Radar traz Vivo (VIVT3), Carrefour (CRFB3), Inter (BIDI11) e IPOs

Felipe Moreira
Especialista em Mercado de Capitais e Derivativos pela PUC - Minas, com mais de 8 anos de vivência no mercado financeiro e de capitais. Certificações: CPA-10, CPA-20 e AAI. Apaixonado por educação financeira e investimentos.
1

Crédito: Crédito da imagem: Reprodução/Internet

No Radar Corporativo desta quarta-feira (12) destaque à sequência da safra de balanços do primeiro trimestre e a movimentações de ofertas públicas iniciais de ações (IPOs, na sigla em inglês).

A Telefônica Vivo (VIVT3) registrou queda de 18,3% no lucro líquido do primeiro trimestre, que somou R$ 942 milhões e ficou abaixo do consenso.

Já a BR Distribuidora (BRDT3) apresentou lucro líquido de R$ 492 milhões no balanço do primeiro trimestre, alta de 110,3% e desempenho em linha com o consenso.

Por sua vez, o Carrefour (CRFB3) reportou lucro líquido ajustado de R$ 420 milhões no balanço do primeiro trimestre, avanço de 4,7% e em linha com o consenso.

Você sabia que algumas das maiores oportunidades de ganhos da bolsa estão nas Small Caps? Quer saber mais sobre essas ações e como investir? 

Enquanto isso, a Raia Drogasil (RADL3) teve lucro líquido ajustado de R$ 177,9 milhões no primeiro trimestre de 2021, crescimento de 16,5% e em linha com o consenso.

Quer começar o dia bem-informado com as notícias que vão impactar o seu bolso? Clique aqui e assine a newsletter EQI HOJE!

O Banco Inter (BIDI11) reverteu prejuízo e lucrou R$ 21 milhões, com desempenho em linha com o consenso.

Já a Intermédica NotreDame (GNDI3) reportou prejuízo de R$ 27,9 milhões no primeiro trimestre de 2021, revertendo lucro e com desempenho abaixo do consenso.

Enfim, a Caixa Seguridade (CXSE3) registrou lucro líquido de R$ 431,6 milhões no primeiro trimestre de 2021, crescimento de 4,3% em relação ao mesmo período de 2020.

Destaque às notícias sobre IPOs: Athena Saúde (ATEA3) interrompe IPO; Grupo Big e Grupo Avenida cancelam; enquanto a locadora de máquinas pesadas Armac pede registro.

Por fim, a Rede D’or (RDOR3) anuncia pagamento de proventos, por meio de juros sobre capital próprio, R$ 145 milhões.

Confira agora na íntegra o Radar Corporativo:

O que você verá neste artigo:

Balanços

Telefônica Vivo (VIVT3) tem queda de 18,3% no lucro 

A Telefônica Vivo (VIVT3) registrou queda de 18,3% no lucro líquido do primeiro trimestre de 2021 em comparação com o mesmo período do ano anterior.

O indicador caiu de R$ 1,153 bilhão para R$ 942 milhões no 1TRI21.

BR Distribuidora (BRDT3) lucra 2 vezes mais 

A BR Distribuidora (BRDT3) registrou lucro líquido de R$ 492 milhões no balanço do primeiro trimestre (1TRI21).

Os números refletem uma alta de 110,3% sobre o resultado do mesmo período do ano anterior, com lucro de R$ 234 milhões.

Carrefour (CRFB3) lucra 4,7% a mais 

O Carrefour (CRFB3) registrou lucro líquido ajustado de R$ 420 milhões no balanço do primeiro trimestre (1TRI21).

Os números refletem uma alta de 4,7% sobre o resultado do mesmo período do ano anterior, com lucro de R$ 401 milhões.

Vulcabras (VULC3) tem alta de 63% no lucro 

A Vulcabras (VULC3) registrou lucro líquido de R$ 14,6 milhões no primeiro trimestre de 2021, alta de 63,8% na comparação com o mesmo período do ano passado.

Eternit (ETER3) reverte prejuízo e lucra R$ 58,4 mi 

A Eternit (ETER3) registrou lucro líquido de R$ 58,25 milhões no balanço do primeiro trimestre (1TRI21).

