Radar traz balanços de Vale (VALE3), Smiles (SMLS3) e Tesla (TSLA34)

Felipe Moreira
Especialista em Mercado de Capitais e Derivativos pela PUC - Minas, com mais de 8 anos de vivência no mercado financeiro e de capitais. Certificações: CPA-10, CPA-20 e AAI. Apaixonado por educação financeira e investimentos.
1

A safra de balanços é destaque do Radar Corporativo desta terça-feira (27) com os resultados da Vale (VALE3) e expectativa sobre a divulgação do relatório de produção e vendas da Petrobras (PETR3 PETR4).

A Vale (VALE3) registrou um lucro líquido de US$ 5,546 bilhões no primeiro trimestre de 2021, crescimento de 22 vezes em relação ao mesmo período do ano passado, mas o resultado veio pouco abaixo das expectativas do consenso.

Já a Smiles (SMLS3) registrou um lucro líquido de R$ 47,7 milhões no primeiro trimestre de 2021. Os números refletem uma queda de 15,2% sobre o mesmo período de 2020.

Enquanto isso, a 2W Energia reportou nesta segunda-feira (26) queda de 38,8% no lucro líquido do primeiro trimestre de 2020. O indicador passou de R$ 12,0 milhões no 1TRI20 para R$ 7,35 milhões no 1TRI21.

No exterior, a fabricante de carros elétricos Tesla (TSLA34) reportou lucro líquido recorde no primeiro trimestre de 2021: US$ 438 milhões. O valor representa alta de 2.637% ante os US$ 16 milhões de lucro do mesmo período de 2020 e superou as expectativas do mercado.

Destaque ainda à Petrobras (PETR3 PETR4), que irá apresentar hoje, após o fechamento dos mercados, seu relatório de produção e vendas do 1º tirmestre, e informou que o balanço será divulgado no dia 13 de maio.

Por fim, informaram sobre proventos: Petrobras, Eletrobras (ELET3 ELET6)BR Distribuidora (BRDT3), Magazine Luiza (MGLU3)BR Properties (BRPR3)Melnick (MELK3) e Boa vista (BOAS3).

Mais destaques da manhã:

A Embraer (EMBR3) informou que entre janeiro e março deste ano entregou um total de 22 jatos, dos quais nove foram aeronaves comerciais e 13 executivas (dez leves e três grandes).

Após perder a disputa para o Grupo Soma (SOMA3), a Arrezo (ARZZ3) comunicou que não fará nova oferta pela Cia Hering (HGTX3).

Já a Itaúsa (ITSA4) informou que adquiriu uma fatia de 10,20% do capital votante e de 8,53% do capital total da Aegea Saneamento (AEGP23), por R$ 1,3 bilhão.

Veja agora a cobertura completa do Radar Corporativo:

O que você verá neste artigo:

Balanços

Vale (VALE3) vê lucro crescer mais de 22 vezes no 1TRI

A Vale (VALE3) registrou um lucro líquido de US$ 5,546 bilhões no primeiro trimestre de 2021, crescimento de 22 vezes em relação ao mesmo período do ano passado. O resultado veio acima da expectativa de mercado.

Conforme a mineradora, o desempenho foi impulsionado principalmente pelas despesas de Brumadinho, encargos de impairment nos ativos dos negócios de Níquel e Carvão, ambos no quarto trimestre, e maior resultado financeiro, apesar do impacto da desvalorização cambial do Real em 9,6% na marcação a mercado de suas posições de derivativos.

O lucro antes de juro, impostos, depreciação e amortização (Ebitda, na sigla em inglês) ajustado somou US$ 8,35 bilhões no primeiro trimestre de 2021, um recorde para um primeiro trimestre, com volumes sazonalmente menores parcialmente compensados por preços mais altos de comodities.

Smiles (SMLS3) tem lucro líquido de R$ 47,7 mi no 1TRI21, queda de 15,2%

A Smiles (SMLS3) registrou um lucro líquido de R$ 47,7 milhões no primeiro trimestre de 2021. Os números refletem uma queda de 15,2% sobre o mesmo período de 2020.

“Os principais impactos sobre as informações financeiras trimestrais se relacionam à redução no volume de resgates de milhas (13.976 milhões de milhas resgatadas no trimestre findo em 31 de março de 2021 em comparação a 17.860 milhões no mesmo período findo em 31 de março de 2020) que reflete na redução na receita líquida e margem de lucro da Companhia”, destacou a Smiles.

