Recompra de ações: entenda o que isso significa

Natalia Gómez
Editora, é jornalista especializada no mercado de investimentos há 17 anos. Formada pela PUC-SP, teve experiências em veículos como Agência Estado, Valor Econômico e Revista Você SA; e na área de comunicação corporativa e relações públicas para instituições financeiras.
1

Crédito: Reprodução/Flickr

O mercado de ações está derretendo neste ano, em meio à pandemia do coronavírus. Mesmo assim, muitas empresas estão indo a mercado para recomprar suas ações.

Mas você sabe o que significa esta enxurrada de programas de recompra de ações? Confira nesta matéria:

Por que as empresas recompram ações

Quando o mercado está aquecido, as empresas gostam de vender parte de suas ações no mercado para captar recursos. Esta venda é conhecida popularmente como IPO, ou seja, oferta inicial de ações.

A recompra de ações é justamente o movimento inverso.

Diante de uma baixa do mercado, as empresas observam suas ações caindo drasticamente. É o que está ocorrendo agora, na crise do coronavírus.

No entanto, muitas empresas avaliam que o preço da sua ação caiu abaixo do valor que seria considerado justo.

Então, elas vão a mercado e usam dinheiro do caixa da sua tesouraria para recomprar seus próprios papéis.

Quem está fazendo recompras?

Desde janeiro deste ano, foram anunciados 21 programas de recompra. Destes, 12 aconteceram neste mês de março, período em que a bolsa caiu mais de 30%, segundo dados da CVM

Este número equivale a cerca de um terço de todas as recompras feitas em 2019.

Veja os detalhes abaixo:

O que isso significa?

Isso significa que as empresas acreditam na recuperação dos seus papéis. Em outras palavras, estão confiantes de que os preços vão voltar a patamares mais justos no longo prazo.

Ou seja, para o investidor, isso é um sinal positivo em meio a uma forte turbulência. 

De acordo com o assessor de investimentos Juliano Custodio, é importante o investidor lembrar que as empresas continuarão a lucrar depois que a crise passar.

“As pessoas vão sair do confinamento e voltar a comprar, a ir ao banco, a comprar eletrodomésticos”, exemplifica.

Em outras palavras, o que vai acontecer é que o Produto Interno Bruto (PIB) do país não vai crescer, mas isso não significa que elas vão quebrar. “Vender achando que os negócios vão acabar não faz sentido”, destaca.

Para ele, o momento agora é de comprar ações que estão abaixo do seu valor patrimonial, da mesma forma que as empresas estão fazendo com seus programas de recompra de ações.