Um ano antes a companhia registrou prejuízo líquido de R$ 11,57 milhões.

Santos Brasil (STBP3) reverte prejuízo e lucra R$ 30,9 mi 

A Santos Brasil (STBP3) reverteu o prejuízo do início de 2020 e registrou lucro líquido de R$ 30,9 milhões no balanço do primeiro trimestre de 2021.

Nos três primeiros meses do ano passado o prejuízo havia sido de R$ 13,3 milhões.

Marfrig (MRFG3) reverte prejuízo e lucra R$ 279 mi 

A Marfrig (MRFG3) registrou lucro líquido de R$ 279 milhões no balanço do primeiro trimestre (1TRI21).

Um ano antes a companhia havia registrado prejuízo de R$ 137 milhões.

Wilson Sons (WSON33) reverte prejuízo e lucra R$ 4,6 mi 

A Wilson Sons (WSON33) registrou lucro líquido de R$ 4,6 milhões no balanço do primeiro trimestre (1TRI21).

Um ano antes a companhia havia registrado prejuízo de R$ 7,8 milhões.

SulAmerica (SULA11) tem queda de 22,8% no lucro 

A SulAmerica (SULA11) registrou queda de 22,8% no lucro líquido das operações continuadas no balanço do primeiro trimestre de 2021.

Assim, a empresa registrou R$ 54 milhões de lucro líquido no 1TRI21 contra R$ 70 milhões no balanço do 1TRI20.

Lopes Brasil (LPSB3) sai de prejuízo para lucro de R$ 3,45 mi

Lopes Brasil (LPSB3) registrou lucro líquido de R$ 3,45 milhões milhões no primeiro trimestre de 2021, revertendo prejuízo do mesmo período de 2020.

Raia Drogasil (RADL3) tem lucro ajustado 16,5% maior

A Raia Drogasil (RADL3) teve lucro líquido ajustado de R$ 177,9 milhões no primeiro trimestre de 2021, crescimento de 16,5% em relação ao mesmo período de 2020.

O Ebitda ajustado subiu 12,6%, para R$ 415,9 milhões no balanço do 1TRI21.

NotreDame (GNDI3) reverte lucro e registra prejuízo de R$ 27,9 mi 

NotreDame (GNDI3) tem prejuízo líquido de R$ 27,9 milhões no primeiro trimestre de 2021, revertendo lucro de igual período de 2020.

Excluíndo itens não-caixa de Stock Options, Amortização de Intangíveis e IR/CSLL diferidos, por sua vez, a empresa obteve lucro líquido ajustado de R$ 27,9 milhões.

A receita líquida cresceu 13,4%, somando R$ 2,9 bilhões.

MPM Corpóreos (ESPA3) tem alta de 29,8% no lucro 

MPM Corpóreos (ESPA3) registrou lucro líquido de R$ 31,6 milhões no primeiro trimestre de 2021, crescimento de 29,8% em relação ao mesmo período de 2020.

Caixa Seguridade (CXSE3) lucra R$ 431,6 mi, alta de 4,3%

Caixa Seguridade (CXSE3) registrou lucro líquido de R$ 431,6 milhões no primeiro trimestre de 2021, crescimento de 4,3% em relação ao mesmo período de 2020.

Banco Inter (BIDI11) reverte prejuízo e lucra de R$ 21 mi

O Banco Inter (BIDI11) registrou lucro líquido de R$ 21 milhões no primeiro trimestre de 2021, revertendo prejuízo do mesmo período de 2020.

Além disso, o banco anunciou que ultrapassou a marca de 11 milhões de clientes.

Allied (ALLD3): lucro cresce 4 vezes 

A Allied (ALLD3) teve lucro líquido de 46,4 milhões no primeiro trimestre de 2021, crescimento de 400% em relação ao mesmo período de 2020.

Terra Santa Agro (TESA3) adia divulgação do balanço

A Terra Santa Agro (TESA3) alterou a data de divulgação e a da webinar sobre os resultados do primeiro trimestre de 2021. O balanço, antes previsto para esta quinta (13), será divulgado na próxima segunda (17), após o fechamento do mercado, e a teleconferência na terça (18).

