Relatório Focus projeta Selic com taxa de 4,25% ao ano em 2020

Marco Antônio Lopes
Editor. Jornalista desde 1992, trabalhou na revista Playboy, abril.com, revista Homem Vogue, Grandes Guerras, Universo Masculino, jornal Meia Hora (SP e RJ) e no portal R7 (editor em Internacional, Home, Entretenimento, Esportes e Hora 7). Colaborador nas revistas Superinteressante, Nova, Placar e Quatro Rodas. Autor do livro Bruce Lee Definitivo (editora Conrad)

Crédito: Exame.com: (Cris Faga/NurPhoto/Getty Images)

O Sistema de Expectativa do Mercado do relatório Focus, atualizado nesta segunda-feira (18), projeta que a Selic vai atingir, taxa de juros de 4,25%, entre fevereiro de 2020 e janeiro de 2021.

Contudo, no ano seguinte, haveria um aumento de 0,25 ponto percentual, chegando a 4,50% ao ano.

Em dezembro deste ano, no encontro do Comitê de Política Monetária (Copom) do Banco Central (BC), deve ser feito o corte de 0,50 ponto percentual da taxa básica de juros e, em fevereiro de 2020, no próximo encontro do colegiado, o outro corte, de 0,25 ponto percentual.

Vale lembrar que em outubro deste ano o Copom fez o terceiro corte seguido da Selic, que caiu de 5,50% para 5,00%.

A redução da taxa em fevereiro de 2020 implicaria em um piso histórico de 4,25% ao ano, 0,75% a menos que a taxa atual, de 5,00%.

Conforme consta no comunicado da decisão, o BC considera que “a consolidação do cenário benigno para a inflação prospectiva deverá permitir um ajuste adicional, de igual magnitude”.

Inflação

De acordo com relatório de mercado feito pela Focus, do Banco Central (BC), a previsão das instituições financeiras para a inflação de 2019 subiu. A projeção da inflação foi calculada pelo índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA). Passou de 3,29% para 3,31%.

Para os anos seguintes a inflação se manteve dentro do esperado, 3,60% em 2020, 3,75% em 2021, e 3,50 em 2022. Foi o que demonstrou o indicador do relatório de mercado do BC.

Toda segunda-feira o relatório Focus do BC resume as estatísticas, baseadas em pesquisas feitas junto às instituições financeiras, e coletadas até a sexta feira que antecede à sua divulgação. O relatório traz a evolução gráfica e o comportamento semanal das projeções par índices de preços, do mesmo modo que da atividade econômica, câmbio, taxa Selic, entre outros indicadores.

 

LEIA MAIS:

Tesouro Nacional realiza captação de recursos no exterior

Em meio à crise, governo anuncia pacote de reformas