Rejeição de Bolsonaro diminuiu e Haddad encosta em Ciro Gomes, aponta pesquisa

Jair Bolsonaro, candidato pelo PSL, ampliou a sua vantagem na disputa presidencial e diminuiu o seu índice de rejeição. Os dados são da pesquisa XP Investimentos/Ipespe, feita entre os dias 10 e 12 de setembro, ou seja, depois do atentado contra Bolsonaro.

Patrícia Auth
Patrícia Auth é jornalista formada pela Univali de Itajaí/SC. Trabalhou em impressos, como o Jornal de Santa Catarina, e também, como repórter na Rede Record e RBS TV. É casada, mãe da Lívia e adoradora de boa música e gastronomia.Na equipe EuQueroInvestir, é responsável pela produção de vídeos, e também escreve e edita artigos para o site.Entre em contato com a Patrícia pelo e-mail: patricia.auth@euqueroinvestir.com

O levantamento mostra que Bolsonaro passou de 23% para 26% das intenções de voto no intervalo de uma semana. Isso significa, segundo a pesquisa, que ele está 14 pontos percentuais na frente de Ciro Gomes (PDT), que é o segundo candidato mais bem posicionado na disputa.

Fernando Haddad (PT), oficialmente substituto de Luiz Inácio Lula da Silva, somou 10% das intenções de voto no cenário estimulado em primeiro turno. Em relação à pesquisa da semana passada, Haddad aumentou dois pontos percentuais.

Uma das formas mais eficientes de identificarmos o nosso perfil de investidor, é realizando um teste de perfil.

Você já fez seu teste de perfil? Descubra qual seu perfil de investidor! Teste de Perfil

Considerando a margem de erro de dois pontos percentuais, para mais ou para menos, Haddad está tecnicamente empatado com Ciro Gomes, que tem 12% das intenções de voto, com Geraldo Alckmin (PSDB), que soma 9% das intenções, e com Marina Silva (Rede), que tem 8%.

Analisando os números da pesquisa, como explicação para o “salto” de Haddad, podemos citar o bom desempenho entre os nordestinos, onde o petista saiu de 5% das intenções de voto, em agosto, para 19% agora. Além disso, o substituto de Lula subiu entre de 4% para 15% entre os eleitores com Ensino Médio. Já no grupo com renda de até dois salários mínios, Haddad passou de 4% das intenções de voto, para 10%.

Segundo a pesquisa estimulada em primeiro turno, aparecem ainda João Amoêdo (Novo) e Alvaro Dias (Podemos), ambos com 4%, Henrique Meirelles (MDB), com 2%, e Guilherme Boulos (PSOL), com 1% das intenções de voto.

Brancos, nulos e indecisos somam 23%. Uma semana atrás, o grupo somava 27%.

Rejeição

A pesquisa XP Investimentos/Ipespe também questionou em qual candidato os eleitores não votariam em hipótese alguma. Jair Bolsonaro, que até então liderava essa lista, caiu cinco pontos percentuais na avaliação negativa, passando o posto de maior rejeição para Marina Silva e Geraldo Alckmin.

Confira o resultado num comparativo com as pesquisas anteriores:

Antes de continuar acompanhando a pesquisa…

Faça o nosso teste de perfil e descubra o seu tipo de investidor!

[banner id=”teste-perfil”]

E no segundo turno?

O levantamento testou seis situações em segundo turno. Veja:

  • Geraldo Alckmin (PSDB) 38% x 28% Fernando Haddad (PT)

Brancos, nulos e indecisos: 35%

  • Geraldo Alckmin (PSDB) 37% x 36% Jair Bolsonaro (PSL)

Brancos, nulos e indecisos: 26%

  • Marina Silva (Rede) 37% x 36% Jair Bolsonaro (PSL)

Brancos, nulos e indecisos: 27%

  • Ciro Gomes (PDT) 35% x 35% Geraldo Alckmin (PSDB)

Brancos, nulos e indecisos: 31%

  • Ciro Gomes (PDT) 40% x 35% Jair Bolsonaro (PSL)

Brancos, nulos e indecisos: 26%

  • Jair Bolsonaro (PSL) 40% x 30% Fernando Haddad (PT)

Brancos, nulos e indecisos: 22%

Metodologia

[box type=”info” align=”” class=”” width=””]Duas mil pessoas foram ouvidas por telefone em todo o país entre os dias 10 e 12 de setembro. As perguntas foram feitas “ao vivo” por entrevistadores. O Ipespe aplica pesquisas telefônicas desde o ano de 1993. Foi o instituto pioneiro na área de tracking telefônico em campanhas eleitorais, a partir do ano de 1998.[/box]