Radar traz Petrobras (PETR4), Dommo (DMMO3) e PetroRio (PRIO3)

Felipe Moreira
Especialista em Mercado de Capitais e Derivativos pela PUC - Minas, com mais de 8 anos de vivência no mercado financeiro e de capitais. Certificações: CPA-10, CPA-20 e AAI. Apaixonado por educação financeira e investimentos.
1

No Radar Corporativo desta quinta-feira (8) destaque para a Petrobras (PETR3 PETR4), com recompra de até US$ 3,5 bilhões em títulos globais e questinamentos sobre reajuste no preço do gás por parte do governo.

Já a Dommo Energia (DMMO3) informou que a produção de óleo do Campo de Tubarão Martelo (TBMT) atribuída à Companhia foi de 44.548 barris em março, ante 41.535 barris de um mês antes.

Enquanto isso, a Petrorio (PRIO3) rgistrou produção em março de 33.698 barris de óleo equivalente por dia (boepd), ante 29.891 boepd em fevereiro.

Não Perca! Começa hoje o evento que vai transformar sua visão sobre Fundos de Investimento Imobiliário

No varejo, Magazine Luiza (MGLU3), Via Varejo (VVAR3) e B2W (BTOW3) saíram às compras durante a pandemia e fizeram 24 aquisições, numa média de 1,5 transação por mês, conforme levantamento do Valor Econômico.

No mais, a Odebrecht (hoje Novonor) se prepara para vender sua fatia na Braskem (BRKM5), que vale cerca de R$ 13,2 bilhões, após quase 2 anos do fim das conversas com a LyondellBasell.

Entre os IPOs,  a Boa Safra Sementes atualizou o prospecto de sua oferta com a faixa de preços de R$ 9,90 a R$ 12,60. No valor médio de R$ 11,25 por ação, a Boa Safra Sementes pode levantar R$ 454,5 milhões.

Já a Kora Saúde definiu a faixa indicativa de preço para seu IPO entre R$ 11,20 e R$ 15,50 por ação. Considerando o ponto médio do intervalo de preço sugerido (R$ 13,35), a operação poderá alcançar R$ 1,68 bilhão.

Por fim, a Infracommerce CXAAS pode movimentar R$ 1,982 bilhão em sua oferta de ações, considerando o ponto do meio (R$ 25) da faixa de preço sugerida que vai de R$ 22 a R$ 28.

Veja agora a íntegra do Radar Corporativo:

O que você verá neste artigo:

Cias Abertas

Petrobras (PETR4) informa resultado de recompra de até US$ 3,5 bi em títulos globais

A Petrobras (PETR4) anunciou, nesta quarta (7), o resultado de oferta de recompra de até US$ 3,5 bilhões em títulos globais, efetuada pela subsidiária integral Petrobras Global Finance.

De acordo com a estatal, o pagamento aos investidores que tiveram seus títulos entregues e aceitos para recompra ocorrerá em 12 de abril de 2021.

Dessa forma, prossegue a empresa, o volume de principal entregue pelos investidores, excluídos juros capitalizados e não pagos, foi de US$ 2,48 bilhões.

“Adicionalmente, há um montante de US$ 37,641 milhões, ainda sujeito à validação, de acordo com os termos da operação”, diz o comunicado da Petrobras.

Petrobras (PETR4): Transpetro tem lucro recorde de R$ 1,3 bilhão em 2020

Petrobras (PETR4) questiona governo após críticas de Bolsonaro ao aumento do gás

A Petrobras (PETR4) divulgou nota, nesta quarta (7), em que indaga o governo após a declaração do presidente Jair Bolsonaro. Mais cedo, ele afirmou que é “inadmissível” reajustar gás em 39%.

No comunicado, a Petrobras diz que, “sem relação às notícias veiculadas na mídia que atribuem ao Presidente da República afirmações a respeito do reajuste de gás e possíveis mudanças na política de preço da companhia, informa que indagou o seu acionista controlador, por meio do Ministério de Minas e Energia (MME), ao qual a companhia está vinculada, sobre a existência de informações relevantes que deveriam ser divulgadas ao mercado.”

