Radar Corporativo traz Petrobras (PETR3), BTG (BPAC11) e Petz (PETZ3)

Matheus Gagliano
Colaborador do Torcedores
1

Crédito: Divulgação/Pixabay

O Radar Corporativo desta segunda-feira (28) destaca que a Petrobras (PETR3) venderá sua fatia de 37,5% na BR Distribuidora (BRDT3). O negócio é avaliado em R$ 11,5 bilhões.

Atingir um patrimônio de R$ 100 mil é para poucos, o que amplia o desafio de busca pelas melhores aplicações para multiplicá-lo

O BTG Pactual (BPAC11) deu o pontapé inicial no processo de desdobramento de ações. A operação está prevista para ocorrer na próxima quarta-feira (30).

Já a Light (LIGT3), informou que contratou 74,84 MW médios no último leilão A-4, realizado pela Câmara de Comecialização de Energia Elétrica (CCEE). Com preço médio de R$ 151,15 por MW/h, o início do suprimento está previsto para janeiro de 2025.

A Eletrobras (ELET6) tem registado nos últimos anos, baixo patamar de investimentos. Desde o início do processo de reestruturação, a companhia já se desfez de alguns ativos como as distribuidoras. Montante investido desde então é de R$ 1,9 bilhão por ano.

Você sabia que algumas das maiores oportunidades de ganhos da bolsa estão nas Small Caps? Quer saber mais sobre essas ações e como investir? 

A Equatorial (EQTL3), após aquisição da Companhia de Eletricidade do Amapá (CEA) busca novos mercados. O presidente da companhia, Augusto Miranda, informou que a forte relação com bancos permite olhar nesta direção.

Quer começar o dia bem-informado com as notícias que vão impactar o seu bolso? Clique aqui e assine a newsletter EQI HOJE!

Por fim, Petz (PETZ3) e Localiza (RENT3) informaram sobre proventos.

Cias abertas

Ambipar (AMBP3) divulga aquisição da Disal Ambiental Holding

A Ambipar (AMBP3) divulgou neste domingo, a aquisição de 100% da Disal Ambiental Holding. Esta conta com uma carteira de clientes blue chips e contratos de longo prazo com para os setores de mineração, construção civil, alimentos, entre outros.

A compra foi feita por meio de subsidiária Environmental ESG Participações S.A., de capital fechado. Por isto, não será necessária a aprovação da operação pelos acionistas. E nem será exercido o direito de recesso.

Em 2020, a Disal registrou nos últimos 12 meses até maio, receita líquida de R$ 503,2 milhões. No mesmo período, foi verificado ebitda da R$ 93,8 milhões.

Para a Ambipar, a aquisição tem alguns pilares como: prover a internacionalização da empresa do segmento ambiental; ampliar a carteira de clientes para futuro processo de cross selling; além de gerar sinergias para ampliar a gama de soluções proprietárias de valorização de resíduos.

Petrobras (PETR3) tem dívida trabalhista de R$ 46 bilhões

A dívida do processo trabalhista na qual a Petrobras (PETR3) foi condenada em 2018, já chega a algo em torno de R$ 46 bilhões. Porém, o processo ainda não foi concluído e encontra-se parado no Supremo Tribunal Federal (STF).

De acordo com informação do Valor Econômico, o valor inicial do processo foi calculado em R$ 17 bilhões. No entanto, esse valor total já havia dobrado em dezembro. E agora, no fim do primeiro trimestre, a petroleira projeta uma dívida de R$ 46 bilhões.

Mercado vê com bons olhos futuro da BR Distribuidora

O mercado vê com bons olhos o futuro da BR Distribuidora como corporation. Na próxima sexta-feira, a Petrobras (PETR3) venderá sua participação restante de 37,5% na antiga subisidária. O que deve movimentar algo em torno de R$ 11,5 bilhões.

Matéria do Valor Econômico, aponta que a companhia, após ter sido privatizada e deixado de se submeter à Lei das Estatais, terá outro aspecto positivo. Contratos de suprimento de derivados e de licenciamentos de marcas serão mantidos com a PETR3.

