Arrecadação de impostos sobe 9,56% em outubro e soma R$ 153,9 bilhões

Karin Barros
Colaborador do Torcedores
1

Crédito: Marcelo Camargo/Agência Brasil

A Receita Federal divulgou nesta terça-feira (24) que a arrecadação total em outubro de 2020 atingiu o valor de R$ 153,938 bilhões, registrando acréscimo real (IPCA) de 9,56% em relação ao mesmo mês em 2019.

O resultado foi o melhor para o mês desde 2016.

No informativo, a Receita ainda destacou que, no período acumulado de janeiro a outubro de 2020, a arrecadação alcançou o valor de R$ 1,180 trilhão, representando um decréscimo em termos reais de 9,45%.

Conquiste sua Independência Financeira. Conheça os 4 Pilares para Investir

Na comparação com setembro, houve um incremento de 27,37%.

Influência da pandemia

As Receitas Administradas pela RFB tiveram o valor arrecadado, em outubro de 2020, de R$ 146,081 bilhões, representando um acréscimo real de 12,31%, enquanto que no período acumulado de janeiro a outubro de 2020, a arrecadação alcançou R$ 1,133 trilhão, registrando decréscimo real de 9,06%.

O resultado do período acumulado foi bastante influenciado pelos diversos diferimentos decorrentes da pandemia do Covid-19.

Os diferimentos somaram, aproximadamente, R$ 48 bilhões no período acumulado. As compensações cresceram 87% no mês de outubro de 2020 em relação a outubro de 2019 e também apresentaram crescimento de 57% no período acumulado.

Destaca-se, ainda, que no período observaram-se receitas extraordinárias de IRPJ/CSLL que contribuíram para o resultado.

Cofins e PIS/Pasep

A Cofins e o PIS/Pasep apresentaram uma arrecadação conjunta de R$ 33,453 bilhões, o que representa um acréscimo real de 19,97%.

Esse resultado pode ser explicado pelo acréscimo de 7,40% do volume de vendas (PMC-IBGE) e pelo decréscimo real de 7,20% no volume de serviços (PMS-IBGE) em setembro de 2020 em relação a setembro de 2019, do recolhimento de parcelas diferidas dessas contribuições, relativas ao mês de maio de 2020, e do aumento nominal de 137% no volume das compensações tributárias.

Receita Previdenciária e Simples Nacional

A Receita Previdenciária teve arrecadação de R$ 42,019 bilhões, o que representa um acréscimo real de 15,01%.

Esse desempenho é explicado pelo pagamento dos diferimentos do Simples Nacional relativo ao mês de abril de 2020, da Contribuição Previdenciária Patronal relativo ao mês de maio de 2020 e dos parcelamentos especiais relativo ao mês de junho de 2020 e pelo aumento das compensações tributárias com débitos de receita previdenciária.

Pessoas jurídicas

O Imposto de Renda das Pessoas Jurídicas e a Contribuição Social Sobre o Lucro Líquido totalizaram no mês de outubro uma arrecadação de R$ 31,889 bilhões, o que representa um acréscimo real de 17,97%.

Esse resultado é explicado, basicamente, pelos acréscimos reais de 15,65% na arrecadação referente à estimativa mensal e de 73,88% na arrecadação do balanço trimestral.

 

Leia mais:

Previsão de déficit primário em 2020 cai para R$ 844,57 billhões

Impostos: Arrecadação federal cresce e tem melhor setembro desde 2014