Radar traz Locaweb (LWSA3), JHSF (JHSF3), Cogna (COGN3) e Cyrela (CYRE3)

Felipe Moreira
Especialista em Mercado de Capitais e Derivativos pela PUC - Minas, com mais de 8 anos de vivência no mercado financeiro e de capitais. Certificações: CPA-10, CPA-20 e AAI. Apaixonado por educação financeira e investimentos.
1

Crédito: Crédito da imagem: Reprodução/Internet

O Radar Corporativo destaca as aquisições realizadas pela Locaweb (LWSA3), JHSF (JHSF3), GPS (GGPS3), B3 (B3SA3) e Tecnisa (TCSA3).

A Smartfit (SMFT3) precificou suas ações para o IPO a R$ 23. Com isto, a rede de academias movimenta R$ 2,3 bilhões.

Atingir um patrimônio de R$ 100 mil é para poucos, saiba quais são as melhores atitudes e aplicações para multiplicá-lo

A Cogna (COGN3) aprovou nesta segunda-feira (12) a sua 7ª Emissão de Debêntures, no valor de até R$ 1,250 bilhão.

Já a Bradespar (BRAP4) anunciou o pagamento de dividendos no valor total de R$ 600 milhões.

Enquanto isso, Cyrela (CYRE3), Even (EVEN3), Moura Dubeux (MDNE3) e Melnick (MELK3) divulgaram prévias operacionais do segundo trimestre de 2021.

A Gafisa (GFSA3) homologa aumento de seu capital social. Agora, este passa a ser de R$ 1,120 bilhão. Além disso, também informou a saída de um dos membros do conselho de administração.

O fundo Truxt Investimentos, por meio de três subsidiárias, ampliou sua participação na Viver Incorporadora (VIVR3).

A BBM Logística (BBML3) cancela seu IPO. A empresa cita como um dos fatores a instabilidade das condições do mercado, entre outras razões

Por fim, a Arezzo (ARZZ3) aprovou seu Plano de Outorga de Opção de Compra de Ações.

Veja a cobertura completa do Radar Corporativo:

O que você verá neste artigo:

Cias abertas

Eletrobras (ELET6): Chesf aprova repactuação de risco hidrológico

A Eletrobras (ELET6) informou que sua a controlada Companhia Hidrelétrica do São Francisco (Chesf) aprovou a adesão à repactuação do risco hidrológico nas condições e prazos estabelecidos pela Lei n.º 14.052/2020.

Em razão da referida adesão, a Chesf desistirá do processo judicial no qual possui em seu favor uma medida liminar que lhe garante a neutralidade dos efeitos do rateio de liminares de outros agentes e dos efeitos do GSF, quando inferior a 95%, nas contabilizações no MCP -Mercado de Curto Prazo.

Eletronorte aprova direito de venda Leovac

O Conselho de Administração da Eletrobras (ELET6) aprovou o exercício do direito de venda conjunta (tag along) das ações da Norte Brasil Transmissora de Energia, pela sua controlada Centrais Elétricas do Norte do Brasil, após ter sido notificada que a Leovac Participações, afiliada da Ontario Teachers’ Pension Plan Board(OTPP), celebrou Contrato de Compra e Venda de Ações (CCVA) para a compra de 100% da Evoltz Participações S/A, esta última, proprietária de 51% das ações da NBTE.

O valor da proposta recebida de 14 de maio de 2021, é de R$ 700 milhões referenciado a 31 de dezembro de 2020. O valor da participação da NBTE contabilmente registrado em 31 de março de 2021 era de R$ 806 milhões.

BR Partners (BRBI11) tem novo CEO

A BR Partners informou que José Flavio Ferreira Ramos tomou posse como Diretor Presidente da instituição.

Banco de Brasília (BSLI3) aprova PDVI

O Banco de Brasília (BSLI3) informou que o Conselho de Administração aprovou o Programa de Desligamento Voluntário e Indenizado – PDVI.

A instituição financeira concluiu o processo de seleção de assessores financeiros para a realização de oferta pública de ações do BRB (Follow-on), com vistas à expansão de seus negócios, em alinhamento ao seu Planejamento Estratégico.

Foram selecionados para prestação de assessoria financeira à possível oferta de ações, os bancos Itaú BBA, BTG Pactuale Citigroup.

