RRCI11: período de reserva termina dia 11 de novembro

Carla Carvalho
Graduada em Ciências Contábeis pela UFRGS, pós-graduada em Finanças pela UNISINOS/RS. Experiência de 17 anos no mercado financeiro, produtora de conteúdo de finanças e economia.

Crédito: Canva

O RB Capital Recebíveis Imobiliários (RRCI11) vai a mercado para a sua primeira oferta pública, no valor de R$ 150 milhões. O prazo de se encerrará em 11 de novembro, e a liquidação ocorrerá no dia 18 do mesmo mês.

O preço das cotas será de R$ 100, já incluídos os custos de distribuição da oferta. Em relação ao volume negociado, cada investidor poderá subscrever, no mínimo, dez cotas.

Inicialmente, a quantidade de cotas ofertadas será de 1,5 milhão. Nesse sentido, o volume pode aumentar em virtude de lote adicional, ou diminuir se houver distribuição parcial.

Perdeu a Money Week?
Todos os painéis estão disponíveis gratuitamente!

O RRCI11 é um fundo imobiliário (FII) de papel, que investirá preponderantemente em certificados de recebíveis imobiliários (CRI), letras hipotecárias (LH), letras imobiliárias garantidas (LGI) e cotas de outros FIIs. Além disso, eventualmente alguns imóveis e direitos reais sobre os mesmos poderão compor a carteira do fundo.

A seguir, saiba mais sobre o fundo imobiliário RRCI11:

Características gerais do RRCI11

Em relação ao público-alvo, o fundo é destinado a investidores em geral, e o seu prazo de duração é indeterminado.

O RRCI11 é administrado pela BRL Trust Distribuidora de Títulos e Valores Mobiliários S.A. Além disso, tem a gestão ativa da RB Capital Asset Management Ltda.

Quanto aos custos, o fundo terá taxa de administração mais gestão de 1% ao ano sobre o patrimônio líquido do fundo. No entanto, nos primeiros seis meses, será concedido desconto de 50% nessa taxa em benefício aos cotistas durante o período de alocação.

Além disso, será cobrada também taxa de performance de 20% ao ano sobre o que exceder a rentabilidade-alvo, que será a variação do IPCA + 5% ao ano. Nesse caso, a taxa de performance será paga ao gestor a cada seis meses.

Alocação inicial dos ativos do fundo

A princípio, o patrimônio do RRCI11 será alocado em 24 CRIs predominantemente corporativos. Os segmentos dos ativos são variados, como construção civil, loteamento, logística, autopeças, supermercados, varejo, hospital, entre outros. Além disso, também há CRIs residenciais.

Segundo o gestor, a expectativa é de que, no primeiro mês, sejam alocados R$ 24 milhões em CRIs, o que representa cerca de 17% do patrimônio total do fundo. Já os recursos que não forem alocados imediatamente nesses ativos ficarão aplicados em ativos de liquidez.

A expectativa é de que, no quinto mês de atividade, a maior parte dos recursos estejam aplicados em ativos imobiliários. Isso porque a estratégia do gestor é manter, em média, 2% do patrimônio líquido em ativos de liquidez.

Informações sobre o gestor

O Grupo RB Capital foi fundado em 1999. Em 20 anos de atuação, já emitiu mais de R$ 41 bilhões em operações de crédito estruturado, sendo R$ 32,3 bilhões em CRIs.

Desde 2016 a RB Capital é controlada pela Orix Corpoation. Fundada nos anos 60, a Orix é uma companhia com sede em Tóquio, presença em mais de 37 países e ações listadas nas bolsas de Tóquio e Nova York.

Em relação ao volume de negócios, o grupo japonês tem cerca de US$ 400 bilhões em ativos sob sua gestão. Segundo prospecto do RRCI11, o valor de mercado do conglomerado é de, aproximadamente, US$ 20 bilhões.

Por fim, em setembro de 2019 a Fitch afirmou o rating de Qualidade de Gestão de Investimentos “Forte” da RB Capital Asset Management. Além disso, incluiu perspectiva estável para a avaliação.

Neste vídeo, há varias dicas sobre como escolher os melhores Fundos Imobiliários. Quer saber mais sobre o assunto? Siga o nosso canal no Youtube

Quer saber como investir em Fundos Imobiliários? Preencha o formulário abaixo que um assessor da EQI Investimentos entrará em contato