Com isso, a percepção que fica é que a venda das ações em poder da Petrobras não significarão uma ruptura total.

Equatorial (EQTL3) busca novos mercados

Após aquisição da Companhia de Eletricidade do Amapá (CEA), a Equatorial (EQTL3) busca novos mercados. Augusto Miranda, presidente da companhia admitiu que a forte relação com o mercado e com os bancos já permitem olhar novos horizontes.

Segundo informação do Valor Econômico, pretende apostar em possíveis sinergias com outras operações suas no Pará.

Eletrobras (ELET6) tem registado baixo investimento

A Eletrobras (ELET6), desde que iniciou seu processo de reestruturação, tem investido pouco. Nos últimos quatro anos, a companhia tem investido um montante médio de R$ 1,9 bilhão ao ano.

Agora, com menos subsidiárias – principalmente as antigas distribuidoras – sob sua posse, a companhia deverá elevar esse valor, de acordo com o Estadão. Na época dos grandes projetos, o investimento médio por ano era de R$ 10 bilhões.

Qualicorp (QUAL3) e Banco Inter (BIDI11) fazem acordo por seguro saúde

A Qualicorp (QUAL3) e o Banco Inter (BIDI11) fecharam um acordo para venda de planos de seguro saúde coletivos na plataforma digital da instituição bancária.

Segundo informações do Estadão, a ideia é obter novos clientes por meio da distribuição digital do produto em novos canais de vendas, conforme explicou Elton Carlici, vice-presidente Comercial, de Inovação, e Novos Negócios da Qualicorp.

Petrobras (PETR3) divulga prospecto da venda de fatia da BR Distribuidora (BRDT3)

A Petrobras (PETR3) divulgou o prospecto preliminar da oferta secundária de ações em que a empresa pretende vender R$ 11,5 bilhões da BR Distribuidora (BRDT3). Ou seja, 436.875.000 ações ordinárias.

A oferta é coordenada pelo Banco Morgan Stanley S.A., Bank of America Merrill Lynch, Citigroup Global, Goldman Sachs do Brasil, Banco Itaú BBA, Banco J.P. Morgan S.A. e XP Investimentos.

No âmbito da oferta não haverá outorga de opção de ações suplementares.
O preço por ação será fixado após a conclusão do procedimento de coleta de intenções de investimento a ser realizado com investidores institucionais.
Com base no valor por ação de R$ 26,42 (de 16 de junho), a oferta consistirá em R$ 11,542 bilhões. O valor pode variar para mais ou menos, a depender da conclusão do procedimento de bookbuilding.

As ações ordinárias de emissão da companhia estão admitidas à negociação no Novo Mercado, segmento especial de negociação de ações da B3.
O período de reserva para ações da BR Distribuidora é de 24 de junho de 2021 a 29 de junho de 2021.

Tendo em vista que a oferta é uma distribuição pública secundária, a BR Distribuodra não receberá quaisquer recursos em decorrência da realização da oferta. A Petrobras receberá todos os recursos líquidos resultantes da venda das ações.

BTG (BPAC11) divulga detalhes do desdobramento de ações

O BTG (BPAC11) informou que iniciou os procedimentos necessários ao desdobramento de ações que compõem o capital social do banco. O desdobramento será feito em 30 de junho.

Assim, o desdobramento será realizado, sem alteração no valor do capital social atual, nos seguintes termos: as atuais 2.869.246.306 ações representativas do capital social do BTG, sendo 1.808.613.500 de ações ordinárias, 711.276.466 de ações preferenciais Classe A e de 349.356.340 ações preferenciais classe B serão desdobradas em 4 (quatro) ações da mesma espécie.

Assim, o capital social, após o desdobramento, passará a ser dividido em 11.476.985.224 ações, sendo 7.234.454.000 ações ordinárias, 2.845.105.864 ações preferenciais Classe A e 1.397.425.360 ações preferenciais classe B.

Os acionistas receberão por ocasião do desdobramento, 3 novas ações, da mesma espécie, para cada ação de que forem titulares.