A receita líquida atingiu R$ 151,11 milhões no primeiro trimestre, queda de 11,8% em relação ao mesmo trimestre de 2020. Na comparação com o trimestre imediatamente anterior, a queda na receita liquida foi de 28,4%.

2W Energia tem queda de 38,8% no lucro líquido do 1TRI21

A 2W Energia reportou nesta segunda-feira (26) queda de 38,8% no lucro líquido do primeiro trimestre de 2020. O indicador passou de R$ 12,0 milhões no 1TRI20 para R$ 7,35 milhões no 1TRI21.

A margem líquida caiu de 7,4% para 2,8%.

Já o Ebitda ajustado da 2W Energia cresceu 25,3%. Passou de R$ 20,1 milhões no 1TRI20 para R$ 25,3 milhões no 1TRI21.

Equatorial (EQTL3): venda de energia elétrica registra alta de 4% no 1TRI 21

A Equatorial Energia (EQTL3) reportou resultado de suas operações nesta segunda-feira (26). Conforme relatório, o volume de vendas de energia elétrica, na classificação total distribuída, apresentou crescimento de 4% no primeiro trimestre de 2021 frente igual período do ano passado.

Já no indicador Total Equatorial Energia, referente ao número de consumidores, a companhia apresentou crescimento de 2,9% no primeiro trimestre de 2021 ante igual período do ano anterior.

Balanço BDRs

Tesla (TSLA34): lucro líquido do 1TRI21, de US$ 438 milhões, é recorde

A fabricante de carros elétricos Tesla (TSLA34) registrou um lucro líquido recorde no primeiro trimestre de 2021: US$ 438 milhões. O valor representa alta de 2.637% ante os US$ 16 milhões de lucro do mesmo período de 2020.

O balanço do 1TRI21 da empresa foi divulgado nesta segunda-feira (26) após o fechamento do pregão. A empresa superou as expectativas do mercado com folga, mas as ações caíram um pouco depois do fechamento, segundo a CNBC.

A receita da empresa de Elon Musk foi de US$ 10,39 bilhões no 1TRI 21 (a expectativa era de US$ 10,29 bilhões). O aumento foi de 74% em relação ao ano anterior.

Cias Abertas

Petrobras (PETR4) divulga hoje produção e vendas do 1TRI21

A Petrobras (PETR4) comunicou que divulgará hoje (27) seu relatório de produção e vendas referente ao primeiro trimestre de 2021.

Já o relatório de desempenho financeiro será apresentado no dia 13 de maio.

A companhia informou ainda que os referidos relatórios acima serão divulgados após o fechamento do mercado.

Investidores iniciam arbitragem contra CVC (CVCB3) e ex-conselheiros

Acionistas da CVC entraram com pedido de arbitragem na Câmara de Arbitragem do Mercado (CAM), da B3, contra a empresa e ex-conselheiros de administração, conforme reportagem do Valor.

O entendimento é o de que acionistas da companhia foram prejudicados por problemas apresentados no passado, com indícios de fraudes e distorções, que induziram investidores ao erro e inflaram o preço dos papéis.

Embraer (EMBR3) entrega 22 jatos no 1TRI

A Embraer (EMBR3) informou que entre janeiro e março deste ano entregou um total de 22 jatos, dos quais nove foram aeronaves comerciais e 13 executivas (dez leves e três grandes).

A fabricante de jatos também encerrou o período com uma carteira de pedidos firmes a entregar de US$ 14,2 bilhões, com leve queda de 1,4% ante dezembro do ano passado, quando o valor foi de US$ 14,4 bilhões. Na comparação com o 1TRI de 2020 (US$ 15,9 bilhões), houve recuo de 10,7%.

Também no primeiro trimestre de 2021, a Embraer entregou a primeira conversão de um Legacy 450 em um jato Praetor 500 para a AirSprint Private Aviation, que deve receber, ainda este ano, mais uma conversão, além de um novo Praetor 500.

Embraer (EMBR3) aprova eleição de quatro novos diretores

A Embraer (EMBR3) aprovou a eleição de três novos diretores: Fernando Gomes Neto (diretor presidente), Antonio Carlos Garcia (vice-presidente executivo e financeiro e relações com investidores), Fabiana Klajner Leschziner (vice-presidente executiva jurídica e chief compliance officer) e Jackson Medeiros de Farias Schneider (vice-presidente executivo de negócios de defesa e segurança).

Eles terão mandatos de dois anos e tomaram posse nesta segunda-feira (26).

Itaúsa (ITSA4) investe R$ 1,3 bi na Aegea

A Itaúsa (ITSA4) assinou contratos para investimento na Aegea Saneamento, conforme fato relevante publicado nesta terça-feira (27).

