Primeira etapa da reforma tributária será enviada em até 2 semanas

Regiane Medeiros
Colaborador do Torcedores
1

Crédito: Wikipédia

Durante almoço na Fiesp na quinta-feira (13), o ministro da Economia, Paulo Guedes, afirmou que a primeira etapa da reforma tributária será enviada ao Congresso em até duas semanas.

Entre os principais pontos da proposta consta a criação do IVA (Imposto sobre Valor Agregado), que unificará o PIS e Cofins a nível federal.

Já em um segundo momento, o governo encaminhará aos parlamentares propostas sobre o Imposto de Renda e o Imposto Seletivo.

Descubra novos caminhos para multiplicar seu patrimônio. Aprenda hoje a investir R$ 300 mil com os melhores desempenhos.

A informação foi enviada à imprensa pela Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp).

O almoço contou com a presença do presidente da Fiesp, Paulo Skaf e 20 executivos de algumas das principais empresas do País. Entre eles estavam os representantes de companhias como GM, Suzano, Coteminas, Ambev e Minerva Foods.

Ao falar sobre a indústria, Guedes disse: “Vamos reindustrializar o Brasil”

“O peso excessivo hoje é na indústria, temos de encontrar o equilíbrio, que seja bom para o conjunto da economia. Temos de calibrar muito bem a alíquota do IVA, ela tem de dar conta da arrecadação, mas não pode inibir investimentos”, declarou Guedes.

Para isso, o governo federal vem tomando uma série de medidas. Uma delas diz respeito ao choque de energia barata com efeitos visíveis somente no médio prazo. Além disso, o gás natural deverá cair até 40% a partir do início do governo Bolsonaro.

Guedes citou ainda que esforços serão direcionados para melhorar a logística no país. Através de concessões de rodovias, ferrovias e o aumento de competição na navegação de cabotagem.

Além disso, o ministro destacou os impactos positivos nos investimentos com a Selic a 4,25%.

O encontro na Fiesp, que durou cerca de duas horas, foi marcado por um clima de cordialidade. Os empresários presentes elogiaram a atuação de Guedes à frente do Ministério.