Radar traz Petrobras (PETR3; PETR4), C&A (CEAB3) e Romi (ROMI3)

Felipe Moreira
Especialista em Mercado de Capitais e Derivativos pela PUC - Minas, com mais de 8 anos de vivência no mercado financeiro e de capitais. Certificações: CPA-10, CPA-20 e AAI. Apaixonado por educação financeira e investimentos.
1

O Radar Corporativo destaca o início da safra de balanço do segundo trimestre de 2021 (2TRI21). A Neoenergia (NEOE3) e a Indústrias Romi (ROMI3) registram crescimento robusto dos lucros no trimestre.

O banco BTG Pactual (BPAC11) fez acordos para atuar no esporte. As ações incluem a internacionalização do Flamengo e aquisição de clubes estrangeiros.

Simule seus investimentos com um especialista e confira as melhores opções de acordo com seu perfil

A Embraer (EMBR3) informa a entrega de 34  jatos  no  segundo  trimestre de  2021,  sendo  14  comerciais  e  20 executivos. 

A Petrobras (PETR4 PETR3) informou que recebeu ofício do Ministério de Minas e Energia com as indicações para composição da chapa da União para os cargos de conselheiros.

Já a C&A (CEAB3) informou que receberá créditos tributários por exclusão do ICMS, no valor de R$ 230 milhões.

O Grupo Soma (SOMA3) emitirá até R$ 883,4 milhões em novas ações, em oferta restrita. O conselho de administração aprovou a precificação de R$ 19,20 para cada nova ação.

O conselho de administração da Renova Energia (RNEW3 RNEW4) aprovou a proposta vinculante feita pelo fundo Mubadala por R$ 1,1 bilhão.

Enquanto isso, a Trisul (TRIS3) e a Urba (URBN3) apresentaram alta nas vendas líquidas no segundo trimestre de 2021.

A empresa de e-commerce, Privalia, suspendeu novamente sua oferta pública inicial de ações (IPO), alegando volatilidade das condições de mercado nos últimos dias.

Já a Multilaser (MLAS3) levantou R$ 1,9 bilhão em seu IPO, com as ações precificadas em R$ 11,10 cada.

Na Vale (VALE3), os altos preços dos metais básicos, como níquel e cobre, poderá compensar o menor volume de vendas destes minérios no balanço do 2TRI21.

Por fim, a Marcopolo (POMO3 POMO4) lançou a nova geração de seus ônibus rodoviários, da Geração 8 (G8).

Veja a cobertura completa do Radar Corporativo:

O que você verá neste artigo:

Cias abertas

Embraer (EMBR3) tem crescimento no segundo trimestre

A Embraer (EMBR3) informa a entrega de 34  jatos  no  segundo  trimestre de  2021,  sendo  14  comerciais  e  20 executivos. Em junho, a carteira de pedidos firmes (backlog) totalizava US$ 15,9 bilhões, aumento de 12% em  relação ao primeiro trimestre, com retorno aos níveis pré-pandemia.

BTG Pactual (BPAC11) faz acordos para atuar no esporte

O banco BTG Pactual (BPAC11) fez acordos para atuar no esporte. Primeiro, de acordo com o jornal Valor Econômico, criou a Win the Game, com o objetivo de capturar negócios que vão desde gestão de patrimônio à criação de ativos digitais.

Nesta primeira atuação, está a proposta de internacionalizar a marca do Clube de Regatas do Flamengo, aquisição de um ou dois clubes no exterior e financiar parte da reforma do Estádio do Pacaembu, em São Paulo, que foi privatizado.

Em outra frente, contratou João Paulo Luque, fundador da High Capital, para atuar em uma operação que inclui aconselhamento financeiro, câmbio e formação para ex-atletas que pretendem passar a atuar no mercado financeiro.