O valor desse investimento será de R$ 1,3 bilhão. Os recursos serão levantados por instrumento de dívida de longo prazo.

A fatia da Itaúsa na Aegea será de 10,20% do capital votante e 8,53% do capital total, conforme previsto em contrato.

O restante do capital permanecerá com os atuais acionistas controladores da Aegeae o Fundo Soberano de Singapura (GIC).

A Itaúsa terá o direito de indicar um membro para cada um dos seguintes órgãos: Conselho de Administração, Comitê de Auditoria e Comitê de Finanças.

Ecorodovias (ECOR3) tem alta de 52,2% no tráfego na semana

O volume de tráfego consolidado nas rodovias administradas pela Ecorodovias (ECOR3) registrou alta de 52,2% entre os dias 19 e 25 de abril em relação ao mesmo período do ano passado.

No acumulado de 2021, a alta é de 16,6%.

CCR (CCRO3): aditivo de contrato de concessão 

A CCR (CCRO3) informou que foi celebrado o aditivo de contrato de concessão do aeroporto Internacional Tancredo Neves/Cofins (BH Airport) e a Agência Nacional de Aviação Civil (Anac).

O aditivo tem por objeto a alteração pontual do anexo 5 do contrato de concessão para permitir a revisão, em 2021, dos valores estimados para custos e despesas do Fluxo de Caixa Marginal, conforme  os valores realizados em 2020.

Essa alteração está em consonância com a Decisão Colegiada da ANAC nº216/2020, que deferiu o pleito de reequilíbrio contratual apresentado pela BH Airport, em razão dos impactos econômicos decorrentes da Covida-19 para o setor de concessões aeroportuárias no ano de 2020.

Azevedo & Travassos (AZEV4) atualiza negociações com UTC

A Azevedo & Travassos (AZEV4) comunicou que, após ter apresentado a carta proposta, continuou a manter interações com o Grupo UTC para aprimorar os termos e condições segundo os quais estaria disposta a realizar uma ou mais operações de investimento no âmbito do processo de Recuperação Judicial do Grupo UTC.

A Carta Proposta tinha por objetivo estabelecer as bases contratuais para que a companhia pudesse aprofundar e finalizar a auditoria jurídica, operacional e financeira  que oferecesse  conforto  para a propositura  e  conclusão  das  operações de  investimento  propostas pela Azevedo & Travassos.

Tendo finalizado a auditoria, a companhia apresentou para a UTC os termos e condições atualizados pelos  quais  estaria  disposta a  realizar  os  investimentos  discutidos, que  foram  rejeitados  pelo Grupo UTC.

Caixa Cartões fecha acordo no segmento de maquininhas

A Caixa Econômica Federal anunciou que sua subsidiária integral Caixa Cartões concluiu o processo para efetivar a parceria com com americana Fiserv para atuar no segmento de maquininhas.

Segundo a Caixa, a Fiserv foi selecionada após processo competitivo. Estima-se, conforme o banco, em R$ 457 bilhões o potencial anual de Volume Total de Pagamentos (TPV – Total Payment Volume) durante a vigência do contrato, de 20 anos.

Fioserv

A Fiserv, Inc. é líder global em pagamentos e tecnologia financeira em áreas como processamento de contas e soluções bancárias digitais, processamento de emissores de cartões e serviços de rede, pagamentos e comércio eletrônico, além de aquisição e processamento comercial e  solução de ponto de venda baseada em nuvem Clover.

A Caixa lembra que a Fiserv é membro do Índice S&P 500 e do Fortune 500 e está entre as empresas mais admiradas do mundo na lista Fortune.

Multiplan (MULT3) informa sobre concessão de garantia

O Conselho de Administração da Multiplan (MULT3) aprovou a concessão de garantia pela companhia no valor de até R$ 10 milhões. O objetivo é dar aval para assegurar parte de operação financeira para a sociedade investida Delivery Center Holding S.A., conforme proposta apresentada ao colegiado.

Neoenergia (NEOE3):  4º trecho de transmissão no MS

A Neoenergia (NEOE3) comunicou a entrega do quarto dos cinco trechos do lote de transmissão do empreendimento Dourados (MS).

Em 25 de abril último, entrou em operação comercial esse trecho de Dourados (Lote 4 –Leilão de Transmissão nº05/2016, de abril de 2017).