BB Seguridade (BBSE3) recebe renúncia do presidente e do vice do conselho

A BB Seguridade (BBSE3) comunicou que recebeu a renúncia do presidente do conselho de administração Carlos Motta dos Santos e do vice-presidente do conselho, Mauro Ribeiro Neto.

Em substituição aos membros que renunciaram, o acionista controlador indicou e o Conselho de Administração da companhia nomeou Marcelo Cavalcante de Oliveira Lima, atual vice-presidente de Desenvolvimento de Negócios e Tecnologia do Banco do Brasil, para exercer a função de Presidente do Conselho de Administração.

Ana Paula Teixeira de Sousa, atual Vice-Presidente de Controles Internos e Gestão de Riscos do Banco do Brasil, assume a função de Vice-Presidente do Conselho de Administração. Os mandatos vão até 2023.

Gafisa (GFSA3) anuncia saída de membro do conselho

A Gafisa (GFSA3) anunciou a saída de um dos membros do conselho de administração. João Antônio Lopes está de saída. Ainda não foi definido o substituto.

Proventos

Bradespar (BRAP4) paga dividendos

A Bradespar (BRAP4) anunciou o pagamento de dividendos no valor total de R$ 600 milhões.

Assim, serão pagos aos acionistas R$1,618907527 por ação ordinária e R$ 1,780798280 por ação preferencial.

Os valores serão pagos em 26 de julho.

Emissões e dívidas

Gafisa (GFSA3) homologa aumento de capital

A Gafisa (GFSA3) homologa aumento de seu capital social. Agora, este passa a ser de R$ 1,120 bilhão, mediante a confirmação da emissão de 8.876.988 ações ordinárias da empresa.

Fundo amplia participação na Viver Incorporadora (VIVR3)

O fundo Truxt Investimentos, por meio de três subsidiárias, ampliou sua participação na Viver Incorporadora (VIVR3). Foi feita a subscrição e integralização de 9.533.144 ações.

Com isto, a Truxt passa a responder por 6,79% do capital social da companhia.

Cogna (COGN3) aprova emissão de 1,25 bi em debêntures

A Cogna (COGN3) aprovou nesta segunda-feira (12) a sua 7ª Emissão de Debêntures, no valor de até 1,250 bilhão, com cada uma no valor nominal de R$ 1 mil. A emissão será em duas séries. As debêntures serão objeto de distribuição pública com esforços restritos de colocação.

As debêntures “visam alongar o passivo financeiro da Cogna, aportar capital em suas controladas (por meio de mútuo, aumento de capital, AFAC ou qualquer outra forma permitida pela legislação e regulamentação aplicável), sendo o remanescente destinado para o reforço do capital de giro” da empresa, segundo informações da própria Cogna.

Unipar Carbocloro (UNIP6) conclui 3ª emissão de notas promissórias

A Unipar Carbocloro (UNIP6) anunciou a conclusão da terceira emissão de notas promissórias.

A emissão é de distribuição pública com esforços restritos, no total de 100 (cem) NPs, com valor nominal unitário de R$ 2.000.000, perfazendo o montante total de R$ 200.000.000.

Os recursos líquidos captados serão integralmente utilizados, no âmbito dos negócios de gestão ordinária da companhia.

Fleury (FLRY3) emite debentures de até R$ 1 bi

A Fleury (FLRY3) aprovou a 6ª Emissão de Debêntures da companhia, no valor de até R$ 1 bilhão, para distribuição pública com esforços restritos de colocação. Serão 1 milhão de debêntures com valor unitário de R$ 1 mil, divididas em três séries.

A primeira série busca levantar R$ 250 milhões; e a segunda e a terceira, R$ 375 milhões cada.

Os vencimentos são em 8 de julho de 2025, de 2026 e de 2028, respectivamente.

Os recursos serão destinados para usos corporativos gerais, como reforço de capital de giro e alongamento de passivo.

Arezzo (ARZZ3) aprova recompra de ações

A Arezzo (ARZZ3) aprovou seu Plano de Outorga de Opção de Compra de Ações, do qual podem participar os diretores estatutários e os empregados da companhia e de suas controladas, bem como as pessoas naturais que prestem serviços à Arezzo.

As pessoas elegíveis poderão ter opções de compra de ações de emissão da companhia, sendo que cada opção conferirá o direito de adquirir 1 ação.