Petrobras (PETR4) recebe indicações do MME para os cargos de conselheiros

A Petrobras (PETR3 PETR4) recebeu nesta terça-feira (20) ofício do Ministério de Minas e Energia (MME) com as indicações para a composição da chapa para os cargos de Conselheiros de Administração da companhia.

A eleição ocorrerá na próxima Assembleia Geral Extraordinária (AGE), sem data especificada

Os nomes indicados pelo governo federal são de Eduardo Bacellar Leal Ferreira, também para Presidente do Conselho; Joaquim Silva e Luna, atual presidente da companhia; Sonia Julia Sulzbeck Villalobos, indicada para a vaga destinada ao Ministério da Economia; Márcio Andrade Weber; e Ruy Flaks Schneider, Murilo Marroquim de Souza e Cynthia Santana Silveira, esta última selecionada em lista tríplice, elaborada por empresa especializada. Todos os nomes seriam reconduzidos ao cargo.

C&A (CEAB3): créditos tributários por exclusão do ICMS devem somar R$ 230 milhões

A C&A (CEAB3) informou que, após decisão do Supremo Tribunal Federal (STF) – que definiu a validade do período e a forma de cálculo – que o valor do ICMS a ser excluído da base do PIS e da COFINS é o destacado na nota fiscal, os créditos referentes ao período entre 2015 e 2017 serão reconhecidos antes do trânsito em julgado da ação.

“Os valores finais estão sendo apurados em conjunto de nossos auditores externos, mas melhores estimativas indicam que os créditos corrigidos representam aproximadamente R$ 230 milhões”, sublinhou a empresa, em nota ao mercado. “Os valores serão reconhecidos nas demonstrações financeiras do 2º trimestre de 2021”.

Marcopolo (POMO4) lança linha de rodoviários Geração 8

A Marcopolo (POMO3 POMO4) lançou a nova geração de seus ônibus rodoviários, da Geração 8 (G8).

Os veículos, segundo a empresa, “apresenta evoluções substanciais de performance, segurança, conforto e design, desenvolvidos com foco em clientes e usuários”.

A Marcopolo , em comunicado ao mercado, reforçou “seu posicionamento no mercado mundial de ônibus rodoviários, propondo soluções inovadoras em mobilidade”.

Focus Energia (POWE3) celebra contrato com a Trina Solar

A Focus Energia (POWE3) celebrou, por meio de suas subsidiárias, um contrato com a Trina Solar para o fornecimento de Módulos Fotovoltaicos no âmbito do Projeto Futura 1 – empreendimento em desenvolvimento que será composto por 22 parques de energia solar – em substituição à Risen Energy.

“A decisão pela substituição do fornecedor é parte do plano de contingência estruturado pela companhia com a finalidade de mitigar os riscos e garantir o cumprimento tempestivo do cronograma do Projeto Futura 1, diante da negativa da Risen Energy em cumpriras condições acordadas em contrato”, esclareceu a Focus.

A Focus estima que, considerando o novo contrato, o Capex do projeto será de R$ 2,74 bilhões, “sem considerar eventuais indenizações provenientes da relação contratual com o antigo fornecedor”.

Emissões e dívidas

Grupo Soma (SOMA3) emitirá R$ 883,4 milhões em oferta restrita

O Grupo Soma (SOMA3) emitirá até R$ 883,4 milhões em novas ações, em oferta restrita. O conselho de administração aprovou a precificação de R$ 19,20 para cada nova ação, mediante a emissão de 46.012.270 novos papéis.

Os recursos levantados serão usados para financiar a aquisição da Hering (HGTX3) e a oferta está prevista para a quinta-feira (22), com liquidação das ações no dia posterior.

Com essa emissão, o capital social da empresa passará a ser de R$ 2,5 bilhões, dividido em 527.614.940 ações ordinárias (ON).

CSN Mineração (CMIN3) emite debêntures no valor de R$ 1 bi

A CSN Mineração (CMIN3) aprovou sua 1º Emissão de Debêntures, com valor total de R$ 1 bilhão, em duas séries.

