Aprenda como o compliance pode ajudar sua empresa

Humberto Maurício Pennacchia
null

Crédito: Freepik

 

Que o mundo empresarial e corporativo está em constante e profunda mudança, nós já sabemos. Ainda mais depois dos recentes escândalos de corrupção envolvendo algumas das grandes empresas do Brasil e de outros países.

Como, praticamente, todas as nações estão implementando ações duras de combate ao erro humano, seja ele, material ou moral, nas empresas não poderia ser diferente. Para frear o erro  no mundo corporativo e empresarial, cada vez mais ouve-se falar sobre a adoção das regras de compliance.

Você sabe o que significa  compliance?

Compliance é uma palavra em inglês cuja tradução direta significa conformidade. Compliance se refere à aderência a limites mandatórios, como leis e regulações, ou limites voluntários, como políticas ou procedimentos de uma determinada companhia.

Juntamente com a governança corporativa e o gerenciamento de riscos, o compliance busca permitir que uma organização alcance os seus objetivos com confiabilidade, adereçando eventuais incertezas e agindo com integridade.

Quando surgiu o compliance?

O compliance surgiu nos Estados Unidos, na virada do século XX.

Como o compliance era usado no início?

No início, essa prática era voltada, principalmente, para as instituições financeiras.

Como aconteceu a evolução do compliance?

Com o passar do tempo, as empresas passaram a notar que era impossível implementar processos externos sem conhecer os procedimentos internos.

Há quanto tempo existe o compliance no Brasil?

No Brasil, o setor de compliance já está ativo há, pelo menos, 15 anos nas instituições financeiras, realizando o trabalho de identificação e correção de qualquer desvio de  conduta ou ilegalidade nessas instituições.

Como faço para estruturar a área de compliance na minha empresa?

Aqui vão algumas dicas:

1- Conte com a ajuda de especialistas que tenham conhecimento profundo no que diz respeito ao desenvolvimento de leis, normas e regulamentos que podem afetar uma empresa.

2- Faça uma análise e mapeamento dos, possíveis, riscos de sua empresa.

Conheça os pontos frágeis, se sua empresa lida com agentes públicos, os cuidados deverão ser ainda maiores.

3-  Crie um código de conduta. Depois que a análise de risco foi finalizada, é hora de criar um código de ética. Neste código, deve-se detalhar os valores da empresa, orientações a respeito do comportamento dos colaboradores e as penalidades a que estarão sujeitos caso cometam algum desvio de conduta.

4- Abra um canal de comunicação. Este canal servirá para que, tanto funcionários quanto clientes, possam oferecer denúncia caso aconteça alguma ilegalidade.

Entenda a importância do compliance na era da globalização:

Um ponto que as empresas devem estar sempre atentas é que, com a crescente globalização, os negócios são, frequentemente, feitos com outros países.

Por exemplo, se a companhia é brasileira, mas vende produtos para o Japão, precisará seguir as normas do Brasil e do país importador.

Benefícios que o compliance traz para sua empresa:

As regras de compliance melhoram a imagem da empresa perante o público.

Os funcionários se sentem motivados a trabalharem dentro da forma mais correta e ética possível,  os funcionários estando motivados, melhora a produtividade,  aumenta a retenção dos grandes talentos da empresa e faz com que atraia o interesse de outros, além de aumentar a procura de, possíveis, novos parceiros.

Esse conjunto de fatores, citados acima, faz com que diminuam os riscos financeiros e jurídicos para a empresa.

Como a tecnologia se tornou aliada do compliance:

Um dado precisa ser considerado, com o avanço da tecnologia, mapear,  possíveis,  erros de funcionários  ficou mais fácil.

Hoje, não é raro existirem celulares e computadores corporativos  que tenham softwares embutidos, que checam o material que foi manipulado nesses equipamentos. Esses equipamentos, por exemplo, costumam tirar fotos dos usuários no momento do login.

As regras de compliance e o uso da tecnologia vão inibindo,  gradativamente, tentativas de desvio de conduta, tanto por parte de funcionários de empresas, como de órgãos públicos.

Perceba que, uma conduta profissional correta, baseada em princípios éticos e morais, não apenas vai valorizá-lo perante terceiros, mas, elevar o nível de confiabilidade de sua empresa.