Em razão do desdobramento, a instituição financeira depositaria creditará aos detentores de units na data base novas units, de modo a refletir o novo número de ações detidas por tais acionistas, guardada sempre a proporção de 1 ação ordinária e 2 ações preferenciais para cada unit.

A partir de 1º de julho de 2021, as ações do BTG Pactual passarão a ser negociadas ex-direito ao desdobrament

Light (LIGT3): controladora adquire energia em leilão

A Light (LIGT3) informou que no 23º Leilão de Energia Existente A-4, realizado pela Câmara de Comercialização de Energia Elétrica (CCEE), sua controlada Light Serviços de Eletricidade S.A. adquiriu energia no montante total de 74,94MW médios.

O preço médio foi de R$ 151,15/MWh, com início de fornecimento em janeiro de 2025 e vigência de até 15 anos.

Essa energia irá substituir contratos atualmente em vigor que possuem vencimento em dezembro de 2024 e preço médio atualizado de R$ 357,77/MWh, representando assim uma redução de 57,8%.

O menor custo de aquisição de energia beneficiará os consumidores com menores tarifas no futuro e contribuirá com os planos de combate a perdas e de redução da inadimplência, além de diminuir a pressão sobre o caixa da companhia.

Fleury (FLRY3) informa retomada de plataformas de tecnologia

A Fleury (FLRY3) informou que, como parte das atualizações sobre a indisponibilidade dos sistemas da companhia provocada pela tentativa de ataque cibernético, alcançou significativa evolução na retomada segura das plataformas de tecnologia.

A Fleury teve apoio de empresas especializadas e de referência nessa área de atuação.

“Estamos gradualmente normalizando nossas operações de forma controlada, com os devidos testes de segurança sendo executados, priorizando a integração automática de sistemas em hospitais em nossos ambientes, que vem ocorrendo de forma gradativa e bem-sucedida”, diz a empresa.
As Unidades de Atendimento seguem atendendo os clientes com sistemas já restabelecidos.

Movida (MOVI3), CS Brasil e Simpar (SIMH3) apresentam termos da incorporação de ações

A Movida (MOVI3), a Simpar (SIMH3) e a CS Brasil Participações informaram que seus conselhos de administração aprovaram os documentos finais da reorganização societária com o intuito de integrar os negócios da Movida e da CS Frotas.

A incorporação de ações e documentos correlatos serão submetidos à aprovação dos acionistas da Movida em assembleia geral extraordinária convocada para o dia 26 de julho de 2021. E também para aprovação dos acionistas da CS Participações em assembleia geral extraordinária convocada para a mesma data.

A incorporação de ações consistirá na incorporação das ações de emissão da CS Participações pela Movida, pelo valor do seu patrimônio líquido a preços de mercado, com a emissão de novas ações ordinárias, escriturais e sem valor nominal da Movida a serem atribuídas aos acionistas da CS Participações.

Como resultado, a CS Participações se tornará uma subsidiária integral da Movida.

Assim, pela estrutura proposta, a Simpar, que hoje controla 55,1% da Movida, passará a deter 63%.

A CS Participações será objeto de uma cisão parcial. Como resultado dessa cisão, cuja data-base será a mesma da incorporação de ações (31 de março de 2021), a CS Participações será titular, no momento da incorporação de ações, de (i) 100% das quotas de emissão da CS Frotas; e (ii) de aproximadamente 21 mil veículos (Cisão da CS Participações e, em conjunto com a incorporação).

Além disso, a CS Participações terá uma dívida líquida de R$ 600 milhões (que representa uma alavancagem de, aproximadamente, 2,5x com relação ao EBITDA da CS Participações levando em consideração o período de 12 meses anterior a maio de 2021).

De acordo com o documento, a reorganização representa a possibilidade de a Movida atuar no mercado de gestão de frotas (GTF) leves no setor público, atualmente explorada pela CS Frotas no âmbito do grupo Simpar.

