Apesar de toda a euforia, a decisão de investimento ter de ser tomada de uma maneira muito racional. A empresa não possui histórico de cotação na bolsa, mas ainda assim é possível saber mais sobre ela. Um dos caminhos é buscar o prospecto, um documento que toda candidata a IPO deve divulgar.

Ali, constam alguns números do negócio, o motivo da captação de dinheiro (ou seja, o que a empresa quer fazer com os recursos), os riscos da companhia e da área, além de outras informações. Também tenha uma planilha de ações para acompanhar a sua carteira.

Um dos principais exercícios para a compra de uma ação é saber se ela está cara ou barata. Para isso, preparamos um material especial para ajudá-lo nesta análise.