Raia Drogasil (RADL3) lucra 45% a mais no balanço do primeiro trimestre

Regiane Medeiros
Economista formada pela UFSC. Produz conteúdo na área de mercado de capitais, finanças pessoais e atualidades.
1

Crédito: Divulgação Raia Drogasil

A Raia Drogasil (RADL3) registrou no primeiro trimestre de 2020 um lucro de R$ 152,8 milhões. Os números representam um avanço de 45% frente igual período de 2019, com lucro de R$ 105,5 milhões.

O Ebitda (lucro antes juros, impostos, amortização e depreciação) ajustado para o primeiro trimestre de 2020 avançou 36,8%, em R$ 369,35 milhões. No mesmo período de 2019, o Ebitda foi de R$ 270 milhões.

Já a margem Ebitda ajustada foi de 7,1%, expansão de 0,6% dada sobretudo pela alavancagem operacional no período.

O resultado financeiro no primeiro trimestre de 2020 foi de R$ 22,4 milhões frente a R$ 28,4 milhões em igual período de 2019.

A receita da Raia Drogasil avançou 25,3% na comparação com o primeiro trimestre de 2019, atingindo uma receita bruta consolidada de R$ 5,2 milhões.

 

Endividamento

Segundo a companhia, a dívida líquida em 31 de março de 2020 era de R$ 964,2 milhões versus R$ 937,9 milhões no mesmo período de 2019.

Já o endividamento bruto totalizou R$ 1,41 milhões, composto por 73,3% em debêntures, 5,5% em Certificado de Recebíveis Imobiliários e 21,2% remanescentes à outras dívidas.

A Raia Drogasil informou ainda que do endividamento total, 62,3% é de longo prazo e 37,7% refere-se às parcelas de curto prazo.

 

Impactos Covid-19

Segundo o comunicado publicado na terça-feira (28), a companhia declarou que a pandemia do novo coronavírus “teve um impacto profundo nas operações no mês de março”.

O volume de atendimentos na demanda digital quase triplicou e as vendas no trimestre foram muito acima do normal, principalmente nas duas semanas anteriores às restrições.

A Raia Drogasil informou ainda que, apesar das restrições impostas nas atividades comerciais e sociais, 95% das farmácias continuam abertas, sendo a exceção às filiais localizadas em shoppings.