Rosa Weber vota a favor de lei que permite super-salários

Weslley Almerindo
Colaborador do Torcedores
1

Crédito: Reprodução/TSE/Flickr

De acordo com reportagem do Uol, a ministra e relatora do caso no Supremo Tribunal Federal (STF), Rosa Weber, votou, na última sexta-feira (14), a favor de lei que permite que políticos e funcionários públicos acumulem salários e honorários. A regra em questão permite que ultrapassem o teto constitucional de R$ 39 mil. O voto de Weber se deu por meio de plenário virtual do STF e não é possível saber seus argumentos ainda.

Caso antigo

A decisão de votar contra a derrubada da lei pela ministra Rosa Weber não é uma novidade, uma vez que a votação foi ressuscitada após 24 anos.

No dia 7 de agosto de 1996, os ministros do STF da época negaram liminar para suspender a lei e os pagamentos inconstitucionais.

Conheça planilha que irá te ajudar em análises para escolha do melhor Fundo Imobiliário em 2021

De acordo com o Uol, a constituição proíbe que agentes públicos acumulem salários.

Ações futuras

Os demais ministros do supremo devem votar contra ou a favor da lei até quinta-feira (20).

Além disso, o presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM-RJ), disse que provavelmente irá colocar em votação um projeto de lei que proíba os super-salários, de acordo com informações do Uol. 

A previsão é que este projeto seja analisado ainda neste primeiro semestre.