Bolsonaro fez referência ao atual presidente da estatal

“É inadmissível se anunciar agora, o velho presidente [da Petrobras] ainda, um reajuste de 39% no gás. É inadmissível. Que contratos são esses? Que acordos foram esses? Foram feitos pensando no Brasil, num período de três meses? Não vou interferir, a imprensa vai dizer o contrário”, criticou.

O presidente fez referência ao presidente da estatal, Roberto Castello Branco, que deixará o cargo nos próximos dias, passando o comando da empresa para o ex-presidente de Itaipu Joaquim Silva e Luna, que acompanhou o discurso de Bolsonaro.

Petrobras explica o aumento

De acordo com a Petrobras, o aumento se deve à aplicação das fórmulas dos contratos de fornecimento, que vinculam o preço à cotação do petróleo e à taxa de câmbio, nos meses anteriores.

Logo, o preço que será praticado em maio, junho e julho, tem como referência as variações verificadas em janeiro, fevereiro e março.

Durante esse período, o petróleo subiu 38%, seguindo a tendência de alta das commodities globais. Além disso, os preços domésticos das commodities também subiram com a desvalorização do real.

Petrobras (PETR4) fecha acordo com Eletrobras (ELET6) e Amazonas Energia para receber R$ 436 mi

A Petrobras (PETR4) assinou junto com suas controladas indiretas, Breitener Tambaqui e Breitener Jaraqui, acordo judicial para recebimento de valores em face da Amazonas Energia e da Eletrobras (responsável solidária).

Também faz parte do acordo o pagamento pela Amazonas Energia à Petrobras de valores vencidos remanescentes de faturamentos oriundos de contratos térmicos.

O acordo envolve a recuperação de crédito no valor aproximado de R$ 436 milhões, além de incluir a recuperação de crédito da Petrobras, no montante de cerca de R$ 3,2 milhões relativo a um faturamento emitido em setembro de 2019, que será liquidado, pela Amazonas Energia em até 15 dias.

Sócios do BTG Pactual (BPAC11) criam o Instituto de Tecnologia e Liderança

Com a missão de formar as futuras lideranças em tecnologia que irão ajudar a transformar o Brasil, André Esteves, Roberto Sallouti e sócios do BTG Pactual (BPAC11) unem forças para a criação do Instituto de Tecnologia e Liderança (Inteli), instituição privada e sem fins lucrativos, localizado em São Paulo, com a proposta de oferecer ensino de ponta no país.

Patrocinado por uma doação de R$ 200 milhões da família Esteves, e com apoio institucional do BTG Pactual, o Inteli vai oferecer formação superior para estudantes na área de tecnologia, com ênfase em computação, negócios e liderança.

Dommo (DMMO3) e Petrorio (PRIO3) informam sobre produção em março

A Dommo Energia (DMMO3) informou que a produção de óleo do Campo de Tubarão Martelo (TBMT) atribuída à Companhia foi de 44.548 barris em março de 2021. Um mês antes, a produção nesse campo foi de 41.535 barris.

Conforme informado pelo operador do TBMT, a produção no mês de março foi impactada pela parada na produção do poço TBMT-8H por falha da bomba centrífuga submersa (BCS), causando redução da produção em cerca de 1,4 kbbl por dia.

Petrorio (PRIO3): produção em março foi de 33.698 barris de óleo equivalente por dia (boepd)

A PetroRio (PRIO3) divulgou nesta quarta (7) detalhes dos dados operacionais relativos ao mês de março cuja produção total foi de 33.698 barris de óleo equivalente por dia (boepd), ante 29.891 boepd em fevereiro.

O campo do polvo teve produção de 8.655 boepd em março, ante 5.904 boepd de um mês antes.

No Campo do Frade, a produção somou 17.005 boepd em março, ante 16.247 boepd em fevereiro. 

O Campo de Tubarão Martelo (TBMT), cuja fatia representa 80%, chegou a 5.748 boepd em março, contra 5.934 boepd de fevereiro.

JBS (JBSS3) tem rating elevado pela Moody’s

A JBS (JBSS3) informou que a agência de rating Moody´s elevou a classificação da Companhia de Ba2 para Ba1, com perspectiva estável.

Segundo o relatório publicado pela Moody´s, “o perfil de crédito da JBS continua refletindo a robustez de suas operações globais como a maior produtora de proteínas do mundo e sua ampla diversificação em segmentos de proteínas, geografias e mercados”.