“O Plano de Opção tem por objetivo propiciar aos participantes se tornarem acionistas da companhia e vivenciarem todas as circunstâncias dessa condição”, diz a empresa em comunicado ao mercado.

Aquisições

Hypera (HYPE3) compra 12 marcas de medicamentos por US$ 190 milhões

A Hypera (HYPE3) assinou contrato com a Sanofi para a compra de 12 marcas de medicamentos por US$ 190 milhões. Os medicamentos envolvidos são isentos de prescrição médica no Brasil, México e Colômbia.

De acordo com a empresa, a aquisição está em linha com a estratégia da empresa de fortalecer sua posição no mercado nacional.

Fusões e aquisições em saúde movimentam R$ 6,3 bilhões

O setor de saúde movimentou R$ 6,3 bilhões em fusões e aquisições. De acordo com o Valor Econômico, esse montante foi movimentado entre janeiro e 10 de julho deste ano.

Como comparação, em todo o ano de 2020, as empresas de capital aberto, somadas, movimentaram R$ 8 bilhões. Três empresas do setor de saúde lançaram ações recentemente: Rede D´Or (RDOR3), Dasa (DASA3) e Mater Dei (MATD3).

Renner (LREN4) compra energia renovável para lojas

As Lojas Renner (LREN4) assinou acordo com a Enel para aquisição de energia proveniente de usinas eólicas para seus estabelecimentos. De acordo com o Estadão, até o fim do ano, 80% do consumo da rede virá de energias renováveis.

Locaweb (LWSA3) adquire a Bagy Soluções

A Locaweb (LWSA3) concluiu na compra, por meio de sua subsidiária integral Tray Tecnologia, da Bagy Soluções de Comércio Digital Ltda.

A Bagy foi fundada em 2017 em Belo Horizonte, capital de Minas Gerais. É uma plataforma de e-commerce focada em social commerce, com mais de 13,5 mil clientes ativos e 127 mil seguidores nas redes sociais.

O valor da negociação não foi informado.

B3 (B3SA3) firma acordo com a Totvs (TOTS3) para investimentos de R$ 600 milhões

A B3 (B3SA3) firmou um acordo de investimento com a Totvs (TOTS3) “para aportar recursos no valor de R$ 600 milhões, sujeito a ajustes, na TFS Soluções em Software. A partir dessa transação, a B3 passará a deter participação minoritária de 37,5% do capital social da TFS, permanecendo a Totvs como controladora e única sócia da B3 nesse investimento”.

A TFS é uma subsidiária da Totvs como resultado da separação da operação de soluções de gestão para o segmento de serviços financeiros, especifica a B3. “A TFS tem posição de destaque neste segmento, contando com um time de 400 pessoas e receita líquida realizada no ano de 2020 de aproximadamente R$ 140 milhões”.

Segundo a B3, o investimento na TFS “está em linha com a estratégia da B3 de expandir sua presença em áreas adjacentes de alto potencial nas quais possa agregar valor aos clientes de seu ecossistema, aprofundando seus vínculos e proximidade no dia a dia”.

JHSF (JHSF3) adquire Complexo Boa Vista

A JHSF (JHSF3) informou que adquiriu o Complexo da Boa Vista, em São Paulo, por R$ 140 milhões.

A empresa exerceu nesta segunda-feira (12) a opção para compra de área adicional de 6,1 milhões de metros quadrados.

O Imóvel fica localizado em área contígua ao Boa Vista Estates, empreendimento da JHSF que teve seu pré-lançamento realizado no mês de junho de 2021.

GPS (GGPS3) compra o Grupo Vivante

A GPS (GGPS3) aprovou a compra do Grupo Vivante, pela Top Service Serviços e Sistemas, controlada da companhia.

Dele, fazem parte a Vivante Serviços de Facilities Ltda., a Vivante Serviços de Instalação e Manutenção S.A., a Vivante Norte S.A. e a Serviços de Cogeração Carioca Ltda.

O Grupo Vivante, segundo a GPS descreve, “presta serviços de manutenção em geral, facilities e eficiência energética e tem presença nos estados de São Paulo, Rio de Janeiro, Minas Gerais, Rio Grande do Sul, Paraná, Amazonas e Bahia, dentre outros”.

Tecnisa (TCSA3) fecha investimento na BoxOffice

A Tecnisa (TCSA3) realizou um acordo para investimento na BoxOffice Soluções em Mobilidade. No acordo, a incorporadora terá participação de 25% na sociedade.

