Sabesp (SBSP3): governo diz não ter definição sobre reorganização societária

Marcia Furlan
Jornalista com mais de 30 anos de experiência. Trabalhou na Editora Abril e Agência Estado, do Grupo Estado, como repórter e editora de Economia, Política, Negócios e Mercado de Capitais. Possui MBA em Mercado de Derivativos pela FIA.
1

Crédito: Divulgação / Sabesp

O governo do estado de São Paulo informou à Sabesp que não há decisão tomada sobre o modelo de reorganização societária da companhia. De acordo com o órgão, o grupo de trabalho constituído pelo Conselho Diretor do Programa Estadual de Desestatização não concluiu suas atividades, à espera da análise pelo Congresso Nacional dos vetos ao Marco Legal do Saneamento.

O posicionamento foi em resposta ao questionamento da Sabesp, após declarações do governador João Doria, ontem, de que a companhia irá passar por um processo de capitalização, ou seja, aumento de capital social, e participar de concessões em outros estados, na área de saneamento e coleta de lixo.

O estado é o controlador da companhia, com 50,26% do capital.

Consulte os melhores diálogos e insights da Money Week.

As afirmações contrariam a expectativa de privatização da companhia e acabaram causando uma queda de mais de 10% nos preços das ações na bolsa ontem, que acabou fechando em R$ 52,75 (-5,04%). A possibilidade de venda à iniciativa privada é discutida desde 2017.

A CVM também questionou a Sabesp sobre a notícia. No esclarecimento, a companhia argumenta que intenção de acompanhar novas oportunidades comerciais no setor, após a aprovação do Marco do Saneamento, foi manifestada anteriormente, em relatório da apresentação dos resultados do segundo trimestre e por executivos da empresa.

A Sabesp afirmou que, por isso, não foi divulgado fato relevante, “uma vez que não há, até o presente momento, processo competitivo ou projeto específico aberto do qual a Companhia tenha formalmente tomado a decisão de participar”.

BDRs| Aprenda mais sobre essa classe de Ativos

Sobre uma eventual reorganização societária e desestatização, o que motivou a oscilação das ações, a Sabesp diz que não tinha conhecimento e pediu os esclarecimentos ao governo do Estado.