O trecho LT 230 kV Campo Grande 2 –Imbirissu) tem extensão de 52 km de linha e conta com as conexões das linhas nas Subestações Imbirissu e Campo Grande 2

CELGPAR (GPAR3): leilão de privatização da Celg GT é adiado

A CELGPAR (GPAR3) comunicou o adiamento do leilão para alienação de 100% das ações de emissão da Celg Geração e Transmissão, de sua propriedade, para o 2º semestre de 2021, em data a ser definida.

A companhia declarou que o leilão, que seria realizado no dia 13 de maio na B3, foi adiado para evitar a realização concomitante com outras operações do setor, bem como visando a análise de eventos que podem resultar em alterações nas condições da operação da companhia.

Vix Logística: aprovação da emissão de certificado de direitos creditórios do agronegócio

O Conselho de administração da Vix Logística aprovou a emissão do certificado de direitos creditórios do agronegócio, no valor total de R$ 80 milhões.

A Vix informou ainda que os certificados serão lançados com esforços restritos de distribuição.

Apesar de pressões, Cedae mantém interesse de grupos

O leilão de concessões de serviços da Companhia Estadual de Águas e Esgotos (Cedae) previsto para próxima sexta-feira enfrenta novos obstáculos nas frentes jurídica e legislativa, mas os grupos interessados em participar da licitação continuam se preparando para a disputa, de acordo com apuração do Valor.

Especialistas alertam que a privatização é necessária para universalizar os serviços no Rio.

Lojas Renner (LREN3) e Arezzo (ARZZ3) sofrem com pressão

A fusão entre Soma e Hering, coloca no centro das atenções do mercado dois pontos: a capacidade de reação especialmente de Renner e Arezzo – num momento em que há uma aceleração de aquisições no setor de
moda – e os desafios de execução do grupo Soma, que agora serão realmente testados, segundo reportagem do Valor.

Isso porque os termos do acordo estão sendo melhor absorvidos por investidores e gestores, contas têm sido feitas sobre custos da aquisição da Hering, e os passos necessários para a Soma digerir a Hering. Terá que haver uma fusão das estruturas, com avanço de questões sensíveis que envolvem a capacidade de a Hering voltar a dar resultados de forma mais sólida e contínua, algo que o mercado vem reforçando há tempos. Em 2019, antes da crise, os números da Hering melhoraram, mas voltaram a piorar no fim de 2020.

Cia Hering (HGTX3) e Soma (SOMA3): entenda mais sobre a fusão de R$ 5,1 bi

Emissões e dívidas

Natura (NTCO3) capta US$ 1 bi no mercado internacional

A Natura levantou ontem (26) US$ 1 bilhão no mercado externo com a emissão de bônus sustentáveis com prazo de sete anos. Os títulos foram colocados com yield de 4,125%, dentro da sinalização inicial dada ao mercado. Conforme fontes ouvidas pelo Valor, a demanda foi de quatro vezes o valor ofertado.

Taurus (TASA4) informa aumento de capital

A Taurus (TASA4) informou que seu conselho de administração aprovou um aumento de capital no valor de R$ 20,3 milhões. Assim, serão emitidas 4.038.950 novas ações preferenciais.

O novo capital social da companhia é atualizado, portanto, para R$ 580.668.536,61, representado por 100.168.433 de ações, sendo 46.445.314 ações ordinárias e 53.723.119 ações preferenciais, todas nominativas, escriturais e sem valor nominal.

Taurus (TASA4) aprova programa de opção de compra

A Taurus (TASA4) aprovou plano de Outorga de Opção de Compra de Ações da companhia destinado aos diretores estatutários selecionados.

O Plano de Opções será administrado pelo Conselho de Administração da Companhia e a outorga de opções com base no Plano de Opções respeitará sempre o limite de 3.000.000 de ações da Companhia, sendo 1.000.000 de ações ordinárias e 2.000.000 de ações preferenciais

Proventos

Eletrobras (ELET6) paga dividendos

A Eletrobras (ELET6) anunciou o pagamentos de dividendos e JCP (Juros Sobre Capital Próprio). Os valores serão pagos a partir de 3 de maio.

O valor dos dividendos, corrigidos pela taxa Selic até 26 de abril, é de R$ 20,128 milhões. Ou seja, R$ 1,710 por ação ordinária.

Deste valor, R$ 0,32 por ação provém de dividendos obrigatórios, R$ 0,59 de juros sobre capital próprio e R$ 0,79 do adicional proposto.

BR Distribuidora (BRDT3) paga dividendos no total de R$ 1,107 bi

A BR Distribuidora (BRDT3) informou que pagará em 30 de abril de 2021 a primeira parcela referente à remuneração de dividendos, aprovados na última AGO (Assembleia Geral Ordinária) e relativos ao exercício de 2020.