Fim fiscalização especial marca novo ciclo para IRB (IRBR3)

De acordo com o CEO interino do IRB (IRBR3), Wilson Toneto, o encerramento da fiscalização especial da Superintendência de Seguros Privados (Susep) sobre a companhia representa o início de um novo ciclo para o IRB.

Desde maio de 2020, o regulador mantinha o IRB sob escrutínio devido a insuficiência de provisões técnicas, ou seja, os recursos necessários como garantia de cobertura de obrigações. As informações são do Valor.

Com o término da fiscalização da Susep, ontem as ações do IRB encerraram com ganhos de 1,97% cotadas a R$ 6,20.

Raízen investe R$ 345 milhões em maquinário para safra 2021/22

A Raízen, joint venture entre Cosan e Shell, investiu R$ 345 milhões para iniciar a safra 2021/22 com 509 novos equipamentos e caminhões agrícolas em campo, conforme informou o Valor.

Magazine Luiza (MGLU3), Via Varejo (VVAR3) e B2W (BTOW3) saem as compras na pandemia

Em menos de um ano e meio, B2W (BTOW3), Magazine (MGLU3) e Via Varejo (VVAR3) fizeram 24 aquisições, numa média de 1,5 transação por mês, conforme levantamento do Valor.

A Magalu foi responsável pela maior parte das compras no período, com 16 aquisições.

B2W, Magazine e Via Varejo avançam em aquisições para criar ecossistemas de serviços digitais. As companhias buscam aperfeiçoar plataformas que possam oferecer produtos e serviços a lojistas e clientes.

Odebrecht se prepara para vender fatia da Braskem (BRKM5)

Após quase 2 anos do fim das conversas com a LyondellBasell, a Odebrecht (hoje Novonor) começou
nesta semana novas conversas com possíveis compradores de sua fatia na Braskem.

A expectativa é que, até o fim de 2021, a companhia esteja  próxima de assinar um acordo de venda do controle da petroquímica, segundo fontes ouvidas pelo Valor.

Com valor de mercado de R$ 34,4 bilhões, venda da Braskem renderia à Odebrecht aproximadamente R$ 13,2 bilhões.

Linx (LINX3) informa que compra pela Stone será analisada pelo tribunal administrativo do Cade

A Linx (LINX3) informou que, no âmbito da combinação de negócios da Linx e da STNE Participações, o parecer técnico objeto do recurso será analisado pelo Tribunal Administrativo do CADE.

A Linx informou ainda que manterá seus acionistas e o mercado em geral informados acerca do andamento do referido processo e da decisão final que vier a ser proferida pelo Tribunal Administrativo do CADE.

Fleury (FLRY3): Carlos Marinelli deixa presidência; Jeane Tsutsui assume

O Conselho de Administração do Grupo Fleury (FLRY3) informou que Jeane Tsutsui, que vinha exercendo a posição de Diretora Executiva desde 2012, assume como nova Diretora Presidente da Companhia, substituindo Carlos Marinelli, que deixa a posição após 7 anos à frente da empresa.

Jeane Tsutsui integra a Companhia há 20 anos, migrando nos últimos 14 anos sua carreira médica para a gestão executiva.

Lavvi (LAVV3) anuncia parceria com Versace Home no Brasil

A Lavvi (LAVV3) comunicou nesta quarta (7) uma parceria com Versace Home para o projeto dos dois edifícios Villa, localizados em São Paulo/SP.

Para Eduardo Machado, diretor de incorporação da Lavvi, a colaboração entre as duas empresas representa uma combinação perfeita.

Villa é o sexto empreendimento assinado pela Versace Home, que já possui projetos em Dubai, Austrália, Londres, Índia e Arábia Saudita.

Azevedo & Travassos (AZEV4) comunica extinção de processo de falência

A Azevedo & Travassos (AZEV4) comunicou que, conforme publicação no Valor Econômico na sua edição de hoje, 07, o processo de falência promovido por Concreserv Concreto & Serviços em face da Companhia, foi extinto através de sentença proferida em 30 de março de 2021.