Rumo (RAIL3) aprova aditivo em contrato de concessão

O conselho de administração da Rumo (RAIL3) aprovou a assinatura do 3º termo aditivo ao contrato de concessão da Rumo Malha Paulista.
O documento visa formalizar a extinção do contrato de arrendamento, formalizado em 30 de dezembro de 1998, vinculado ao contrato de concessão da Rumo Malha Paulista S.A., nos termos do Decreto nº 10.161, de 9 de dezembro de 2019.

O conselho também retificou a aprovação realizada em 13 de maio de 2021 para corrigir o valor da garantia, no âmbito da celebração de captação de empréstimo, junto ao BNDES, tendo como tomadora a controlada da companhia, Terminal São Simão S.A., figurando a Rumo como garantidora solidária de R$ 69,2 milhões.

Proventos

Petz (PETZ3) informa sobre proventos

A Petz (PETZ3) aprovou o pagamento de R$ 5 milhões em JCP (juros sobre capital próprio).

O valor é correspondente a R$ 0,01269063884 por ação, considerando a quantidade de 393.991.198 ações ordinárias.

O pagamento dos juros sobre o capital próprio da Petz será realizado aos acionistas inscritos nos registros da companhia em 29 de junho de 2021.

Localiza (RENT3) aprova pagamento de R$ 72 milhões em JCP

A Localiza (RENT3) informou que seu conselho fiscal aprovou a proposta de pagamento de juros sobre capital próprio no valor bruto de R$ 72.357.107,03.
O pagamento ocorrerá no dia 20 de agosto de 2021 na proporção da participação de cada acionista, com retenção do Imposto de Renda na fonte.

Farão jus ao pagamento os acionistas constantes da posição acionária da companhia em 29 de junho de 2021. As ações, a partir de 30 de junho de 2021, serão negociadas na bolsa de valores “ex” esses juros sobre capital próprio.

O valor bruto por ação estimado nesta data dos juros sobre capital próprio a ser pago é equivalente a R$ 0,096195083.

Dívidas/emissões

Unidas (UNID3) aprova emissão de CDCA

A Unidas (UNID3) aprovou, em reunião do Conselho de Administração, a emissão de CDCA (Certificado de Direitos Creditórios do Agronegócio) em favor da Eco Securitizadora de Direitos Creditórios do Agronegócio S.A., para servir de lastro de certificados de recebíveis do agronegócio de sua emissão (CRA).

O CDCA será garantido por aval outorgado pela Unidas, conforme termos aprovados na reunião do Conselho de Administração da Unidas de 25 de junho de 2021.

A data de emissão do CDCA será 20 de julho de 2021, no valor nominal de R$ 200 mil e com prazo até 14 de julho de 2031.

A amortização do valor nominal atualizado, ou seu saldo, será realizada em 13 de julho de 2029, em 12 de julho de 2030 e na data de vencimento.

Mudança acionária

Unipar (UNIP6) informa mudança de ações preferenciais

A Unipar (UNIP6) informou que foram convertidas 3.415 ações preferenciais classe “A” em igual número de ações preferenciais classe“B”.

Tais conversões modificaram a composição do capital social da companhia, que fica agora da seguinte forma:

Ações ordinárias (ON): 33.007.970;
Ações preferenciais classe A: 2.068.749;
Ações preferenciais classe B: 59.356.153;
Total: 94.432.872.

Grupo Mateus (GMAT3) informa alteração acionária

O Grupo Mateus (GMAT3) informou que recebeu comunicação da doação de 335.946.504 ações ordinárias de titularidade da acionista controladora da companhia, Maria Barros Pinheiro.

Deste valor, 167.973.252 ações são para cada um dos donatários, ou seja, os também acionistas controladores da companhia, Ilson Mateus Rodrigues Junior e Denilson Pinheiro Rodrigues.

A doação acarretou para a doadora uma redução em sua participação societária na companhia de 15,6% do total de ações.

Além disso, quanto aos donatários, a doação ocasionou um aumento de 7,6% em cada uma das participações societárias na companhia.

Um dos principais exercícios para a compra de uma ação é saber se ela está cara ou barata. Para isso, preparamos um material especial para ajudá-lo nesta análise.