Radar FII: RBIV11 e SARE11 comunicam nova emissão de cotas

Regiane Medeiros
Economista formada pela UFSC. Produz conteúdo na área de mercado de capitais, finanças pessoais e atualidades.
1

A BRL Trust, administradora do FII Rio Bravo Crédito Imobiliário (RBIV11), comunicou a abertura da 2ª emissão de cotas do Fundo.

Deste modo, a nova emissão será de 352.941 cotas, colocadas sob o regime de melhores esforços de distribuição.

O preço de aquisição por cota da 2ª emissão foi definido em R$ 85, já considerada a taxa de distribuição primária.

Não Perca! Começa hoje o evento que vai transformar sua visão sobre Fundos de Investimento Imobiliário

Como resultado, o Fundo pretende levantar o montante de R$ 30 milhões.

Os cotistas poderão manifestar o exercício de seu direito de preferência, total ou parcialmente, durante o período entre 14 de abril a 27 de abril, inclusive, na B3.

Os recursos captados no âmbito da Oferta das novas cotas serão destinados à aquisição dos ativos imobiliários e dos ativos de liquidez, conforme definidos no regulamento.

FII Santander Renda de Alugueis (SARE11) lança 3ª emissão de cotas

O FII Santander Renda de Alugueis (SARE11) aprovou a oferta pública de distribuição primária da 3ª emissão de cotas do Fundo.

Desta forma, serão emitidas no mínimo, 398.923 e, no máximo, 3.590.306 de cotas, perfazendo o valor total de até R$ 360 milhões.

O valor da emissão por cota da 3ª emissão é de R$ 100,27 e será destinada a investidores institucionais e não institucionais.

Os recursos a serem obtidos serão utilizados pela administradora e pelo gestor para a aquisição de ativos imobiliários e ativos financeiros que obedeçam a política de investimentos do Fundo.

FII RB Capital Office Income (RBCO11) celebra contrato de aluguel

O FII RB Capital Office Income (RBCO11) celebrou na terça (6) o contrato de locação das unidades 61 a 64 e 71 a 74 (6º e 7º andares inteiros) do Ed. Rachid Saliba, para uma empresa produtora de vídeos norte-americana.

O imóvel, com área total de 1.647,76m², equivalente a 3,8% da área locável do Fundo, foi alugado para um período de 120 meses.

O contrato foi firmado com valor de face por metro quadrado 6,7% superior ao aluguel médio do edifício, representando um acréscimo de 4,4% à receita imobiliária total do Fundo.

Com esta locação, a vacância física do edifício foi reduzida para 8,5% e a consolidada do Fundo para 31,3%.

Findo o período de carência, concedido conforme práticas atuais de mercado, a distribuição de rendimentos deverá ser impactada positivamente em R$ 0,03 por cota.

IFIX

Na sessão da terça (6), o IFIX fechou o pregão em queda de 0,13%, aos 2843,98 pontos.

Em abril o IFIX acumula queda de 0,1%, já no desempenho de 2021, cai 1,43%.