A BoxOffice é uma startup que realiza a gestão e o fornecimento de espaços compactos autônomos para trabalho remoto, reuniões, entrevistas, estudos e outras atividades.

Ferbasa (FESA4) anuncia venda de parte da Fazenda Alvorada

A Ferbasa (FESA4) comunicou a venda de parte da Fazenda Alvorada, de Maracas, Bahia. Com 60,5549 hectares, o terreno foi vendido por R$ 90.000.

A matéria foi aprovada pelo conselho e a diretoria executiva autorizou a tomar as providências necessárias para venda do imóvel e regularização da permuta fundiária anteriormente feita entre a Fazenda São Francisco e a Fazenda Alvorada, ambas localizadas na mesma região de Maracás/BA.

Balanços

Cyrela (CYRE3) anuncia prévia operacional

A Cyrela (CYRE3) lançou 19 empreendimentos no 2TRI21, totalizando um volume de R$ 1,929 bilhão, 659% superior ao realizado no 2T20 (R$ 254 milhões) e 358% acima do 1T21 (R$ 421 milhões).

As permutas nos lançamentos foram R$ 122 milhões no 2T21 vs. R$6 milhões no 2T20 e R$ 93 milhões no 1T21.

No semestre, o VGV de lançamentos da Cyrela atingiu R$ 2,350 bilhões, sendo 78% maior que o do primeiro semestre de 2020.

As vendas líquidas contratadas no 2TRI21 somaram R$ 1,560 bilhão, valor 205% superior ao registrado no 2T20 (R$ 512milhões) e 51% acimado 1T21 (R$ 1,031 bilhão).

Even (EVEN3) tem vendas líquidas de R$ 354 milhões no 2TRI21

As vendas líquidas no 2TRI21 da Even (EVEN3) totalizaram R$ 354 milhões. Dos empreendimentos lançados no trimestre, foram vendidos R$ 105milhões, VSO de 49%. Os dados são da prévia operacional da empresa.

No 2º trimestre de 2021, foram lançados dois empreendimentos, sendo um em São Paulo, com VGV de R$ 171milhões e outro no Rio Grande do Sul, com VGV de R$ 44milhões (% Even). Somando as duas unidades de negócio o VGV total de lançamento foi de R$ 216 milhões (% Even).

No 2º trimestre de 2021, os distratos totalizaram R$ 56 milhões (%Even), representando 14% das vendas brutas.

Melnick (MELK3) tem VGV líquido de R$ 461 milhões no 2TRI21

A construtora e incorporadora Melnick (MELK3) registrou VGV bruto total de R$ 604,5 milhões no segundo trimestre de 2021. Já o VGV líquido foi de R$ 461,7 milhões. Os dados são da prévia operacional da empresa.

No segundo trimestre as vendas líquidas de 2021, as vendas brutas e líquidas somaram, respectivamente, R$ 156 milhões e R$ 140 milhões.

Moura Dubeux (MDNE3) prévia operacional

Em prévia operacional divulgada nesta segunda-feira (12), Moura Dubeux (MDNE3) relatou que obteve R$ 579 milhões em VGV bruto e R$ 501 milhões em VGV líquido com os 7 lançamentos do 2TRI21.

Assim, a MD atingiu R$ 592 milhões de lançamentos no 1º semestre de 2021.

Segundo a empresa, o 2TRI21 foi o melhor trimestre da história da empresa em vendas, desde o IPO. Foram R$ 383 milhões em vendas líquidas.

IPO

BBM Logística (BBML3) cancela IPO

A BBM Logística (BBML3) cancela seu IPO. A empresa cita como fatores a instabilidade das condições do mercado e o aumento da volatilidade dos mercados financeiro e de capitais brasileiros nos últimos meses.

Smartfit (SMFT3) precifica ação a R$ 23 e movimenta R$ 2,3 bilhões

A Smartfit (SMFT3) precificou suas ações para o IPO a R$ 23. Com isto, a rede de academias movimenta R$ 2,3 bilhões. Matéria do O Estado de S.Paulo informou que a ação da empresa foi uma das mais demandadas nos últimos anos.

Planilha de Ativos

Um dos principais exercícios para a compra de uma ação é saber se ela está cara ou barata. Para isso, preparamos um material especial para ajudá-lo nesta análise.