Cias Abertas

Petrobras (PETR4) encerra renegociação de dívida de R$ 314 milhões da CEA

A Petrobras (PETR4) informa que assinou com a Companhia de Eletricidade do Amapá (CEA) acordo judicial para encerramento de litígio e recuperação de crédito pela estatal petrfolífera, reconhecido no montante R$ 314 milhões.

O acordo estabelece o pagamento à Petrobras de R$ 132,6 milhões de forma incondicional, a ser liquidado em 24 parcelas mensais e sucessivas, chamado subcrédito “A”.

Segundo a Petrobras, será concedido deságio no valor restante de R$ 181,4milhões, também dividido em 24 parcelas mensais e sucessivas (o subcrédito B), desde que os pagamentos ocorram pontualmente.

Petrobras (PETR4): negociação sem êxito

A Petrobras (PETR4) encerra sem êxito negociação com a Proquigel Química para arrendamento da UTE TermoCamaçari (Bahia).

Dessa forma, a companhia iniciará o processo de descomissionamento da UTETermoCamaçari, que já se encontra com a outorga revogada pela Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel). diz a Petrobras.

Petrobras (PETR4) aprova prazos para venda de ativos

A Petrobras (PETR3 PETR4) aprovou nesta terça-feira (11) aditivos aos Termos de Compromisso de Cessação (TCCs) firmados com o Conselho Administrativo de Defesa Econômica (CADE), com a finalidade de estender o prazo para que siga com as tratativas para a conclusão dos processos de negociação e assinatura dos contratos de compra e venda de ativos neles previstos.

Com os novos prazos aprovados pelo CADE para conclusão dos processos a Refinaria Isaac Sabbá (REMAN), Lubrificantes e Derivados de Petróleo do Nordeste (LUBNOR) e a Refinaria Alberto Pasqualini (REFAP) ficam para 31 de julho de 2021.

Já a Unidade de Industrialização do Xisto (SIX), a Refinaria Gabriel Passos (REGAP) e a Refinaria Abreu e Lima (RNEST) ficam para 30 de outubro de 2021.

A Petrobras Gás (Gaspetro) fica para 30 de junho de 2021.

Por fim, a Refinaria Presidente Getúlio Vargas (REPAR) fica para o último dia do ano.

Petrobras (PETR4) eleva exportação de óleo pelo Porto de Açu

A Açu Petróleo, joint venture entre a Prumo Logística e a alemã Oiltanking, assinou contrato com a Petrobras que vai mais do que dobrar o volume de óleo exportado pela petroleira no terminal do Porto do Açu.

O acordo prevê o escoamento de até 240 milhões de barris de petróleo, cerca de 300 mil barris por dia (barris/dia), em dois anos no terminal, em São João da Barra (RJ).

Eletrobras (ELET6): Eletronorte conclui renegociação de dívida da CEA

A Eletrobras (ELET6) anunciou nesta terça (11) que a controlada Eletronorte (Centrais Elétricas do Norte do Brasil) também assinou com a Companhia de Eletricidade do Amapá, a CEA, um acordo de renegociação de dívida.

O documento visa viabilizar o recebimento dos créditos pela Eletronorte em função da atual situação econômica e financeira da CEA. Irá também, segundo comunicado da Eletrobras, auxiliar a viabilização do processo de licitação da concessão de distribuição de energia elétrica associada à transferência de controle da distribuidora.

A dívida renovada com a CEA será de R$ 306,18 milhões na data base de 30 de junho de 2021, e inclui o pagamento de dois subcréditos – um deles no valor de R$ 220.883.436,37 e o outro, de R$ 85.298.880,51, divididos em 24 parcelas, informa a Eletrobras.

Wiz (WIZ3) anuncia parceria da Inter Seguros

A Wiz (WIZS3) comunicou que a Inter Seguros, sócia da companhia e  titular de 40% das ações ordinárias do capital social total e votante, o Banco Inter (BIDI11) e a Sompo Seguros celebraram uma parceria comercial.

