Radar FII: veja os destaques de fundos imobiliários desta quarta

Regiane Medeiros
Economista formada pela UFSC. Produz conteúdo na área de mercado de capitais, finanças pessoais e atualidades.
1

Foto: FII

A Rio Bravo, administradora do FII Rio Bravo Renda Varejo (RBVA11), informou que o Banco Santander (locatário) promoveu nova ação judicial para requerer a declaração da vigência da cláusula 4.3 dos contratos de locação celebrados com o banco, sob pena de multa cominatória.

De acordo com o Santander, tal cláusula impede expressamente que o Fundo alugue os imóveis locados ao banco a quaisquer terceiros, mesmo após o término da vigência dos contratos de locação atípico, ainda que o Banco Santander não opte pela renovação.

A Rio Bravo informou que até o presente momento, o RBVA11 e a administradora não foram citados para oferecer defesa.

Invista em suas Escolhas. Conheça os Melhores Investimentos 2021.

Ainda de acordo com a administradora, o Poder Judiciário constatou que, neste momento, não se encontram presentes os requisitos legais para a concessão da liminar solicitada pelo Santander.

Sendo assim, não há qualquer alteração nos processos judiciais em face do Fundo e no cumprimento dos contratos de locação.

Em fato relevante divulgado em 10 de agosto, a Rio Bravo informou que o banco optou, de forma antecipada e definitiva, pela “não renovação dos 26 contratos de locação firmados com o Fundo”.

“Nesse contexto, ao término da vigência dos Contratos de Locação Atípico, caberá ao Banco Santander apenas optar pelo exercício, ou não, da opção de compra dos Imóveis que lhes confere a cláusula 4.3 dos Contratos de Locação Atípico”, explicou a administradora.

O Banco Santander terá ainda o direito de preferência em eventual venda dos imóveis pelo RBVA11 até o término da vigência de referidos contratos.

Caso o Santander opte pelo não exercício da opção de compra, a Rio Bravo informou que o banco não poderá, com fundamento na cláusula 4.3, impedir o Fundo de conferir aos imóveis sua função social e a destinação que melhor lhe convier, sob pena de incorrer em manifesto abuso de direito.

BREV11 adquire ativos do FII RCRB11

O FII Brazil Real Estate Victory Fund I (BREV11) comunicou a aquisição dos conjuntos 101 e 102 do Edifício Parque Paulista, localizado em São Paulo (SP).

O Conjunto, que pertencia anteriormente ao FII Rio Bravo Renda Corporativa (RCRB11), foi negociado por R$ 10,55 milhões, adquirido por meio de integralização de cotas.

RZTR11 comunica aquisição no valor de R$ 457,623 milhões

O FII Riza Terrax (RZTR11) comunicou que finalizou a aquisição de 8 propriedades compostas por 24 matrículas.

A transação foi realizada pelo montante total de R$ 457,623 milhões que, em conjunto, representam, aproximadamente, 97% do total do patrimônio líquido do RZTR11.

FII: Confira os rendimentos divulgados

BVAR11: R$ 31,86 por cota em 23/12

RCRB11: R$ 0,85 por cota em 21/12

IFIX

No pregão da terça-feira, 16, o IFIX fechou o dia em alta de 0,22%, aos 2.767,43 pontos.

No acumulado de dezembro o IFIX recua 1,46%. No ano a queda é de 13,4%.

Leia mais:

Aluguel de FIIs: saiba como vai funcionar o empréstimo de cotas

FIIs: por que o IFIX está atrás do Ibovespa? Entenda