Relatório aponta que PMEs brasileiras venderam 79,5% a mais em 2019

Paulo Amaral
Jornalismo é meu sobrenome: 20 anos de estrada, com passagens por grandes veículos da mídia nacional: Portal R7, UOL Carros, HuffPost Brasil, Gazeta Esportiva.com, Agora São Paulo, PSN.com e Editora Escala, entre outros.
1

Crédito: Female keyboard computer desk fingers

As vendas online das PMEs (Pequenas e Médias Empresas) brasileiras cresceram 79,5% em 2019 em relação ao ano anterior.

De acordo com os números do relatório anual Nuvemcommerce, estudo realizado pela Nuvemshop, líder de e-commerce na América Latina, o Brasil registrou 87 milhões de consumidores digitais no período, 19% a mais do que em 2018.

O número de vendas online, considerando a movimentação das empresas que compõem a base da companhia, praticamente dobrou de um ano para o outro, passando de R$ 275 milhões para R$ 450 milhões em 2019.

Alejandro Vázquez, Cofundador e CCO da Nuvemshop, explicou o porquê do significativo aumento registrado de um ano para o outro.

“Com a constante evolução do setor, mais do que nunca, os lojistas precisam estar sempre atentos ao perfil, satisfação e às preferências de compra dos consumidores para que, dessa forma, seja possível oferecer uma experiência de usuário cada vez mais otimizada, convertendo-a em vendas frequentes”.

Origem das compras

De acordo com os dados da Nuvemshop, 65,61% dos consumidores fizeram suas compras por meio dispositivos móveis, enquanto os desktops ficaram com uma fatia de 17,25%.

As redes sociais, cada vez mais integradas ao cotidiano das pessoas, também apareceram com destaque. Segundo o relatório, vendas originadas pelo Instagram cresceram 16% em 2019.

Campeões de venda

O relatório divulgado apontou que os grandes campeões de venda em 2019, com quase 70% do total, foram os produtos ligados à moda, vestuário, saúde, beleza e acessórios – um aumento de 8% em relação a 2018.

O ticket médio foi maior no quesito viagens, com uma média de R$ 3 mil em 2018 e também em 2019. O segundo lugar em gastos ficou com produtos esportivos (R$ 392,00) em 2018 e com eletrônicos (R$ 542,00) em 2019.

As datas preferidas para as compras online foram, mais uma vez, Natal e Black Friday. De acordo com o relatório, a Black Friday liderou o ranking com 8,74 pedidos por minuto, registrando um faturamento 49% maior que a edição de 2018. O Natal, por sua vez, teve uma receita 22,4% maior se comparada ao ano anterior, além de 3,1 transações por minuto.