Com a extinção do processo a Companhia informa que não há mais nenhum pedido de falência em trâmite ou ajuizado contra a Companhia e/ou sua subsidiária.

Enel Distribuição Goiás (antiga Celg-D) contrata empréstimo de R$ 160 milhões junto à Enel Finance  

A Enel Distribuição Goiás (antiga Celg-D) firmou contrato de empréstimo com a Enel Finance International N.V para financiar capital de giro da companhia.

O empréstimo entre partes relacionadas foi no valor de R$ 160 milhões.

Emissões e dívidas

Moura Dubeux (MDNE3) emite debêntures

A Moura Dubeux (MDNE3) informou que fará emissão de debêntures simples no valor de R$ 55,65 milhões (ao preço de R$ 1 mil cada), com vencimento em quatro anos, contados da data de emissão.

Os recursos líquidos obtidos pela companhia com as debêntures serão, segundo a Moura Dubeux,  destinados diretamente ou por meio de suas controladas, para gastos, custos e despesas ainda não incorridos diretamente na aquisição, construção, expansão, desenvolvimento e reforma de determinados imóveis e empreendimentos imobiliários.

Taesa (TAEE11) paga debêntures

A Taesa (TAEE11) comunicou aos detentores das debêntures da 9ª emissão que em 8 de abril pagará juros no valor de R$ 23,58386800 por cada uma das 450.000 debêntures.

Segundo o comunicado, o pagamento dos referidos títulos totaliza o valor de R$ 10.612.740,60.

Alper (APER3) informa aumento de capital

A Alper (APER3) aprovou aumento de capital, no valor de R$ 109,9 milhões.

Dessa forma, o capital social da Alper passou de R$ 210,4 milhões para R$ 294,8 milhões.

IPO

Boa Safra Sementes quer captar mais de R$ 400 mi em IPO

A Boa Safra Sementes pretende captar mais de R$ 400 milhões com seu IPO (Oferta Pública Inicial).

O prospecto da oferta registrado na Comissão de Valores Mobiliários (CVM) foi atualizado com as informações detalhadas da oferta.

A faixa de preço vai de R$ 9,90 a R$ 12,60. No valor médio de R$ 11,25 por ação, a Boa Safra Sementes pode levantar R$ 454,5 milhões.

Kora Saúde define faixa indicativa de preço

A Kora Saúde definiu a faixa indicativa de preço para seu IPO entre R$ 11,20 e R$ 15,50 por ação. Considerando o ponto médio do intervalo de preço sugerido (R$ 13,35), a operação poderá alcançar R$ 1,68 bilhão – 100% desses recursos serão em colocação primária, ingressando no caixa da empresa.

Infracommerce CXAAS pode movimentar quase R$ 2 bi em IPO

A Infracommerce CXAAS pode movimentar R$ 1,982 bilhão em sua oferta de ações, considerando o ponto meio (R$ 25) da faixa de preço sugerida que vai de R$ 22 a R$ 28. A oferta será primária e também secundária, quando acionistas atuais vendem parte de suas fatias.

Dasa (DASA3) ajusta valor a preço da oferta

A Dasa (DASA3) deverá voltar a ter uma cotação de mercado, após a conclusão, na terça-feira, de sua oferta pública de ações, em operação conhecida como “re-IPO”, por se tratar de empresa listada, mas sem liquidez.

Desde 2015, quando a família Bueno assumiu o controle da empresa apenas 2,25% dos papéis da companhia estavam na bolsa. Com um percentual tão baixo, quase não havia negócios com as ações e, portanto, a cotação não era considerada para avaliação do valor da empresa.

Mudança acionária

Gerdau (GGBR4): alteração acionária relevante

A Gerdau (GGBR4) comunicou que a americana CII (Capital International Investors) diminuiu participação nas ações PN e recibos de ações da empresa para 13,97%. Esse percentual corresponde a 160.073.007 papéis.

A CII tem sede em Los Angeles e é uma divisão independente de investimentos da Capital Research and Management Company, tendo como representantes legais no Brasil o J.P. Morgan, o Citibank DTVM.

A CII administrava 174.590.465 Ações PN da Gerdau, equivalentes a 15,23% de participação.

(Com Marco Antonio Lopes, Claudia Zucare, Rodrigo Petry e Redação)