O valor total dos dividendos a serem pagos será de R$ 1,107 bi, correspondentes a R$ 0,95037041535 por ação. Desse valor, R$ 1,10 bi (R$ 0,94420600858) de principal e R$ 7,18 milhões (R$ 0,00616440676 por ação) de atualização monetária.

Farão jus aos dividendos os acionistas na posição acionária do dia 15 de abril de 2021 (inclusive).

Petrobras (PETR4) paga dividendos

A Petrobras (PETR4) comunicou que, na próxima quinta-feira (29), efetuará o pagamento de dividendos referentes ao exercício de 2020, com base na posição acionária de 14 de abril.

O valor por ação dos dividendos equivale a R$ 0,792834, já corrigido pela taxa Selic.

Magazine Luiza (MGLU3) anuncia proventos

A Magazine Luiza (MGLU3) informou que no dia 05 de maio realizará o pagamento dos proventos declarados a título de Juros Sobre o Capital Próprio, no valor total de R$ 170 milhões.

O valor bruto a ser pago por ação é de R$ 0,0263019985, com base na posição acionária de 29 de dezembro de 2020, sendo as ações negociadas “ex” JCP a partir de 30 de dezembro de 2020.

BR Properties (BRPR3) aprova pagamento de R$ 71 milhões em dividendos

A BR Properties (BRPR3) aprovou a distribuição de dividendos no valor total de R$ 71,042 milhões.

Os dividendos correspondem a R$ 0,1477236691256790 por ação e serão creditados aos acionistas com base na posição acionária de 26 de abril.

As ações adquiridas a partir de 27 de abril, inclusive, passarão a ser negociadas ex-dividendos.

Melnick (MELK3) anuncia pagamento de dividendos

A Melnick (MELK3) anunciou o pagamento de dividendos no montante de R$ 1,294 milhão, correspondente a R$ 0,00635 para cada ação ordinária.

O pagamento será realizado em 31 de maio de 2021, com base na posição acionária de 26 de abril.

Adicionalmente, a companhia anunciou o plano de opção de compra de ações destinado aos administradores, empregados ou prestadores de serviços da Melnick.

Boa vista (BOAS3) anuncia dividendos

O Boa Vista (BOAS3) aprovou o pagamento de dividendos no montante total de R$ 11,085 milhões, correspondentes a R$ 0,020973663805373400 por ação.

O pagamento será efetuado em moeda corrente nacional, até o dia 26 de maio de 2021.

Terão direito a receber os dividendos os acionistas detentores de ações de emissão da Companhia no fechamento do pregão da B3 do dia 26 de abril.

IPO 

Grupo GPS (GGPS3) estreia com alta de 6,67% na B3 (B3SA3)

O Grupo GPS (GGPS3), do setor de prestação de serviços integrados (logística indoor, facilities, manutenção industrial, serviços de engenharia, alimentação e segurança), concluiu hoje (26) sua oferta pública inicial (IPO) na B3 (B3SA3). Os papéis fecharam em alta de 6,67%, cotados a R$ 12,80.

As ações havia caído no início da manhã, a -3,83% (R$ 11,54), mas a tendência se reverteu no início da tarde.

O Grupo GPS levantou R$ 2,49 bilhões no IPO, sendo metade na oferta primária e o restante na oferta secundária.

A companhia, que atua na prestação de serviços terceirizados como limpeza, segurança, logística indoor, manutenção industrial, tem entre seus clientes Petrobras (PETR4), Pão de Açúcar (PCAR3) e Braskem (BRKM5).

Kora Saúde faz alterações no prospecto e adia precificação de IPO para 29/4

A Kora Saúde fez diversas mudanças no prospecto de sua oferta pública inicial de ações (IPO, na sigla em inglês).

Sendo assim, abriu um período de desistência de reservas feitas pelo investidor de varejo, que vai até o dia 30 de abril. A precificação marcada para dia 28, passou para dia 29.

Mudança acionária

C&A (CEAB3): Itaú (ITUB4) passa a deter 4,966% das ações

A C&A (CEAB3) comunicou que recebeu nesta segunda (26) notificação de seu acionista Itaú Unibanco (ITUB4) informando que a soma das ações detidas pelo conjunto de fundos de investimento geridos pelo Itaú atingiu 4,966%, configurando redução na participação acionária relevante.

Dessa forma, o Itaú passou a deter 15.309.574 de ações ordinárias da companhia.

(Com Marco Antonio Lopes, Claudia Zucare, Rodrigo Petry e Redaçã0)