Quais resultados setoriais se destacaram no 1º trimestre

Ronaldo Araújo
Encontre mais informações sobre criptoativos visitando WWW.RONALDOARAUJO.COM.BR
1

Com o final da safra de resultados dos balanços do primeiro trimestre, já é possível observar que alguns setores da economia começam a esboçar reação, enquanto outros ainda patinam, por conta dos efeitos da pandemia.

Fatores externos, como a alta do dólar frente ao real ou a valorização dos preços das commodities, ajudaram as empresas voltados à exportação, por exemplo, a se destacar no trimestre.

Simule seus investimentos com um especialista e confira as melhores opções de acordo com seu perfil

Algumas companhias voltadas ao mercado interno, porém, foram prejudicadas pelo mais recente lockdown.

Nesse sentido, cabe fazer uma análise do desempenho setorial das companhias da bolsa brasileira em relação aos resultados proferidos no primeiro trimestre de 2021. 

Acompanhe o artigo!

Quais foi o cenário visto no primeiro trimestre de 2021?

Já não é mais novidade para ninguém a situação econômica vivida pelo planeta desde que a pandemia foi deflagrada no ano de 2020. O fato pressionou todos os mercados fazendo com que algumas atividades sentissem um impacto negativo muito grande. A razão para isso foi o isolamento social, principalmente.

Por outro lado, alguns setores da economia apresentaram grande aquecimento. Para que a situação de isolamento fosse cumprida, diversos negócios precisaram reforçar suas operações dado que a demanda aumentou bastante.

Ao mesmo tempo, soluções para a crise fizeram com que houvessem movimentos de preparação para a retomada econômica. É o caso da vacinação em massa, que anda a passos largos desde que os laboratórios iniciaram a apresentação dos fármacos e tiveram sua aprovação por parte dos órgãos governamentais que autorizam seu uso junto à população.

No cenário nacional, o Brasil vem passando por uma pressão inflacionária puxada em grande parte pela valorização abrupta das commodities. Isso fez com que o Governo elevasse a taxa básica de juros para 2,75% ao ano em março de 2021 e, posteriormente, para 3,50% a.a. em maio do mesmo ano.

Que perspectivas foram lançadas com os resultados do primeiro trimestre?

De modo geral, as perspectivas são muito animadoras, o que se reflete nos resultados dos balanços das empresas.

Devido à forte baixa no desempenho ocorrida ao longo de 2020 por ocasião da pandemia, o movimento de recuperação nos resultados iniciado no terceiro trimestre do ano passado ganhou ainda mais força em 2021.

Isso pode ser verificado pelo aumento na receita das empresas listadas na bolsa brasileira. Em uma visão geral, é possível constatar um aumento crescente, ao passo que o primeiro trimestre de 2021 teve aumento de 23,8% no resultado da receita quando comparado com igual período de 2020.

Trata-se, portanto, da confirmação de retomada econômica já sentida desde o segundo semestre de 2020. 

Dessa forma, a perspectiva montada é de continuidade do movimento crescente ao longo de todo o presente ano.

Grande parte do resultado positivo pode ser explicado pelo expressivo aumento no preço das commodities, já que grandes países consumidores como EUA e China vêm repondo seus estoques conforme se dá a reabertura econômica global.

Quais foram os setores com resultado positivo?

A alta no preço das commodities puxou os destaques positivos para empresas que negociam essas mercadorias. Acompanhe.

Agronegócio

A expectativa de continuidade de bom desempenho das commodities agrícolas se manteve após a divulgação de resultados das empresas do setor. A forte demanda pelos insumos por parte da China promoveu um forte movimento de geração de receita e a tendência é que isso continue.

Além disso, existe a perspectiva de melhoras ainda maiores por conta de uma eventual seca no meio oeste americano, que é um grande produtor de insumos agrícolas. Isso poderia fazer com que maiores volumes de compra partissem do gigante norte-americano e, assim, a produção das empresas brasileiras pode ser ainda mais alavancada.

Siderurgia e mineração

Grande faturamento foi visto nas empresas pertencentes a esse setor e isso se deve em grande parte à cotação histórica do minério de ferro. A tonelada do produto alcançou patamares históricos e isso levou ao aumento da receita por parte das companhias do setor, tanto as extrativistas quanto as empresas de beneficiamento de material.

O mercado espera que esse movimento se mantenha para os próximos períodos. A justificativa é que, com a pandemia, os estoques de produtos minerários dos grandes consumidores baixaram seus níveis consideravelmente no período pandêmico. 

O movimento de reposição já começou e deve perdurar por tempo considerável, elevando o desempenho das empresas desse segmento. Muitos analistas enxergam o movimento como um novo boom semelhante ao que aconteceu na década de 2000.

Óleo e gás

Esse setor também teve receita expressiva devido à escalada de preços do barril de petróleo. O movimento deve continuar e os resultados tendem a continuar sendo positivos, até mesmo por conta da retomada econômica. Destaque especial pode ser atribuído ao subsetor de distribuição de combustíveis.

Nessa área, a grande queda certamente foi em relação ao querosene de avião. Com a grande paralisação dos voos, o abastecimento dessa classe foi prejudicada. Mas já é possível ver melhoras, principalmente pelos aumentos graduais no preço da gasolina e diesel nas refinarias. Como a paridade internacional ainda apresenta defasagem de 5%, existe espaço para elevação nos preços e consequente aumento de receita.

Quais foram os piores resultados setoriais?

Acompanhe os destaques negativos do primeiro trimestre de 2021.

Educação

Tradicionalmente, o primeiro trimestre não é bom para o setor de educação. O período sempre foi marcado pela forte sazonalidade e por ser um período de reformulação do quadro de funcionários. Com o isolamento, as empresas foram prejudicadas em suas receitas que foram levemente recompensadas pelo ensino EaD. A perspectiva é de melhora gradual e lenta para o setor.

Varejo

Certamente, o varejo tradicional sofreu muito com a pandemia. O fechamento do comércio em várias cidades prejudicaram muito o setor. A segunda onda de Covid penalizou ainda mais as empresas desse segmento. A ausência de carnaval também foi um fator que jogou contra.

No entanto, uma tábua de salvação se apresentou e continuará sendo forte válvula de escape para os próximos meses. Estamos falando do e-commerce, que ajudou as companhias do setor a contornarem a ausência das vendas presenciais.

Shopping centers

Outro setor fortemente abalado pelas políticas de trancamento foi o de shoppings. Na média, os resultados apresentados foram de fracos a moderados. Espera-se que o segmento reaja juntamente com o aumento da vacinação em massa, visto que dessa forma é possível liberar o fluxo de pessoas pouco a pouco. A recuperação não deve vir de imediato, mas caminha em uma boa direção.

Depois de passado o trágico ano de 2020, um novo horizonte se abre para o mundo inteiro. Nesse futuro, as expectativas são as melhores possíveis, ao passo que mais pessoas são vacinadas e as economias reabrem lentamente. Observar o desempenho setorial no Brasil pode dar luz à ótimas oportunidades de negócios.

Cases da Bolsa

Aprenda análise fundamentalista de ações na prática, com maiores cases já criados na B3