Ranking de investimentos: abril premia investidores que tomaram risco

Yolanda Fordelone
Colaborador do Torcedores
1

Crédito: bolsa-burak-k-pexels

O mês de abril fechou com as ações liderando a alta dos investimentos. As small caps subiram 4,37%, quando verificada a variação do Índice SMLL. O Ibovespa, principal índice da bolsa brasileira, avançou 1,99%.

Por outro lado, aplicações que costumam ser buscadas para proteção de risco – como dólar e ouro – tiveram queda no mês.

Veja abaixo como ficaram as aplicações em abril:

  • Small caps (Índice SMLL): 4,37%
  • Bolsa: 1,99%
  • Fundos de Renda Fixa: entre 0,19% e 0,29%
  • Fundos DI: entre 0,18% e 0,28%
  • CDBs: entre 0,15% a 0,25%
  • Poupança: 0,16%
  • Ouro: -1,30%
  • Euro: -1,93%
  • Dólar: -3,49%

No caso da bolsa, a entrada de investidores estrangeiros movimentou os negócios ao longo do mês. Após dois meses de retiradas, os estrangeiros voltaram a aplicar.

O balanço do mês ainda não foi fechado, mas até o dia 28 o fluxo estava positivo em R$ 7,397 bilhões no mercado secundário da B3. Ou seja, o número não considera aplicações feitas em ofertas públicas iniciais (IPOs).

Maiores altas e baixas da bolsa

Do total de ações do Ibovespa, 40 subiram e 42 caíram no mês. Veja como se comportou o Ibovespa no último fechamento do mês de abril.

Maiores altas:

  • Cia Hering (HGTX3): +72,78%
  • Usiminas (USIM5): +35,16%
  • CSN (CSNA3): +33,67%
  • Braskem (BRKM5): +29,44%
  • GPA (PCAR3): +26,10%

Maiores baixas:

  • BRF (BRFS3): -15,32%
  • Eneva (ENEV3): -9,50%
  • Lojas Americanas (LAME4): -6,87%
  • Qualicorp (QUAL3): -6,76%
  • CCR (CCRO3): -6,74%

Mercado externo

A bolsa brasileira também sofreu influência do movimento de alta nos mercado afora. A bolsa dos EUA subiu 6,0%, Alemanha, 4,9%, Reino Unido, 5%, entre outros mercados.

Os mercados se animaram com o avanço da vacinação pelo mundo e com o Plano Biden para a economia americana.

Em maio, investidores devem seguir atentos à evolução da vacinação no mundo e no Brasil, à recuperação das economias e aos desdobramentos da CPI da Covid que investigada a atuação do governo federal no controle da crise sanitária.

“Em razão da alta do Bovespa, em abril a recomendação é de venda gradual da carteira”, afirma Fábio Colombo, administrador de carteiras de investimentos.

“Em termos estatísticos, a projeção para os próximos 12 meses, com nível de 95% de confiança, volatilidade recente e inflação projetada, é um ponto médio de 180.000 pontos (alta de 50%) para o Índice Bovespa, com máximo de 297.000 (alta de 147%) e mínimo de 109.000 pontos (queda de 9%)”, completa.

Renda fixa

Os Fundos DI e de Renda Fixa continuam com resultados reais líquidos negativos. Apesar dos aumentos previstos da taxa Selic, os juros nominais continuam bem abaixo da inflação.

Vale lembrar que a estimativa para a inflação de abril medida pelo IPCA é de 0,29%. Os retornos das aplicações em renda fixa ficaram abaixo de tal porcentagem.