O acordo tem duração inicial de 15 anos. Pela parceira comercial, a Inter Seguros poderá oferecer, no aplicativo do Banco Inter, seguros habitacionais no ramo do Sistema Financeiro da Habitação. O acordo prevê ainda cobertura de morte ou invalidez permanente, além de danos físicos ao imóvel.

Pela parceria comercial, a Sompo Seguros pagará à Inter Seguros R$ 12 milhões à vista; e R$ 152,5 milhões ao longo da duração do contrato.

BR Distribuidora (BRDT3) renegocia dívida

A BR Distribuidora (BRDT3) firmou, juntamente com outros credores, acordo de renegociação da dívida com a Companhia de Eletricidade do Amapá (CEA).

O acordo, para produzir efetivo impacto no resultado da companhia, dependerá de algumas condições, segundo a BR Distribuidora. Entre elas, a realização da licitação para privatização da CEA até 30 de junho deste ano; e a realização da transferência de controle acionário da CEA, decorrente da privatização, até o último dia deste ano.

BRF (BRFS3): Arábia Saudita quer reduzir de validade de frango in natura

A BRF (BRFS3) foi informada, por meio do Sistema de Informações Gerenciais Sanitárias e Fitossanitárias da Organização Mundial do Comércio (OMC), de que, em 6 de maio de 2021, a Saudi Food and Drug Authority (SFDA) notificou o Comitê de Medidas Sanitárias e Fitossanitárias da OMC sobre a alteração do regulamento técnico de validade de determinados produtos, que consiste em medida comercial para a redução do prazo de validade de frangos in natura congelados e seus cortes, de 1 ano para 3 meses, contados da data de abate.

“Conforme os Acordos Cobertos pela OMC”, lembrou a BRF, “os países-membros potencialmente afetados poderão apresentar comentários em até 60 dias contados da data da notificação da referida alteração, ou seja, até 5 de julho de 2021. A companhia ainda não tem condições de mensurar qual será o potencial impacto operacional e econômico-financeiro, caso esta medida seja mantida pelo Reino da Arábia Saudita”.

A BRF ainda precisa avaliar os reflexos junto às autoridades competentes para a adoção de eventuais medidas aplicáveis, “em consonância com os Acordos Cobertos pela OMC na Aplicação das Medidas Sanitárias e Fitossanitárias e Barreiras Técnicas ao Comércio”.

Telefonica (VIVT3) cria plataforma digital de saúde

A Telefonica (VIVT3) assinou um memorando de entendimentos vinculante para a criação da Vida V, em parceria com a Teladoc Health, líder mundial em telemedicina.

“A Vida V é uma nova plataforma digital de saúde e bem-estar que irá oferecer a clientes finais, e pequenas e médias empresas acesso a serviços de telemedicina e outras soluções correlacionadas”, informa a Tefelonica.

O serviço, com previsão de lançamento “nos próximos meses”, estará disponível para qualquer consumidor, inclusive por aqueles que ainda não são clientes da Vivo. Será oferecido por meio de um aplicativo que incluirá consultas médicas, programas de bem-estar, desconto em farmácias e outros benefícios.

Guararapes (GUAR3) tem novo diretor

A Guararapes (GUAR3) comunicou a chegada de João Braga para ocupar a posição de diretor executivo de Lifestyle da Riachuelo e, assim, assumir as diretorias de Produto, Logística e Marketplace.

“Com mais de 26 anos de experiência nas áreas de Produto, Operações, Comercial e Logística, sempre exerceu funções no setor da indústria têxtil e varejo de moda”, informou a Riachuelo. “No decorrer dos últimos nove anos, o executivo vinha atuando até então como diretor geral do Grupo Inditex no Brasil, responsável pelas marcas Zara e Zara Home, com passagem anterior pela Salsa Jeans, na Europa”.

Marfrig (MRFG3) tem lucro garantido pelos EUA

Nem o estrago causado pela operação brasileira – a disparada do boi gordo espremeu a rentabilidade na América do Sul – ofuscou o momentum nos EUA, com margens próximas do pico histórico graças à ampla oferta de gado e à demanda aquecida por carne bovina, conforme informou o jornal Valor.

