Radar FII: BTLG11 lança 10ª emissão de cotas; MAXR11 comunica inadimplência de locatária

Regiane Medeiros
Colaborador do Torcedores
1

O BTG Pactual, na qualidade de administrador do FII BTG Pactual Logística (BTLG11), comunicou a abertura da 10ª emissão de cotas do Fundo.

Atingir um patrimônio de R$ 100 mil é para poucos, o que amplia o desafio de busca pelas melhores aplicações para multiplicá-lo

Desse modo, com a nova emissão serão lançadas 1.870.383 de cotas, podendo tal montante ser reduzido em razão da distribuição parcial ou aumentado em razão da distribuição das cotas adicionais.

Acesse esse material especial para avaliar resultados, performance e dividendos dos melhores FIIs no mercado.

O preço de aquisição por cota da 10ª emissão foi definido em R$ 109,5, assim sendo, o FII pretende levantar o montante de R$ 200 milhões.

Os cotistas que tiverem interesse em exercer o direito de preferência deverão se manifestar no período entre 13 de maio a 25 de maio, inclusive, na B3.

O BTG informou ainda que a oferta restrita é destinada exclusivamente a investidores profissionais.

FII Max Retail (MAXR11) comunica inadimplência de locatária

O BTG Pactual, administrador do FII Max Retail (MAXR11), informou que Fundo não recebeu de uma de suas locatárias o pagamento do aluguel, referente à competência de março/2021, o que representa um impacto negativo na distribuição de rendimentos de, aproximadamente, R$ 0,62 por cota.

Além disso, o Fundo recebeu de algumas de suas locatárias uma parcela de pagamento do aluguel inadimplido, referente à competência de fevereiro/2021, representando um impacto positivo na distribuição de, aproximadamente, R$ 1,11 por cota.

Portanto, considerando o impacto conjunto da inadimplência e adimplência, a distribuição de rendimentos foi impactada positivamente em, aproximadamente, R$ 0,31 por cota.

FII CSHG Renda Urbana (HGRU11) adquire ativos por R$ 203,77 milhões

O Credit Suisse, administrador do FII CSHG Renda Urbana (HGRU11), comunicou que o Fundo se comprometeu a adquirir 10 imóveis destinados ao varejo, localizados nos estados de São Paulo, Minas Gerais, Espírito Santo, Paraná, Rio Grande do Norte e Paraíba.

Segundo o comunicado, os referidos ativos estão integralmente locados para varejistas de grande porte com atuação nacional.

A aquisição será realizada pelo valor total de R$ 203,77 milhões.

Até a conclusão do negócio, o vendedor e o Fundo empreenderão seus esforços para superar as condições precedentes, entre elas a realização das diligências técnicas, ambientais, jurídicas e de compliance no vendedor e nos Imóveis, bem como a aprovação (ou dispensa de análise) da transação pelo Conselho Administrativo de Defesa Econômica – CADE.

IFIX

O IFIX fechou o pregão de segunda-feira (10) em queda de 0,36%, aos 2846,28 pontos.

No acumulado de maio o IFIX registra queda de 0,52%, no ano cai 0,81%.