Serão emitidas 1 milhão de debêntures, cada uma com valor unitário de R$ 1 mil, sendo que as quantidades a serem alocadas como debêntures da primeira e como da segunda série serão determinadas por meio do Bookbuilding, respeitado o Sistema de Vasos Comunicantes.

Os recursos líquidos obtidos serão utilizados para o reembolso de despesas incorridas em um período igual ou inferior a 24 meses da data de encerramento da oferta restrita, bem como para realização de investimentos futuros relacionados ao Projeto Expansão TECAR – Terminal Portuário de Granéis Sólidos – Porto de Itaguaí. O projeto começou em 31 de agosto de 2019 e está em fase de contratação das obras. A previsão de encerramento do projeto é em 31 de agosto de 2024.

Wiz (WIZS3) emite debêntures no total de R$ 25 milhões

A Wiz (WIZS3) também anunciou a emissão de debêntures, em sua 1º Emissão. O valor total é de R$ 250 milhões, em série única.

Serão 250 mil debêntures, ao valor unitário de R$ 1 mil. Mas será admitida a distribuição parcial, observado a condicionante emissão de, no mínimo, 150 mil debêntures.

BRK aprova 9ª emissão de debêntures

O Conselho de Administração da BRK aprovou a 9ª emissão de debêntures simples, não conversíveis em ações, da espécie quirografária, em série única, para distribuição pública com esforços restritos de distribuição.

A operação será no valor de até R$ 200 milhões. Os recursos serão utilizados exclusivamente para compor o capital de giro da companhia, para a realização de quaisquer das atividades previstas no seu objeto social.

Eletrobras (ELET3 ELET6) contrata de operações de crédito para Furnas

A Eletrobras (ELET3 ELET6) aprovou a contratação de operações de crédito de longo prazo por Furnas, junto ao BASA, Itaú, Banco do Brasil e Bradesco, no valor total de até R$ 1,6 bilhão, sem prestação de garantias pela empresa.

Os empréstimos são divididos em R$ 200 milhões ao BASA, com prazo total de 5 anos, com taxa de juros de 122,84% ao ano; R$ 500 milhões ao Itaú, em 5 anos, com CDI mais 2,28% ao ano; R$ 600 milhões ao Banco do Brasil, em 7 anos, com CDI mais 2,25% ao ano; e R$ 300 milhões, em 7 anos, com CDI mais 2,09% ao ano.

Balanços

Vale (VALE3) pode ter menor volume de vendas compensado por preços altos

Os altos preços dos metais básicos, como níquel e cobre, poderá compensar o menor volume de vendas destes minérios da Vale (VALE3). Segundo matéria do Valor Econômico, isto deve se refletir no balanço financeiro da companhia para o 2TRI21, que deve ser divulgado na próxima semana.

Romi (ROMI3) tem alta de 277,5% no lucro no 2TRI21

A Romi (ROMI3) registrou no segundo trimestre de 2021 (2TRI21) um lucro líquido de R$ 42,8 milhões, crescendo 277% na comparação com o mesmo período do ano passado.

A companhia, especializada em serviços de engenharia e peças de maquinário, viu sua receita operacional líquida avançar 79,3% entre abril e junho deste ano ante os mesmos meses de 2020, ficando em R$ 351,4 milhões.

Neoenergia (NEOE3), após covid-19 em 2020, registra R$ 1,02 bilhão de lucro no 2T21

A Neoenergia (NEOE3) abriu a temporada de balanços do segundo trimestre de 2020 nesta terça-feira (20). A companhia de energia elétrica registrou um lucro líquido de R$ 1,02 bilhão, crescendo 137% na base anual.

A empresa tem, entre os seus destaques operacionais, a retomada do consumo do comércio e da indústria, uma vez que no segundo trimestre do ano passado estes setores foram duramente impactados pelas medidas de restrição impostas no controle à pandemia do coronavírus.