Quase 90% da geração de caixa da companhia foi obtido no mercado americano. Além disso, a Marfrig foi favorecida pelo dólar valorizado.

Marisa (AMAR3) tem melhor Dia das Mães em 5 anos

O CEO da Lojas Marisa, Marcelo Pimentel, afirmou que as vendas para o Dia das Mães, comemorado no domingo, foram as melhores dos últimos cinco anos. As informações são do Valor.

Conforme o executivo, o Dia das Mães apresentou crescimento de duplo dígito relativamente alto contra 2019 (vendas mesmas lojas).

Eternit (ETER3) prevê a construção de duas fábricas de fibrocimento

Prestes a concluir o cumprimento das etapas financeiras da recuperação judicial, a Eternit busca crescimento do seu principal negócio – o de telhas de fibrocimento.

De acordo com o CEO, Luís Augusto Barbosa, a empresa pretende elevar a capacidade de produção de telhas de fibrocimento em quase 50% no prazo de três anos. A Eternit avalia a construção de duas fábricas do produto.

Emissões e dívidas

Via (VVAR3) emite debêntures

A Via (VVAR3), ex-Via Varejo, comunicou nesta terça-feira (11) que ontem (10) concluiu a sexta emissão pública de debêntures simples, em duas séries.

Segundo a Via, a emissão contou com a adesão de mais de 20 investidores profissionais, que subscreveram 771.959 debêntures na primeira série, com vencimento em 30 de abril de 2024; e 228.041 na segunda série, com vencimento em 30 de abril de 2026; totalizando 1 milhão de debêntures.

Cada debênture tem valor nominal unitário de R$ 1 mil. Assim, o valor total da emissão ficou em R$ 1 bilhão

Banco ABC Brasil (ABCB4) aumenta capital

Banco ABC Brasil (ABCB4) homologou hoje o aumento de capital da companhia no valor de aproximadamente R$ 62,474 milhões.

Assim, o capital social da companhia passará a ser de R$ 2,657 bilhões, em 226.090.118 ações, sendo 113.445.475 ordinárias e 112.644.643 preferenciais.

IPO

Athena Saúde (ATEA3) interrompe IPO

A Athena Saúde interrompeu, por 60 dias, sua oferta pública inicial de ações (IPO, na sigla em inglês).

Conforme comunicado, o processo foi suspenso devido as atuais condições de volatilidade no mercado de capitais.

Grupo Big e Grupo Avenida cancelam IPO

O Grupo Avenida cancelou sua oferta pública inicial de ações (IPOs, na sigla em inglês). O Grupo BIG (antigo Walmart), que foi comprado pelo Carrefour, também cancelou oficialmente sua oferta. Com isso, as desistências oficiais este ano já somam 35 operaçõs, segundo reportagem do Valor.

Proventos

Rede D’or (RDOR3) anuncia dividendos de R$ 145 milhões

A Rede D’Or São Luiz (RDOR3) comunicou hoje aos seus acionistas que o pagamento dos Juros sobre o Capital Próprio (JCP) será realizado no dia 18 de maio de 2021.

O montante bruto total é de aproximadamente R$ 145,687 milhões, referente ao primeiro trimestre do exercício social de 2021.

O valor corresponde a R$ 0,07499903083 por ação ordinária, após excluídas as mantidas em tesouraria. Foir considerada a posição acionária de final do dia 31 de março de 2021.

Mudança acionária

Cesp (CESP6) tem alteração acionária

A Companhia Energética de São ão Paulo, Cesp (CESP6) recebeu ontem (10) correspondência enviada pela Oceana Investimentos informando que os fundos de investimentos geridos passaram a deter 10.072.417 ações preferencias classe B (CESP6) da empresa de energia.

Tal montante corresponde a 4,77% das ações preferenciais classe B emitidas pela companhia.

(Com Marco Antonio Lopes, Claudia Zucare, Rodrigo Petry e Redação)

Um dos principais exercícios para a compra de uma ação é saber se ela está cara ou barata. Para isso, preparamos um material especial para ajudá-lo nesta análise.