Trisul (TRIS3): vendas brutas aumentam 35% no 2T21, para R$ 263 milhões

A Trisul (TRIS3) anunciou nesta terça-feira (20) a prévia operacional do segundo trimestre de 2021 (2T21), mostrando que as vendas brutas totalizaram R$ 263,4 milhões, um aumento de 35% em comparação ao mesmo período do ano anterior e de 40% em relação ao 1T21.

Já as vendas líquidas, na parte Trisul, totalizaram R$ 246,4 milhões no período, um acréscimo de 42% ante o 2T20 e de 39% em comparação ao 1T21.

Outros destaque relevantes da Trisul incluem R$ 413,5 milhões em lançamentos, com entregas totalizando R$ 94 milhões no 2T21.

Urba (URBN3) tem aumento de 170% nas vendas líquidas no 2T21

A Urba Desenvolvimento Urbano (URBN3) também anunciou hoje os dados preliminares e não auditados referentes ao 2T21.

Entre os destaques está o aumento de 170% das vendas líquidas em relação ao 2T20 e de 247% em relação ao 1T21.

O aumento das VSO no semestre foi de 21%, atingindo 51% em junho deste ano.

Netflix (NFLX34) registra lucro de US$ 1,35 bilhão no 2TRI21

A Netflix (NFLX34) reportou lucro de US$ 1,35 bilhão no segundo trimestre de 2021. O resultado é quase o dobro do verificado no mesmo período do ano anterior, com lucro de R$ 720 milhões. No primeiro trimestre de 2021 a companhia havia registrado lucro de US$ 1,7 bilhão.

A receita da empresa subiu para US$ 7,32 bilhões ante US$ 7,16 bilhões durante o trimestre anterior, superando as estimativas de US$ 7,32 bilhões, segundo a Refinitiv.

Aquisições

Conselho da Renova Energia (RNEW3 RNEW4) aprova oferta vinculante de R$ 1,1 bi da Mubadala

O conselho de administração da Renova Energia (RNEW3 RNEW4) aprovou a proposta feita pelo fundo Mubadala pela aquisição da companhia de energias renováveis, no valor de R$ 1,1 bilhão.

Agora, o fundo, como primeiro proponente, terá o direito de igualar a oferta de eventuais novos interessados na compra da empresa e que estará sujeita a algumas condições previstas no plano de recuperação da empresa.

IPO

Multilaser (MLAS3) levanta R$ 1,9 bilhão em seu IPO

A Multilaser (MLAS3) levantou R$ 1,9 bilhão em seu IPO, com as ações precificadas em R$ 11,10 cada. Segundo o Valor Econômico, a companhia de tecnologia teve uma demanda de vezes o book, incluindo a reserva de mercado.

Porém, não vendeu o lote adicional de ações, ficando na oferta base. Ainda assim, a companhia chega à bolsa de valores avaliada em R$ 9 bilhões, fora o lote suplementar.

Privália suspende novamente IPO

A Privália informou que a oferta pública inicial com esforços restritos de distribuição primária e secundária de ações ordinárias de emissão da Companhia foi suspensa novamente.

A companhia atribui decisão à volatilidade das condições de mercado nos últimos dias.

Mudança acionária

Itaú Unibanco (ITUB4) aumenta participação na Lojas Renner (LREN3)

A Lojas Renner informou que o Itaú aumentou para 5,06% sua participação nas ações ordinárias da varejista.

Tenda (TEND3) informa alteração acionária

O Itaú Unibanco anunciou que por meio dos fundos sob sua gestão, aumentou sua participação relevante para 5,23% do total das ações ordinárias da Tenda (TEND3), o que corresponde a 5.458.053 ações.

Cases da Bolsa

Aprenda análise fundamentalista de ações na prática, com maiores cases já criados na B3